Quer comprar um videogame antigo? Onde? Como? Quanto?

Está pensando em readquirir seu videogame antigo, começar uma coleção? Leve em conta as dificuldades e mutretas do mundo colecionista (tô fora).

6745

Atualização: já se vão alguns anos desde a publicação desse texto, e nesse período a coisa mudou pouco — e pra pior. Os preços subiram por causa de especuladores e ficou quase impossível continuar colecionando no Brasil. A alta do dólar tornou o eBay menos interessante, e resta garimpar por aí ou ficar de olho vivo no Mercado Livre, procurando as raras boas oportunidades.

Confira também: Como comprar no Mercado Livre com menos chance de calote, e Preços absurdos de games e a Lei de Gérson.

A onda do retrogaming é nova, já que a própria história dos games é um tanto recente. Conforme os anos vão passando, saudosistas querem manter um vínculo com os velhos tempos através dos antigos consoles, e nessa, jogos e acessórios são mais procurados — e menos encontrados. O preço das velharias vai ficando inflacionado.

Quem já tentou comprar um videogame antigo, ou só fez uma pesquisa básica de preços, sabe do que estou falando. Em sites tipo Mercado Livre, um aparelho na faixa dos vinte anos, como os primeiros modelos de Mega Drive e Super Nintendo, dependendo do estado de conservação, pode ultrapassar R$500, dinheiro suficiente para comprar um console só um degrau abaixo dos mais modernos no mercado. Isso falando de coisas em bom estado, com caixas, manuais, controles, etc. Itens para jogar e colecionar, ou só colecionar.

O pior é que nem sempre é assim: gente querendo lucro fácil aumenta o preço mesmo em itens facilmente encontrados, produzidos aos milhões. Não acredita? Veja este anúncio: Mega Drive japonês, com Sega CD nacional, por "módicos" R$1500.

MIL E QUINHENTOS REAIS.

Atualização: já era o link, mas pode acreditar, era isso mesmo.

Sega CD Bios
Quer ver isto outra vez em sua TV?... ESVAZIE OS BOLSOS SOBRE O BALCÃO, SIM?

Como comprar mais barato

eBay

Além de pesquisar bastante, uma boa alternativa é procurar em sites gringos como o eBay. Muitos vendedores ainda remetem a mercadoria pra cá (apesar da HUEragem ter queimado nosso filme com tantos outros), com valores razoáveis em produtos difíceis de achar por aqui a preço justo. Pode valer a pena, mesmo com frete e impostos; alguns nem cobram frete, inclusive em envios da Europa e Japão, especialmente cartuchos. Compras até US$50, com frete incluso, supostamente não devem ser taxadas, mas tem gente que faz compras maiores e também não é, parece que é meio "na sorte" de passar na alfândega. A conta pode ser paga com cartão internacional ou PayPal.

Atualização: fiquem espertos, mesmo pacotes de baixo valor estão sendo taxados "aleatoriamente". Tomei uma taxa de 21 reais num pacote que custou menos de 50 recentemente.

Sebos

Nintendo 64
Nintendo 64 tem um preço digno por enquanto, entre R$100,00 e R$140,00.

Outra possibilidade é revirar sebos de games, cada vez mais comuns em grandes centros (pelo menos aqui em SP tem alguns no centro). Como os caras compram e vendem com frequência, sempre aparece algum console que estava juntando pó e saiu barato — e que ele vai tentar te empurrar por um preço abusivo. Ou não, não custa negociar.

Nesses sebos também dá pra achar acessórios e cartuchos, mas se for colecionador, prepare o bolso, já que os baratos estarão bem detonados, com labels rasgados e manchados, sem caixa... Manual então, nem sonhando. Os que estiverem em ótimo estado, terão péssimos preços.

Encontrar a fórmula ideal, de preço razoável num produto decente, requer pesquisa, então prepare as pernas. Se não tiver tempo e nem disposição... Prepare os olhos, eles vão sangrar no...

Mercado Livre

O caminho mais conhecido, e também desprezado pelos compradores "hardcore", é o Mercado Livre. O site virou um frenesi de insanidade, alimentado pelo sucesso do retrogaming.

Imagine o/a jovem gamer que amadureceu, casou e abandonou os videogames na casa dos pais. Um dia, ele fica sabendo que estão pedindo dois mil reais num Sega CD, e claro, pensa "putz, tenho um lá esquecido, vou faturar um troco também", então busca o seu, tira o pó e anuncia onde? No Mercado Livre. Outro cara vê o anúncio, acha que é fácil vender nesse preço amalucado, "todo mundo está pedindo isso" e faz a mesma coisa, e aí temos uma bola de merda neve, com preços absurdos por aparelhos em péssimo estado. Acaba sendo mais em conta, em certos casos, achar no eBay, trazendo o produto do outro lado do mundo.

Mas pesquisando com calma dá pra achar sim coisas bacanas no ML. Os leilões costumam terminar com preços altos, mas são uma alternativa; se não tiver paciência, procure produtos com preço fixo, faça perguntas ao vendedor.

Você envelheceu, eles também

Antes de sair comprando o aparelho que estava bonitão na foto do ML, tem que ficar esperto, já que o tempo passou e não dá pra esperar que as máquinas estejam impecáveis. Quem vai comprar videogames com carcaça clara como o Super Nintendo precisa ficar atento para os "Photoshopeiros": o amarelado do tempo deixa o plástico bem feio e nas fotos o dono às vezes dá uma corrigida... Aí quando receber o console e der de cara com aquele amarelão, vá reclamar com o papa, porque trocar ou devolver o dinheiro, chance zero.

Outros problemas comuns: fios terrivelmente torcidos, faltando partes (placas extensoras, de slots, o Jumper Pak do Nintendo 64, etc), caixa de isopor esfarelando, falta de manual, caixas faltando pedaço ou amassadas, partes metálicas oxidadas, sujeira pesada...

Por essas e outras, a melhor alternativa, se possível, é retirar a compra no local. Isso garante uma boa examinada na máquina antes de levar, evitando surpresas desagradáveis.

Coleção ou só pra jogar?

Isso faz toda a diferença no preço e qualidade. Quem vende itens para coleção terá aparelhos impecáveis — velhos só na idade, estarão em perfeito ou quase perfeito estado, com caixas bem conservadas, conteúdos como manuais e folhetos, etc. Quanto mais inteiro e original, mais o preço vai subir.

Exemplo: que tal um Mega-CD 2 japonês NOVO? Isso mesmo, novo, lacrado na embalagem original, mesmo tendo sido fabricado há uns vinte anos? O preço dá pra comprar qualquer videogame moderno e ainda sobra algum.

Atualização: o link já era, mas o preço era US$1500 (mil e quinhentos dólares).

Outro exemplo são aparelhos que quase não apareceram em terras nacionais. Quando alguém tem, quer seus olhos. Nesses casos, Mercado Livre e outros sites nacionais são um pesadelo, com preços mais que abusivos, isso quando tem o que você procura. Fuja do mercado nacional.

Imagine quanto um vendedor tupiniquim pediria num Wondermega¹ como esse.

¹ o Wondermega era fabricado pela Victor, JVC e Sega, e juntava Mega Drive com Sega CD no mesmo aparelho, com outras funções como karaokê

Ou você compra de fora, ou dá a sorte loterística de algum brasileiro pedir um valor decente, ou o mais simples: esquece essa coisa de coleção e compra os aparelhos separados, sem caixa, sem manual e sem vergonha. Só pra jogar mesmo.

Wondermega, da JVC-Victor, mix de Mega Drive com Sega CD
Um menos visto por aqui, como o Wondermega, pode custar uma pequena fortuna.

Luxo ou lixo

Não sou muito fã de coleções e acho jogar o que mais vale; se você pensa o mesmo, considere pegar algo menos perfeito, com umas naturais marcas que só o tempo causa — e principalmente com um preço digno. Que tal deixar a caixa de lado e comprar um console que será guardado na sua gaveta ou mantido na estante? O preço sai mais em conta e falta de caixa ou manual não quer dizer "defeito". Como diria o Gagá, um produto "pereba" pode render muita diversão.

Artigo anteriorReview – Samurai Shodown (Neo-Geo)
Próximo artigoReview – Fifa International Soccer (Mega Drive)