Vale a pena ter um Sega CD? 10 games para dizer sim

O senso comum garante que o Sega CD é um lixo total. Será que é bem assim?

8
4558

"O Sega CD foi um lixo igual ao 32X."

Quem teve Sega CD sabe que essa opinião é ignorante e carente de argumentos válidos, mas antiga e corriqueira. É quase consenso entre quem não conhece o acervo de jogos do dispositivo (ou nutre antipatia infantiloide pela Sega) repetir essa bobagem. É verdade que sua irrelevância frente a máquinas populares da época colabora na impressão negativa. Mas apesar de limitado em quantidade, alguns jogos nele merecem o adjetivo "imperdível".

Lançado em 1991 no Japão, o Mega-CD foi uma aposta da empresa para conter o ímpeto do PC Engine e seu CD-ROM². Também serviu como laboratório para a tecnologia fadada a dominar o mercado em breve: os CDs. E curiosamente, foi a porta de entrada da Sony no ramo dos videogames, pois como parceiros, assinaram vários títulos com o estúdio Sony Imagesoft. Se dependesse só do trabalho com o Sega CD, o PlayStation teria sido uma máquina conjunta de Sega e Sony, já pensou?

Por problemas diversos como um crescente interesse da indústria em plataformas 32-bit — inclusive a Sega, tão obcecada que até cometeu o 32X antes do Saturn —, o Sega CD recebeu menos atenção do que deveria. Praticamente entregue a um mar de FMVs, não entregou a qualidade que o público gostaria, pelo menos não em quantidade.

Mas quando desenvolvedoras se dedicaram, conseguiram resultados interessantes. Ele oferecia efeitos como escala e rotação superiores ao hardware do Mega Drive (sim, o Mega fazia essas coisas com os "truques" certos de programação), e apesar do gargalo da paleta de cores, teria sido boa plataforma para conversões de arcades. Sem falar das grandes séries da Sega que jamais chegaram ao CD, como Streets of Rage, Super Monaco GP, Alex Kidd, Space Harrier, Toe Jam & Earl e Phantasy Star. Um desperdício.

Leia também → A História do Sega CD

De qualquer forma, sempre me pareceu válido, ao contrário do 32X com seus não mais que cinco jogos dignos. Para você que ainda acredita na cretinice afirmação que abre o post, uma pequena lista de títulos que valem a pena no CD-ROM da Sega.

Primeira parte →

Final Fight CD

final-fight-cd

Apesar dos quatro anos de atraso em relação ao original, Final Fight no Sega CD foi uma versão quase idêntica ao arcade, exceto por detalhes como a tradicional censura ocidental e o número inferior de inimigos por tela.

Como melhoria, foram introduzidas narrações, trilha sonora refeita e o exclusivo modo time attack. Também manteve os modos que haviam sido removidos no SNES (todos os lutadores disponíveis). Tirando a versão para computador X68000, foi a mais próxima do arcade na época. Para consoles, continua como uma das mais fiéis.

Earthworm Jim: Special Edition

earthworm-jim

Considerado um dos melhores games de 1994, Earthworm Jim ganhou no Sega CD uma versão especial, que em vez de só melhorar som como alguns ports fizeram, incluiu nova fase, arma e cerca de mil frames de movimentos adicionais.

Claro que o som e vozes também foram melhorados. Se a original era ótima, a versão CD sem dúvida foi a definitiva no primeiro game do minhoca Jim.

Silpheed

silpheed-blast

Para fãs de shmup, Silpheed (mais um da Game Arts) foi o grande título do Sega CD. Original de computadores, no CD-ROM da Sega o jogo exibiu gráficos incríveis, usando fundos pré-gravados com sobreposições de elementos poligonais.

As animações e narrações enriqueceram o conteúdo, mas não se engane achando que é só visual e fogos de artifício: com jogabilidade fluída, é desafiador, na medida para quem curte o estilo. Aparece com frequência em listas de melhores do Sega CD, com reviews muito positivos.

Popful Mail

popful-mail-cd

Outro vindo de computadores, Popful Mail foi um dos últimos bons jogos do Sega CD, lançado pela Working Designs em 1994 no Japão e em 1995 no Ocidente.

Ação em plataformas com elementos de RPG, cheio de diálogos e cutscenes, é o ideal para quem curtia a fórmula de Wonder Boy e buscava algo mais elaborado. Pra mim, a melhor versão — muito melhor desenhado que a do PC Engine CD, e personagens maiores que na redesenhada do SNES.

Bônus

Alguns jogos que quase entraram na lista:

Mickey Mania

mickey-mania-cd

Baseado em várias animações clássicas da Disney, o game foi lançado primeiro para SNES, Mega Drive e Sega CD, sendo a última a mais completa, com mais comentários de voz de Mickey, e adições como na luta contra Pete e novos inimigos.

Durante muito tempo foi a melhor opção, até ser portado e melhorado para PlayStation (como Mickey's Wild Adventure). Mas nos 16-bit, foi a melhor.

Night Trap

night-trap-32x

Sabe aquele jogo que é tão ruim, que é bom? Night Trap mal pode ser chamado de jogo, já que seu estilo de filme interativo é pobre como jogabilidade. Mas as cenas típicas de filme B são um clássico trash dos games em full motion video.

Vale a pena conhecer — e até ter — pelo valor histórico. Também foi lançado para 3DO e CD 32X com gráficos bem menos granulados (se tiver o 32X, vá tranquilo na versão melhorada).

Keio Flying Squadron

keio-flying-squadron-cd

Mais uma opção de shmup para quem tem o Sega CD é Keio Flying Squadron, esse na linha dos cute'em ups, com uma menina vestida de coelhinha montada num dragonete (?!). Grande animação na introdução e boa jogabilidade. Produzido pela Victor Entertainment (de outros jogos no Sega CD como The Secret of Monkey Island e o port de Fatal Fury Special), teve sequências para Saturn e PlayStation.

 

Pra você que já teve e quer ter de novo, ou que pretende ter um Sega CD pela primeira vez, ficam aí as sugestões de bons jogos. Lembra de algum outro que não podia ficar de fora?

8 COMENTÁRIOS

  1. Se o sega cd fosse lançado como um mega drive turbinado ao invés de um acessório com jogos próprios, a história poderia ter sido diferente. Por ser um acessório com sua própria biblioteca distinta, seus jogos se canalizaram com os do Mega Drive.

  2. Lembro da primeira vez que vi o mega cd em si...com o jogo Earnest Evans...fiquei alucinado com aquelas telas animes da vida, bons tempos!!!! Ainda vou comprar o mega cd porque sempre tive vontade de ter um mega cd com determinados jogos que gosto. Gosto muito de Final fight Cd, tenho o jogo Snatcher e Night trap, e...um dia ainda compro o mega cd e não o sega cd...acho o modelo do mega cd mais bonito e aquela tela logo da sega nas nuvens me traz boas lembranças da época, sem contar com aquela música meio futuristica, bons tempos mesmo. Apesar que já vi, não sei se era pirata ou não um sega cd no modelo do mega cd, ou seja com gavetinha e tudo para o cd, engraçado!!!! Na minha opinião vale a pena sim ter um segacd ou quem sabe o mega cd, valeu!!!!

  3. Daleee ! Belissima resenha desse desperdiçado aparelho.
    Para ilustrar bem suas citações referentes a rotação e zoom, e ainda, para mim, o melhor jogo de Sega CD (gosto é gosto) é SOUL STAR. (Musica, sound effects, zoom e rotação a rodo). Se não tentou por favor faça a vc esse favor de jogar esse master piece !
    Ainda no quesito "PQ NÃO USARAM MAIS O POTENCIAL DO SEGA CD CARAIIcos)
    - vendo a fase 1 do Batman Returns do Sega CD...po meu...out run, power drift (esse talves não desse), turbo out run, um after bunner decente (after buner 3...a não rolou pra mim). Monaco, fizeram um usando o zoom e etc...mas foi fail apesar que na época joguei q nem um louco e fechei campeão e feliz.

  4. O Sega CD é guerreiro kkkkkk, até porque ele é um ADD´on e é errado exigir dele algo como se fosse um console de verdade. Eu joguei alguns games dele e gostei bastante, mas tem também aquela coisa, o Mega CD possui muitos jogos que foram na onda dos FMV e quebraram a cara. Você pode notar que todos os games da sua lista são no estilo padrão. Sem alegorias, e por isso deu certo e vale à pena.
    Eu acho muito charmosa a tela de bios do Sega CD, com aquela musica e tals... 🙂
    Ótimo post Daniel. Um grande abraço!

    • Às vezes fico imaginando se em vez daquela zona de FMVs, tivessem feito bons jogos "de verdade". Imagine o que daria pra tirar do kit Mega + CD? Acho que foi um hardware bem desperdiçado. Abraço!

  5. E aí Daniel, ótima matéria cara, parabéns... bom, me chame de louco, mas não gosto de Slipheed, o resto dos jogos eu simplesmente amo e como eu não curto jogos FMV, Night trap está de fora da minha coleção, curiosamente foram apenas 145 jogos americanos lançados pro Sega CD e desses daí tenho uns 78 em forma de iso somente (justamente pelo fator FMV).

    Só faltou falar do Mortal Kombat pra Sega CD, apesar de ele ter seus loadings quase eternos, é um ótimo game.

    • Valeu, Guilherme. Pelo menos em som, o MK do Sega CD é igual ao arcade, e dá pra jogar tranquilo.
      FMV é mais comédia que jogo, tem uns que se salvam, o resto é tranqueira mesmo.

Deixe um comentário

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui