Preços absurdos de games antigos e a Lei de Gérson

Mercado de games antigos e a orgia dos especuladores, que "empolgam" vendedores casuais e arrastam os preços pra cima.

15
2636

Nos últimos 10 anos, o mercado de games antigos teve um aumento enorme de interesse e exposição. Antes relegados a feiras e bancas de troca nos cantos da cidade, aparelhos, cartuchos e acessórios eram oferecidos por precinhos camaradas, ou até doados por falta de comprador (doei meu Master System no início dos anos 2000 nesses termos, e olha que ele já tinha uns 14 anos). Blogs e fóruns se multiplicaram — talvez com força diluída pela quantidade — com muito material pra quem queria relembrar ou conhecer o passado dos jogos eletrônicos.

O nicho do "retrogaming" mostrou que chegava pra ficar.

Tendência similar a do exterior, potencializada pela facilidade de comunicação das redes sociais. Ainda no Orkut vários grupos pipocaram, depois migrando para o Facebook, sem falar de espaços clássicos em português como o Retrobits, o Retrospace do Outerspace e o Museu do Videogame do UOL, onde jogadores e gente da indústria e mídia se misturam para compartilhar experiências e história.

pica pau vendo comidaSe fez coçar a pulga atrás da orelha até das companhias, que trataram de colocar as velharias em consoles virtuais de forma oficial, esse boom dos retrogames infelizmente também despertou a cobiça de muito malaco. É típico: onde tem dinheiro circulando, brotam atravessadores pra surfar a onda, praticando a velha e boa maldita especulação.

E foi assim que muito carinha que tinha sua humilde coleção pessoal pra jogar (nada de muito raro ou espetacular) passou a delirar igual ao Pica-Pau quando vê comida nos rivais: olham pros videogames e veem um carro novo, uma casa na praia... Em vez de baixar o preço para competir, o vendedor casual se espelha nos valores amalucados e aumenta a pedida, criando um efeito em cascata pra cima.

Se quiser peças de coleção, então, prepare o rim, as pregas e a paciência.

Lei de Gérson

Em 1976, Gérson estrelou um famoso comercial em que dizia "Gosto de levar vantagem em tudo, certo? Faça como eu, leve vantagem você também". Quem bolou a campanha acidentalmente captou a essência do espírito de porco brasileiro, e a chamada "Lei de Gérson" se consolidou no repertório da sabedoria popular. O próprio Gérson não gostou muito, eternamente associado ao típico malandro brazuca, mas não teve jeito, a "lei" estava decretada.

Pois ela se aplica com perfeição à prática de preços nacional, mais agressiva do que em mercados de maior poder aquisitivo e mais importantes de games, como o americano.

Exemplifiquemos. Precisei de um Mega Drive esses dias, porque queria testar uns cartuchos e cabos. Encasquetei de pegar um velho muso nerd da adolescência: o belo e charmoso Mega Drive japonês e seu reluzente 16-BIT dourado. Quer dizer, não seria uma extravagância: se funcionasse, ótimo. Chaveado? Melhor ainda, mas viria de bônus. Coisa de 50 a 70 reais, se muito.

Como não tenho tempo pra garimpar, fui revirar o Mercado Livre. Não queria nada novinho, colecionável; só um aparelho em condições mínimas de decência, limpo, funcionando. Não precisava de caixa, isopor, cabo, cartucho. Os mais baratos que encontrei com características básicas foram de R$200 pra cima, bem menos conservados do que eu queria. Até pouco tempo atrás, era raro vê-los por mais de R$120,00.

Quando não, é aparelho todo FERRADO, faltando botão, com contatos cheios de ferrugem (não entendo o que esse povo faz com o videogame) e um "aviso super honesto" do tipo:

Oi gentem desculpe não pude testar porque não tenho o cabo, mas ACHO que está funcionando, compre por sua conta e risco, ok. Flw.

Detalhe: 150 pilas.

Aí o que eu posso falar?

https://www.youtube.com/watch?v=0gNqCxaZUJU?t=4s

Acabei me contentando com bem menos: um Meguinha III igualmente largado, sujo (desconfio que ficou exposto ao clima, não na chuva, mas num ambiente aberto), com um cabo de energia trocado e mau instalado, um pouco de ferrugem e TERRA dentro, mas funcionando. Por razoáveis R$35,00. Depois de devidamente tratado devo postar um antes e depois dele por aqui.

JAMAIS TERÃO MEUS 150 REAIS NUMA SUCATA! Se for pra comprar sucatão, que seja por merreca.

mega iii usado
Lavô tá novo, assim espero...

Aliás, uma pilantragem que me tira do sério é a do "videogame embalado". Caras enrolam o produto num pedaço de filme plástico, desses que se usa na cozinha pra embrulhar comida, pra dar ideia que é "bem cuidado" — e claro, o preço escala o Everest.

Com cartuchos é ainda pior. A popularização (ou quase, continua salgado o valor) dos Everdrives fez carts virarem peça só pra coleção, ninguém mais precisa deles... Pelo menos é o que vendedores nacionais devem pensar, afinal qualquer cartuchinho vagabundo, sem caixa e coisa nenhuma é de R$40,00 pra cima — saudade da banquinha com carts "paralelos" por 10 reais? Estão cada vez mais raros os que ainda fazem por 15.

Notem que até aqui não falei de itens de coleção, "tipo novos". Dizem que é a lei do mercado: se há procura, a oferta diminuiu e o preço sobre. Mas será que não estão abusando no Brasil?

Culpa?

Primeiro, do dito boom. Com menos itens circulando, os completos que emergem já vêm inflacionados. A cada nova coleção iniciada, é mais um dono ou dona a garimpar sebos pra melhorar seu estoque, juntando-se aos atravessadores.

Segundo, é nossa, homo brasilis. Você aí que se apoia em frases ridículas tipo "usado poucas vezes" num console 25 anos (muito raramente será verdade, como casos de estoques fechados num galpão há décadas, veja mais abaixo), ou "material de fino trato para colecionadores que sabem o que é bom" pra tentar vender um MASTER SYSTEM POR 7 MIL REAIS.

7 MIL FOOCKING REAIS!

AH, VÁ LAMBER SABÃO!

master system mercadolivre
Que legal, ele dá frete grátis, né?

Brasileiro fazendo brasileirice? CLARO. O primeiro anúncio similar no eBay: Master System na caixa, NOVO DE VERDADE (não essa BOSTA enrolada em filme plástico), que ficou guardado num armazém durante todos esses anos. Tudo perfeito, por menos de R$1500 na cotação atual do dólar.

Mesmo pagando 60% e mais o que tiver de imposto, ficaria bem mais barato do que comprar o nacional usado e reembalado toscamente.

master system novo
No print o leilão ainda estava aberto, mas fechou nesse valor mesmo.

Então, de onde o vendedor BR tira um preço doido desses? O videogame é dele, se quiser anunciar por um milhão de Moedas do Tio Patinhas, problema dele, certo?

Mais ou menos. Cada vez que uma pessoa comum vê tal aberração, realmente acha que o aparelho que tem mofando em casa é uma Ferrari injustiçada, resultando na brutalidade galopante nos preços. Todo mundo perde: colecionadores não conseguem nada, casuais desanimam de ter um velhinho largado pra jogar de vez em quando. Só o especulador, o menos interessado na matéria, é que lucra, porque mesmo não vendendo por 7 mil (será que tem algum animal que compra??), ele já tem outros X anúncios com preços "normais" / bem acima do valor real.

"Pô, mas você só procura no MercadoLivre, que falha hein". Bem ou mal, é o maior site do gênero e aonde uma enormidade de consumidores vai primeiro. Colecionador busca alternativas, mas pra eles o negócio anda ruim de qualquer forma, ainda mais agora com o dólar alto que o empurra de volta pra casa.

Loucura loucura...

E não é só nos clássicos que o bicho está pegando. O EverDrive MD v3, aquela pequena maravilha pra jogar ROMs no console, que custa US$78,00 no site do fabricante, com frete grátis, é visto em mãos não-oficiais no Brasil por quase 500 reais. A versão SNES não fica longe: US$79,00 no site original, R$699 no Brasil.

Entrando no campo das pequenas coleções "de jogo", a vergonha aumenta. Quem perdeu o interesse e ficou com os aparelhos guardados, acha que vai pagar a faculdade dos filhos ou a própria com os "tesouros": meia dúzia de videogames, alguns sem caixa, outros com controles paralelos, por preços tipo 7, 10 mil reais, ou mais, MUITO MAIS.

Tudo sem critério, pesquisa de preço, nada: simplesmente tacam um valor alto aleatório e acabou. Como comprova a resposta de um dos donos do produto ao ser indagado sobre o valor:

P: Como vc calculou e chegou nesse valor amigo?
R: Olá, não fiz cálculo, somente decidi. obrigado.

Isso explica muita coisa :mrgreen:

Os anúncios são cômicos, com perguntas e respostas que beiram o infantil. Algumas são claramente forjadas, feitas por perfis alternativos do próprio vendedor: o jeito de escrever, a pontuação e termos usados denunciam a artimanha.

SNES + 22 cartuchos = 3 mil reais

colecao mercado livre 0

P: Cara, sério que vc ta vendendo um SNES com um monte de fita pirata por 3 mil?
R: Em primeiro lugar vc nem tinha que fazer este tipo de comentário poque o game e meu e eu peso o valor que eu quero e em segundo lugar só 3 fitas não e original!! E em terceiro luga se não te em teresa não faça comentário indezejavem por favor.

SNES na caixa = 4 mil reais

huehuea parte 1

No eBay, produto similar por 700 reais.

P: Porque este valor? O que tem de tão precioso neste game é o fato de ser original?
R: Boa noite amigo infelizmente so colecionador sabe por que vale até mais, é como um carro antigo que vc guarda desde 92, pra vc nao vale nada mais colecionador sabe que vale, e paga esse valor.

Coleção = 38 mil reais

huehauehuea parte 2

Detalhe: nada de muito espetacular, como mostra a imagem. Consoles com caixa, algumas visivelmente danificadas. Uma coleção comum de uso.

P: Amigo eu acho que tem um zero a mais nesse valor.
R: Olá, sei que o preço está acima do normal, mas é este mesmo, obrigado

Lote = 120 mil reais

videogames colecao venda

A gente pode ficar aqui o resto do ano falando de qualquer qualidade da coleção dele, e ainda assim não vai chegar nunca nem na metade desse valor.

Ainda por cima apaga os questionamentos sobre preço...

 

Alguns são tão caras-de-pau que compram manuais e caixas separados, casam com aparelhos recondicionados e anunciam como "novinho, está comigo desde 1979, pouco uso" — é só examinar o perfil de comprador do fulano pra descobrir. Outros usam várias contas para fazer comentários favoráveis, como o anúncio do Master System de ouro 7 mil reais. Olha esse diálogo, que "natural":

P: Parabens muito bonito seu produto, tenho interesse nessa master e no seu nintendinho, aceitaria 5 mil em cada um, no deposito aguardo seu retorno abraços.
R: bom dia, desculpe so trabalho com mercado pago esse preço é o minimo mesmo obrigado pela oferta, e pelo reconhecimento com meu produto, que alem de bonito tem historia, abraços

Outros usam perfis para elevar o valor dos leilões perto do final, ferrando quem já deu lances honestamente. Há ainda os que se "profissionalizaram" em comprar todo tipo de lixo / sucata em feiras de rolo e outros becos do mundo. Compram videogame velho, quebrado, com placa cheia de ponte, mas nada disso importa: anunciam por preços irreais dizendo que são "relíquias", "vendidas no estado porque não pude testar", fazem o esquema de comprar manuais e caixas separadas para melhorar a aparência.

A pilantragem rola como as águas do Tietê, fétido e sujo.

Pra onde fugir?

Mesmo nesses pontos manjados às vezes aparece algo, mas é sempre bom mudar de ares, se tiver disposição e tempo. Além das feiras e bancas da sua cidade, há lojas especializadas que PODEM valer uma visita. Digo podem porque algumas são das mesmas pessoas que estão tocando o terror online...

Dependendo do caso, o eBay é uma saída viável. Imagine quanto esses três videogames juntos custariam no Brasil?

videogames ebay

No eBay saíram por 150 dólares + frete de uns 50 dólares + possível (quase certa) taxação de 60% + ICMS que varia. Possivelmente menos de mil reais em tudo. No mínimo, vale a pena fazer as contas.

Outros sites como o OLX têm coisas mais em conta, apesar de também contaminados pelos fanfarrões que perambulam pelo ML. Na caçada pelo Mega japonês, vi um bem parecido com o que queria pelos mesmos R$35,00 que paguei no Mega III, mas teria que ir buscar longe e desisti.

E claro, a melhor dica é sempre vasculhar cantinhos escuros como bazares, lojas da Santa Ifigênia (pra quem é de SP, mas tem que garimpar) ou videogames encostados com amigos e conhecidos. Com boa vontade, talvez eles até doem alguma coisa (aliás, se você tiver algo sobrando aí e quiser doar, mande pra mim).

O importante é: não alimente o troll, ou melhor, o HUEBR explorador; valorize seu dinheiro e não ajude a inflacionar o mercado.

Artigo anteriorReview: Stakes Winner (Neo-Geo)
Próximo artigoComparativo Master System FM x PSG
Se não tiver conta no Memória BIT, será criada uma. Nada será publicado em seu perfil.
Se já tem conta no MBIT, faça login nela e vincule-a ao Facebook.

15 COMENTÁRIOS

X
Todos os comentários passam por moderação antes de publicados. Se o seu for aprovado, vai aparecer em breve!
  1. Sabe o que eu coleciono? Cartuchos novos vendidos na Aliexpress que são fabricados com qualidade. Quem quiser questionar, compra um primeiro depois questiona.... A placa é muito melhor do que as placas Peruanas que vendiam na Santa efigenia 10-15 anos atrás.... e que hoje não passam de lixo...

    Para os games com os chips especiais, importo eles do japão pelo ebay. Lá tem praticamente o que foi vendido no mundo inteiro na questão de games. E as letras do idioma, nem ligo kkkkkkkkkkkk....

  2. Belo texto!Bate bastante com o que eu penso sobre o tema. Eu sou mais um que perdi o prazer e praticamente abandonei a coleção de jogos por causa da loucura do mercado.

    Aproveito pra fazer alguns adendos. Além do que você descreveu, há ainda uma figura que, acredito eu, complica ainda mais o nosso meio-de-campo (e não só no Brasil): o do "colecionador completista", como eu chamo - aquele que nem joga, mas que embarcou nessa por moda/"investimento" e sente prazer apenas em possuir. Aí acontece o que aconteceu com vários hobbies legais ao longo dos anos: a coisa vira uma competição, pagar mais caro pelos itens torna-se símbolo de status e todo o mercado se inflaciona. Toda vez que vejo um anúncio absurdo nos grupos de Facebook da vida e o comprador diz "é pra quem pode, amigo", dá um embrulho no estômago. Fico triste de verdade.

    Soma-se a isso aquele lance do "grading" - no qual uma epmresa que se autoentitula "video gaming authority" (sem nenhuma base comprovada para tanto) sepulta os cartuchos em cases de acrílico, dando uma nota de acordo com o estado de conservação. Esses jogos nunca mais serão jogados! O grading ajudou a demolir o colecionismo de gibis e cartões de baseball nos EUA, e está fazendo o mesmo pela coleção de games antigos - e já estão aparecendo jogos com grading por aqui. E não adianta dizer que é "preservação histórica", um erro comum; afinal, o jogo em si é o software e o cartucho e caixa são apenas embalagens. Sites que fazem o dump das roms para que os jogos continuem sendo jogados fazem muito mais pela história dos videogames do que colecionadores de jogos com grading.

    Enfim, peço perdão pelo comentário longo. Parabéns pelo site! Encontrei hoje e gostei muito. Já está nos meus favoritos.

    • Bem lembrado, esse negócio de grading é uma das maiores cretinices pra mim. Sempre me pergunto quem deu autoridade a esses caras pra ganhar dinheiro dizendo o que deve ou não ser sepultado no acrílico. Se eu fosse "ryco™", teria prazer em fazer vídeos de unboxing dessas ditas raridades.

      Abraço e continue por aí!

  3. Só uma correção com relação a Santa Ifigenia.
    Por lá o negocio anda cada vez pior... infelizmente, vc consegue comprar bem de quem nao esta nem aew para o produto, agora quem mexe com isso é bem dificil pegar um preço bom

    • Pra falar a verdade faz anos que não compro nada na Sta. Ifigênia, mas considerando a loucura do ML, é natural que tenha se espalhado por lá também...

  4. Realmente os colecionadores como eu se lascaram com isso. Até o ebay foi prejudicado com isso, onde pessoas estão vendendo estes artigos a preços surreais. É a mania de querer se aposentar antes da hora.

    São pessoas a meu ver mesquinhas, pois possuem coisas em casa que não lhes servem mais, e mesmo assim querem vender a um preço absurdo. Ou seja, seu lixo pelo preço de ouro. E fazem isso desde os consoles (sem testar), até com peças piratas, quebradas ou pedaços do que um dia foi um video-game.

    Colecionador negocia com colecionador, mas não colecionadores se sentem no direito de cobrar o valor que quiser em um item que não vale nem um terço daquilo.

    Eu estou há duas décadas louco atrás de um Jaguar + Jaguar CD por gostar dele apenas. Sei que se muito vou achar na mão de outro colecionador e sairá caro pois a procedência importa. Mas as vezes um Zé da vida tem um em casa que pegou pó nesse tempo todo, descobre que eu estou atrás e acha que pode me oferecer por dez mil reais. Absurdo.

    Mas como disse: pessoas que querem levar vantagem em tudo. Até naquilo que não os serve para nada.

  5. Belo post! Concordo plenamente contigo sobre os mercenários e o site Mercenário Livre!!
    Como gamer das antigas (vi Odissey e Atari, mais o computador TK-85 [clone do Sinclair ZX-81] quando criança na casa dos primos!!), dos primórdios até hoje. Possuo um pequeno e singelo número de aparelhos e cartuchos.
    Tenho vontado de expandir minha coleção, mas os preços... Mais de 150 reais num jogo de GBA, R$ 150 num console MegaDrive ou SNES sem acessórios, R$ 100 reias num cart deles original (o paralelo por menos de 50-60 não se acha)...
    Inflacionam os jogos mais populares como Chrono Trigger, Castlevania SotN, Final Fantasy (black label? red label? blue label? é whisky???)
    Experimenta olhar os vendedores que dizem trazer do Japão ou Europa os valores??
    E têm quem compre e acha que está fazendo negócio de barbada, da china!!!
    Com os emuladores funcionando a pleno em qualquer PC, Notebook ou celular básico deveriam estar sobrando jogos e consoles!!! Consequentemente deveriam estar muito mais baratos.
    Tenho o meu Sony Xperia PLAY e roda tudo até o PSX, N64, MAME e Neo-Geo!
    Continuo garimpando meus jogos nas feirinhas e eletrônicas aqui da cidade.

    • Obrigado, Rodrigo!
      Ainda tenho esperança na queda futura de preço dos "Everdrives" para pelo menos os cartuchos caírem juntos. Não dá pra comprar nem cartucho pirata mais, não na mão desses malucos.

  6. Daniel belo post, eu gostaria de começar a colecionar mas esses atravessadores são foda, conheço um rapaz que pega uns games e faz manutenção deles e vende a preço justo. .mas ele deixa claro que é feito MANUTENÇÃO nada de vender como novo.

  7. Muito boa a matéria!
    Eu desisti do colecionismo por causa destes oportunistas que vendem lixo por preço de ouro. Cansei de passar raiva. De 2 anos pra cá ficou insustentável.
    Você disse tudo!

DEIXE UMA RESPOSTA