Dez filmes baseados em games – fictícios, mas deviam existir

Se você tem alguns milhões de dólares sobrando e quer investir num filme baseado em videogame, roube minhas ideias de elenco e script.

4
399

Com o sucesso de Tron (1982), primeiro a abordar o videogame com destaque no cinema, os estúdios procuravam uma forma aceitável de moldar roteiros e personagens de jogos às telonas em live action. Nem sempre — ou quase nunca — missão simples, dada a tão peculiar "liberdade artística" dos videogames. Como transcrever um personagem em forma de bolinha que come pastilhas? Ou um gorducho que pula várias vezes a própria altura, entra por canos e quebra blocos com a cabeça?

Essa dificuldade gerou meio que uma "maldição", em que filmes baseados em games amargam fracassos desconcertantes, ou no mínimo passam longe do sucesso da obra inspiradora. Um dos primeiros, e mais icônicos exemplos desses desastres, tentou explorar nada menos que um dos games mais populares já feitos, Super Mario Bros., em 1993 — que como revelado no livro Console Wars, teria o grande Dustin Hoffman como o encanador pançudo:

A Lei de Murphy deu as caras quando [o diretor de Relações Públicas] Bill White, apontado pela Nintendo para cuidar do filme, recebeu uma ligação do [produtor Roland] Joffé dizendo que Dustin Hoffman estava extremamente interessado no papel de Mario. White ficou chocado com a notícia, acreditando que o ator tinha o set perfeito de habilidades para atingir as metas ousadas da Nintendo: a faceta dramática do adulto (Rain Main), as excentricidades cartunescas do jovem (Hook), e a habilidade de ser levado a sério numa atuação boba (Tootsie).
[... Minoru] Arakawa não compartilhava desse entusiamo. Em vez disso, ele só meio que coçava a cabeça e dizia que Hoffman não era o ideal. No estilo tradicional de Arakawa, quanto perguntado a razão específica da negativa, o presidente da Nintendo of America pensava um pouco, olhava de lado e calmamente dizia não antes de partir para a próxima opção.

Depois de chutar também Tom Hanks, terminaram com Bob Hoskins, que sequer sabia quem era Mario — só entendeu quando seu filho mostrou o personagem. O resultado foi um caos, em que direção e produção discordavam e atores principais (John Lenguizamo interpretou Luigi) iam gravar levemente alcoolizados, tamanho o desânimo diante da desenhada catástrofe. É motivo de chacota até hoje, com prejuízo de quase 30 milhões, ao contrário do sucesso mítico dos jogos.

E é só um exemplo. Double Dragon também fez a transição de modo desastroso. Dead or Alive é uma piada. Street Fighter, com Van Damme, bem... Acho aceitável o termo "pitoresco". Mortal Kombat foi um show de efeitos especiais meia-boca e coreografias insossas com trilha sonora, e por aí vai...

Mesmo estranho e longe da obra influente que o inspirou, Street Fighter: The Movie foi tratado como produção de ponta da direção até o elenco, e o lucro apareceu. Descobriram que elencos caros e muito marketing bastavam, e vários conseguiriam encher cofres. Tomb Raider, com a já estrela de primeira grandeza Angelina Jolie, custou 115 e fez 275 milhões em bilheterias. Resident Evil, estrelado por Milla Jovovich, também quase dobrou a relação custo x bilheteria.

Mas a crítica em geral não é tolerante com esse tipo de filme. Os dois primeiros Resident Evil foram pra lista dos Filmes Mais Odiados de Roger Ebert. Quase nenhum escapa do massacre especializado: Silent Hill, de 2006, foi elogiado pelo visual, mas considerado fraco; Max Payne, de 2008, rendeu a Mark Whalberg uma indicação ao Framboesa de Ouro; nem o queridinho moderno Warcraft escapou: apesar de bilheterias monstruosas, não convenceu por ser superficial.

Como agradar a todos? A chave da aceitação crítica é ter enredo, bom script? Ou se for blockbuster, o estúdio liga o dane-se para o que vão escrever? Ainda tem uma gama ampla de jogos antigos que poderiam ser portados, alguns há muito esquecidos e que assim, talvez não sofressem com estigmas — e roteiristas de terceira. Pra todos os gostos, daria pra fazer filme cabeça, drama, terror, ação policial e até animação ocidental.

Não levem as montagens muito a sério, foram feitas rapidão pra ilustrar o post, ok?

Nota: se você vai pegar / divulgar / republicar algum ou alguns dos cartazes fictícios, tenha a dignidade de indicar o link para essa página, POR FAVOR.

Snatcher

snatcher the movie fake

Similar: Blade Runner.
Elenco: Ewan McGregor como Gillian Seed, Brittany Snow como Jamie Seed, Guy Pearce como Harry Benson.

Por que fazer um filme? Todo mundo sabe da ligação de Kojima com o cinema, e de como seus jogos tendem a ser narrativos. Snatcher, apesar de ser apenas seu segundo trabalho, carrega o DNA, aquela influência inegável partindo da longa animação de abertura, até a evolução cadenciada do desmemoriado Seed entre desconhecidos inimigos, e o final surpreendente. Pegar isso e roteirizar seria barbada, só fechar um elenco e filmar.

O Ewan McGregor parece caber na pele do caçador de Snatchers investigando a própria vida. Jamie não participa muito no game, mas nas telas teria espaço, com uma loira bonita e hábil a ser a mulher vulnerável com um passado sombrio: meio fora da rota de Brittany Snow, mas talvez ela topasse o desafio. E o Pearce é o próprio Harry, só botar um boné.

Como não é um tão conhecido quanto Metal Gear, Snatcher causaria mais surpresa — e talvez menos preconceito — em públicos alheios aos jogos. Diriam no máximo que é clone de Blade Runner, mas como diria a Chiquinha, "Bom sim, e daí?". Com a equipe de produção certa e gente criativa assinando, uma trama cyberpunk pode ir longe.

O papel "fundamental" deixo pra sua imaginação: quem faria a Isabella Velvet? ( ͡° ͜ʖ ͡°)

Streets of Rage

fake streets of rage move poster

Similar: Máquina Mortífera.
Elenco: Chris Hemsworth como Axel, Kaya Scodelario como Blaze, Michael Jai White como Adam, Vinnie Jones como Max, Liam Neeson como Mr. X, Jay Tavare como Shiva.

Por que fazer um filme? Se filmes de ação são sucesso, muito se deve ao boom nos anos 80 e 90. Foi nesse período que enredos bobinhos com cenas aluciantes sobre policiais fora dos padrões (e/ou da conduta também) dominavam, como Riggs e Murtaugh, o A-Team, Bad Boys e etc. Agradava críticos? Talvez não, mas divertia e faturava.

Chris Hemsworth, vulgo Thor, tem umas fotos de cabelinho lambido em que é só jogar a roupa certa e vira o Axel. A Blaze é complicada, tinha que ser alguém jovem, com a energia de lutadora mas a sensualidade do personagem original. Escolhi a Kaya, mas em dúvida: ela é meio "delicada" pra ser porradeira ou é impressão minha? Michael Jai White é um tanto monstro para ser o Adam, mas com o público aceitando a "licença poética", daria pé.

SoR tem o pacote de clichezões de sucesso. A estrela feminina sexy e forte, um vilão típico, corrupto e temido que ri "mwahahaha" com Mr. X, o herói loirinho para as moças. Se não focar em cenas de luta, inserindo perseguições de moto (Streets of Rage 2), inimigas sensuais (clones da Blaze de SoR 1, ou Electra do 2) barcos como SoR 3 e uns caras engraçados (talvez Skate ou um Abadede idiotizado), sai quase um reboot de Lethal Weapon.

The Secret of Monkey Island

monkey island fake movie poster

Similar: Piratas do Caribe.
Elenco: Macaulay Culkin como Guybrush Threepwood, Jane Levy como Elaine Marley, Tim Curry como LeChuck.

Por que fazer um filme? Os jogos da Lucasfilm, quando não eram baseados em filme, vinham quase prontos para o cinema. Seria praticamente uma evolução natural. Em Monkey Island há elementos o bastante para fazê-lo uma reposição digna à série Piratas do Caribe, com um LeChuck que lembra os tripulantes amaldiçoados do Pérola Negra, e semelhanças entre a "nobre" Elaine Marley e Elizabeth Swan. Além de todos os clichês de piratas que facilitariam a produção, como caça a tesouros e afins.

Confesso que foi difícil pensar um ator principal. Lembrei de Culkin por ter experiência em comédia, mas também capaz de lidar com aspectos mais irônicos e obscuros de Guybrush (viram ele como a versão adulta e psicopata Kevin McAllister, o moleque do Home Alone?). Se tiver uma ideia melhor, comente.

Tim Curry, que já fez um pirata em Muppets na Ilha do Tesouro e dezenas de vilões meio idiotas, seria o nome perfeito para LeChuck, pena que inviável depois de sofrer um AVC anos atrás. Mas continua como o cara ideal pra mim.

F-Zero

fzero the movie fake poster

Similar: Sin City, Speed Racer.
Elenco: Chris Evans como Captain Falcon, Aaron Eckhart como Dr. Stewart.

Por que fazer um filme? Por ser jogo de corrida, muita gente nem lembra que existe um mundo por trás de F-Zero. E quem procurou saber, encontrou uma história, com competições de automobilismo do século XXVI, organizadas por uma megacorporação, e intercâmbio de humanos e aliens. Entre o jogo do SNES e as sequências, essa história foi se aprofundando, fazendo frente a certos roteiros de ficção.

Captain Falcon, personagem mais reconhecido da série, seria bem interpretado por alguém capaz de encarnar o tipo confiante e com um quê de arrogância. Pensei logo em Chris Evans, que fez algo assim com Johnny Storm no Quarteto Fantástico.

Com um pouco de imaginação, daria pra mesclar o mundo corrompido de Sin City com Speed Racer (que tem a Royalton Industries como corporação do mal e claro, muitas corridas e carros). Um filme de ação cheio de corridas violentas, grande explosões, vilões intergaláticos.

Another World (Out of this World)

another world out of this world fictional movie memoriabit.com.br

Similar: 2001, Planeta dos Macacos.
Elenco: Damian Lewis como Lester Knight, ?? como Buddy.

Por que fazer um filme? A aventura de Lester Knight e seu "Buddy" praticamente pede um filme, desde a expressiva (apesar de muda) introdução, com o físico chegando ao laboratório de Ferrari e o espetacular acidente com seu experimento. Até a tela do jogo original, sem qualquer HUD, score ou outras bagaceiras atrapalhando já remetia a uma contemplação um tanto "cinemática" da aventura.

O britânico Damian Lewis, além de parecer com o Dr. Knight, tem a idade certa para um físico jovem (pouco menos de 50 anos). Já o Buddy pediria um sério trabalho de CG.

O criador do jogo, Éric Chahi, inspirou-se muito em livros que ele gostava, como Dune e Hyperion; Planeta dos Macacos é visível em nuances como o mundo governado por "animais" alienígenas e o humano na posição inferiorizada. Daria um filme fantástico, bem fora do padrão.

Chrono Trigger

chrono trigger fictional movie poster memoriabit.com.br

Similar: Up!, Wall-E.
Elenco: animação Pixar.

Por que fazer um filme? Sei que fãs de Toriyama já estão me amaldiçoando por eu ousar falar em Pixar, mas na real nunca consegui pensar nos personagens do jogo com aqueles traços típicos do japonês (embora estejam lá no encarte e artes oficiais). Na minha imaginação, Chrono e cia. se parecem mais com os tipos pixelados, o que abriria caminho para qualquer estilo numa animação.

Embora o estúdio americano costume abordar temas mais leves e divertidos do que tramas cabeçudas com viagens no tempo e heróis que morrem e são ressuscitados, seria sensacional. Afinal, o pessoal mais velho deve ter curtido coisas como Up! e Wall-E, que se afastam um pouco dos clichês infantis típicos.

Phantasy Star

phantasy star the movie ficticious memoriabit.com.br

Similar: Star Wars.
Elenco: Karen Gillan como Alis, Gerard Butler como Odin, William Moseley como Noah, John Glover como Lassic.

Por que fazer um filme? Desde o início, Phantasy Star teve influência, como muitos filmes, de Star Wars. É parte importante de seu nascimento e identidade. Mas em vez de ser só mais um clone ordinário da ficção de George Lucas, Phantasy Star the Movie herdaria elementos próprios da série, como a heroína Alis, o supervilão Dark Force e claro, os lendários itens de lacônia e viagens interplanetárias.

Alis precisaria ser cuidadosamente selecionada. Uma atriz bonita, mas que não seja a "gatinha sensual", pois nunca foi marca dela. Alguém forte e determinada, séria. Parece bem o tipo da Gillan, que fez, entre outras coisas, Guardiões da Galáxia Vol. 2, mais ou menos no gênero. Butler é o Odin perfeito: hábil ao tipo de caráter inquestionável e forte. Moseley, que muita gente vai reconhecer de As Crônicas de Nárnia, tem um certo ar "arrogante" típico de Noah. E Glover, o eterno Luthor em Smallville, é perfeito para o vilão carcamano Lassic. Até imagino ele falando "Vocês querem mesmo atacar um idoso?", pqp.

O enredo teria que se apegar aos primeiros episódios, excluindo o terceiro por motivos óbvios (pra quem não acompanha a série, a Sega fez quase um spin-off).

Tomb Raider

tomb raider raise ficticious poster memoriabit.com.br

Similar: Indiana Jones.
Elenco: Camilla Luddington como Lara Croft, Liam Neeson como Lord Croft, Zack Ward como Konstantin.

Por que fazer um filme? Opa, já fizeram né? Mas esses por aí são umas porcarias. A "maldição do filme baseado em videogame" bateu forte em todos, que não conseguiram nem um décimo da qualidade dos jogos, por mais lucro que tenham dado. Talvez falte uma produção preocupada em trazer aquele nível de diversão inesquecível, que só os clássicos de Indiana Jones carregavam, mesclando aventura, paisagens, fantasia e humor. Quem sabe quando (se um dia acontecesse de) Spielberg botar a mão em Lara, no bom sentido? Ou até Peter Jackson, ou outro diretor que manje de fantasia e aventura, disposto a mais do que um mero caça-níquel.

Vale notar que a série terá um reboot no cinema em 2018. Com direção de Roar Uthaug, de The Wave (drama-catástrofe), deve seguir a linha atual, de Rise of the Tomb Raider, com uma Lara que apanha como louca, muito gelo, aventura e certa carga dramática. Uma escolha óbvia seria a graciosa Camilla Luddington, que fez captura de movimentos e voz de Lara na fase atual. Mas a direção de elenco (de Lucy Bevan, de Cinderella (2015) e Maléfica (2014)) optou por Alicia Vikander.

Como eu queria ter visto a Luddington ao menos uma vez no papel, no meu filme imaginário ela é titularíssima. Mandaria também um respeitável Liam Neeson como o Croft-pai em flashbacks, e o Konstantin com Zack Ward, que é creditado por voz, mas parece ter servido de modelo para o vilão. O enredo seria também baseado em Rise..., com uns toques de Into the Wild, quem sabe uma Lara reflexiva em momentos de solidão.

Metal Gear Solid

metal gear solid hugh jackman movie poster

Similar: Rambo
Elenco: Hugh Jackman como Snake, Michael Fassbender como Liquid Snake, Cillian Murphy como Otacon, Jennifer Lawrence como Meryl Silverburgh, Gary Oldman como Revolver Ocelot.

Por que fazer um filme? A proposta se arrasta há anos e nunca sai. Pra não dizer que não houve nada, teve sim uma produção independente, que agradou alguns, mas cá entre nós, é muito menos do que a riqueza da criação de Kojima merece.

Jackman é quase unanimidade quando se pensa no cara certo para o Snake. Os tipos durões que andou fazendo o credenciam, e ele tem também o físico e aparência similares. MGS tem muitos personagens, a produção não poderia forçar muito o enredo, entupi-lo de informação. Provavelmente seria boa aposta dar destaque a alguma missão, centralizar o filme nela.

Só não sei o filme ideal para a comparação. Talvez um "Comando para Matar" onde em vez de matar todo mundo, o protagonista se infiltra num país fictício sorrateiramente? Poderia ser um enredo original, ou baseado no clássico do PlayStation.

Atualização 09/16: nunca havia percebido o quanto MGS, especialmente os mais recentes, se parece com Rambo; assisti o II hoje e foi até meio assustador. As técnicas de stealth para invadir o campo de concentração, uso de equipamentos, as poucas palavras, está tudo lá.

Shadowrun

shadowrun the movie daniel craig memoriabit.com.br

Similar: Matrix
Elenco: Daniel Craig como Jake Armitage.

Por que fazer um filme? A série de RPG que mistura magia com cyberpunk teve diversos livros-suplementos, entre eles Never Deal With a Dragon, de Robert Charrette, inspiração para o game do SNES. A comparação mais óbvia que me ocorre é com Matrix dos irmãos das irmãs Wachowski, já que o protagonista, Jake Armitage, interage com um mundo virtual e vai descobrindo sua verdadeira identidade aos poucos.

A Seattle caótica, cheia de raças, gangues e perigos caíriam bem tanto num filme quanto num grande jogo em mundo aberto. Rutger Hauer foi praticamente um Armitage em "O Destruidor", de 1992. Ewan McGregor ou Daniel Craig caberiam como substitutos mais jovens e aptos. Como já indiquei o primeiro para ser o Gillian Seed de Snatcher, fica o Craig.

 

Tem outras ideias de enredos, elencos e games antigos que dariam bons filmes? Acha que eu viajei demais em algum? Comente aí!

Artigo anteriorEntrevista com Ossale Kohta, o criador de Alex Kidd
Próximo artigoCastlevania e o dilema moral das desenvolvedoras
Se não tiver conta no Memória BIT, será criada uma. Nada será publicado em seu perfil.
Se já tem conta no MBIT, faça login nela e vincule-a ao Facebook.

4 COMENTÁRIOS

X
Todos os comentários passam por moderação antes de publicados. Se o seu for aprovado, vai aparecer em breve!
  1. Bom, permita-me discordar quando vc aborda o Mortal Kombat. Ruim foi o segundo filme, o Aniquilação, que foi na onda do primeiro... o primeiro é um clássico cara, Lambert, Robin Shou, etc, enfim.

    Os Tomb raider não foram ruins, Jolie foi uma boa Lara.

    Agora Street Fighter realmente nem o Van Damme salvou, o filme é tão ruim que Raul Julia morreu depois de fazê-lo...

    Mario Bros sem comentários, ainda bem que eu era criança quando saiu essa m... pra não dizer outra coisa. Uma pena mesmo.

    Eu queria MUITO um filme do MG Solid, mas se for pra c... com o game melhor nem sair... Shadowrun, cara, me chamam de louco, mas nem sou viciado nesse jogo.

    Phantasy Star seria bacana ter um filme, me identifico mais com os que saíram depois já que não vivi os tempos do master system e o começo da fase do mega (88-92).

    Os outros jogos citados que poderiam virar filmes eu tenho a mesma opinião do Phantasy Star.

    Filme do double dragon? Aquilo é tão ruim que eu nem lembrava mais que tinha filme, Dead or Alive só prestou a mulherada, ficou meio forçado o roteiro e tudo mais, tentaram encaixar tudo num filme só...

    Cara, eu gostei muito de Silent Hill, os dois filmes na verdade. Sério.

    Resident Evil... bom, eu só achei que colocar uma personagem que nunca teve nos jogos (no caso a Alice da Milla Jovovich) f... os filmes, tipo todos eles... uma pena pra uma franquia tão boa.

    Max payne eu achei forçadão demais, adoro os jogos mas no cinema tentaram encaixar tudo de uma vez.

    Bom, é isso aí Daniel, sempre acompanho suas postagens por aqui. Abraço!

    • Olha, tirando o Lambert classicaço como Raiden, não curto nem o primeiro, acho bem mediano... meio canastrão, sei lá HUEAH Tomb Raider é legalzinho, aquela sessão pipoca típica, mas sinto falta de um mais "sério". Acho que o próximo vai nessa linha, e deve ser bom, apesar da atriz que pode ou não funcionar.

      O que eu gostaria muito de ver é o Out of This World, daria um filme fodaço, mas acho que só o Metal Gear tem alguma chance, infelizmente. Abraço!

  2. Destes o que mais anseio é Metal Gear Solid!! Há anos se arrasta um projeto de Castlevania... Não sei se feliz ou infelizmente...

DEIXE UMA RESPOSTA