Nintendo da América temeu que a cor do GameCube fosse “muito feminina”

O GameCube completa 20 anos em 2021 e até mais que jogos, o mais lembrado do caixote da Nintendo é o formato em cubo com o inconfundível tom roxo. E por estranho que seja, a empresa considerou outras cores como a principal, ao menos no mercado ocidental.

O temor era que o console parecesse... pouco masculino 🤣.

É o que revelou a então vice-presidente de marketing da Nintendo da América, Perrin Kaplan, em entrevista ao Video Games Chronicle. Segundo ela, a matriz no Japão determinou a cor, mas a equipe americana cogitou mudá-la. Sem poder para tal, forçaram o modelo opcional preto após reunião no começo de 2001.

Consumidores modernos já se acostumaram a comprar consoles coloridos, mas em 2001 não era comum, explicou Kaplan. Quando a Nintendo do Japão determinou o roxo para o GameCube, a filial se preocupou com a recepção local à escolha.

crianca gamecube 24 08 200 toshiyuki aizawa reuters
Nintendo do Japão determinou que o GameCube "titular" fosse roxo/púrpura, mas filial americana temeu recepção do público masculino, fazendo força pela opção em preto e prata. Na foto: criança vê o console na revelação durante do Space World, em 24/08/2000. Foto: Toshiyuki Aizawa / Reuters.

"Sugerimos que aquele púrpura não seria a melhor para começar e disseram 'Não, é assim que vamos'", contou Kaplan. "Então, fizemos força pelo preto e prata, porque acho que nos Estados Unidos, ninguém tinha usado a cor púrpura antes".

O principal temor era que o consumidor, até então majoritariamente masculino, não se identificasse. "Não é que você não pudesse lançar um hardware com uma cor diferente, era só uma cor que parecia muito... 'feminina'. Ele não parecia masculino, acho. Lembro de nosso temor na E3, de ter uma recepção ruim da imprensa baseada simplesmente na cor".

Cor de cocô

O temor era tanto que várias outras cores estiveram na pauta, algumas nada convencionais. A reunião na sala principal da Nintendo da América teve dezenas de versões para apreciação do comando, como também contou Kaplan:

Fomos chamados para avaliar quais cores gostávamos mais. Havia ao menos 30 modelos de caixa do GameCube, e variavam de marrom "cocô" até cores primárias malucas e berrantes. Lembro de algumas que eram em amarelo escuro, quase tom de pele e dissemos tipo "Vocês não podem lançar isso, é tão pouco atraente!"

A Nintendo do Japão já tinha apresentado o GameCube no ano anterior, durante o Space World, em Tóquio. Na ocasião, algumas opções além do roxo foram exibidas, com modelos segurando cada design, numa cena bastante lembrada por fãs.

Modelos exibem o GameCube na apresentação oficial do console, em agosto de 2000. Previsão de lançamento era julho, mas seria adiado de novo. Imagem: Yoshikazu Tsuno/AFP

O GameCube, primeiro console da Nintendo a usar discos digitais, teve vendas na faixa dos 21 milhões de unidades, perdendo para rivais de geração (Xbox e PlayStation 2). Uma decepção, mas deixou alguns bons jogos, inaugurando séries como Pikmin e revisitando outras, como F-Zero.

Para saber tudo sobre o cubo da Nintendo, leia a história completa do GameCube em nosso artigo dividido em quatro partes.

Daniel Lemes
Fundador do MB, quase mil artigos publicados em dez anos pesquisando e escrevendo sobre games. Ex-seguista, fã de Smashing Pumpkins e Yu Suzuki.

Deixe seu comentário

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui

Mais recentes

Mais lidas