Multiplayer survival Rust chega ao Xbox One e PS4 até junho

O multiplayer de sobrevivência Rust, exclusivo para PC, deve chegar ao Xbox One e PlayStation 4 ainda este ano. Lançado em 2013 na fase Early Access, a versão final saiu em 2018 e desde então vem sendo popular na Steam.

Agora "consolistas" terão a chance de conferi-lo, com a versão beta fechada já correndo.

Rust retrata uma realidade pós-civilização. O único objetivo dos jogadores é sobreviver. Para tal, devem enfrentar a escassez de recursos, obtendo alimentação e abrigo, construindo itens e explorando o ambiente.

E claro, lutar com pedras, paus, fuzis e o que mais conseguir. Outros sobreviventes tentarão matá-lo e saqueá-lo sempre que possível. Welcome to the jungle.

Podem ser encontrados até 100 jogadores por sessão. Os encontros darão naquilo que vocês resolverem fazer. Talvez fiquem amigos e criem uma nova facção. Mas talvez – quase certamente – decidam se matar feroz e rapidamente. Vale tudo.

Mundo cão

Rust é violento, com PvP cruel e um ambiente implacável para novatos. Quer dizer, nenhum jogo do gênero é um passeio no parque, mas parece ser especialmente duro. Não há muita piedade e se você não ajustar um servidor próprio, terá dificuldade em se desenvolver.

Lance até 100 pessoas tentando sobreviver num recinto sem regras e veja o que acontece. Sim, tudo que você imaginou e um pouco mais. A liberdade completa vira morte, roubo e destruição. Por isso, não fique em choque se for trucidado ao primeiro contato. Ou for assassinado enquanto tentava pacificamente coletar recursos, cuidando da sua vidinha ridícula.

Matar e esculachar parece ser a regra. Relato de um dos revisores da versão PC na Steam:

Imagine o seguinte: você carregou Rust pela primeira vez. Você está empolgado. Você junta e junta material. Você constrói, constrói.

Aí vem um cara num traje de proteção com uma semiautomática e o mata. E abusa de você. É então você percebe que a sociedade é uma coisa cruel e esse jogo é pior dela.

Abusar, no caso, é um tipo de "evolução" do velho teabagging, já que é possível tirar roupas dos mortos. Acho que não preciso explicar muito.

Que tal enturmar novatos em seus grupos, construir abrigos ou até formar uma sociedade complexa e protegida de vândalos? Boa parte dos jogadores no PC parece tomar outro rumo: do caos. Coisas impublicáveis são ouvidas no microfone, como relatou o revisor do Game Informer na época do lançamento:

A toxicidade que eu já presenciei é desanimadora. Encontrei comportamento preconceituoso e perturbado com frequência, de jogadores gritando ofensas raciais e simulando ataques sexuais até a cadáveres. Conforme as interações de mau gosto e os glitches se acumulavam, minha apreciação pelas boas qualidades de Rust diminuíam. Você pode baixar o volume até emudecer o chat, mas isso é basicamente se afastar das histórias que emergem de Rust.

Quase chegando

rust game steam
Prepare-se para conhecer o pior da humanidade em Rust. E não se surpreenda se um maluco com um traje desses aparecer para matá-lo no primeiro dia por ali.

Se você gosta da ideia de nascer pelado, muito grinding, combate, barbárie e lutar pela vida num mundo cão, experimente Rust. Será que o público dos consoles reagirá diferente? Construirão um grande e pacífico universo de cooperação? ?

O port é produzido pela Double Eleven e não pelo desenvolvedor original, Facepunch. Deve chegar na primavera americana – ou seja, no máximo até junho. Mas se não tiver paciência para esperar, vá aquecendo com a versão PC na Steam.

Daniel Lemes
Fundador do MB, quase mil artigos publicados em dez anos pesquisando e escrevendo sobre games. Ex-seguista, fã de Smashing Pumpkins e Yu Suzuki.

Deixe seu comentário

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui

Mais recentes

Mais lidas