Top 10 melhores games dos anos 90

Os 10 melhores games dos anos 90: títulos que marcaram gerações e ajudaram a definir o futuro de séries de sucesso.

2316

Montar uma lista com só 10 melhores seja-lá-o-que-for é sempre difícil. A gente precisa dosar no gosto pessoal pra não virar "lista de fanboy". Potencialmente complicado, pois o simples lembrar de itens do passado ativa nosso lado nostálgico e aí como separar o nosso melhor do melhor de fato?

Entre 1990 e 1999 surgiu uma porrada de aparelhos e lançamentos exclusivos, abrangendo uma das eras mais ricas e importantes do mercado de games, com a disputa entre Nintendo e Sega, arcades sensacionais da SNK e Capcom, RPGs épicos da Square e o nascimento ou fortalecimento de ícones. Sem falar do PC que corria por fora, quando jogos de computador eram um nicho razoavelmente pequeno, dos "micreiros" que manjavam das linhas de comando e trocavam ideias por BBS.

A tecnologia mudava rápido: ao contrário de agora, quando o avanço entre gerações só é agudo depois de alguns meses, os saltos eram enormes e percebidos logo de cara. Os quadradinhos do Atari foram soterrados pelos sprites dos 8-bit, seguido pelo boom dos "arcades em casa" nos 16-bit, por sua vez seguido pelo impacto do mundo 3D nos 32-bit... Títulos de começo de geração impactavam tanto que eram candidatos a clássicos instantâneos, e foi assim mesmo com vários.

Que critérios, então, adotar para uma lista difícil dessas? Levei em conta a qualidade geral (gráfico, som, jogabilidade, etc), inovação (quanto ele foi criativo, mudou para melhor o cenário), o fator diversão e a relevância dele na própria geração e para o futuro.

Menções honrosas

Claro que muita coisa importante ficou fora, e há quem vá me xingar pelas escolhas, mas gosto é gosto, né? Para não dizer que os esnobei, começo citando alguns (não ordenados):

  • Super Metroid (SNES, 1994): um dos mitos que a Nintendo construiu, um jogaço enorme de todas as formas.
  • Road Rash (Mega Drive, 1991): mais um da EA que começou no Mega, que se não era top em gráficos e som, compensava com diversão nota 11.
    Um pouco da história de Road Rash.
  • Samurai Shodown (Neo-Geo, 1993): bater de frente com os grandes da luta inovando na jogabilidade era pra poucos, e Samurai conseguiu em grande estilo.
    Review de Samurai Shodown.
  • Toe Jam & Earl (Mega Drive, 1991): quem dera se mais games fossem ousados, malucos e divertidos como esse.
    Review de Toe Jam & Earl.
  • Final Fantasy III (SNES, 1994): nem preciso falar. Só ficou fora do top 10 porque prefiro Chrono Trigger.
    Ficha técnica de Final Fantasy III.
  • Golden Eye 007 (Nintendo 64, 1996): um dos mais influentes FPS, ajudou a popularizar o gênero fora dos PC, um jogo animal.
  • Donkey Kong Country (SNES, 1995): a Nintendo abusou da criatividade no SNES em fim de carreira, e ainda ganhou mais um mascote vendedor.
  • Fifa International Soccer (Mega Drive, 1994): trazendo detalhes inéditos em animação de jogadores e som marcante, o primeiro FIFA pavimentou o caminho da EA no futebol virtual.
    Review de Fifa International Soccer.
  • Diablo (PC, 1996): se tem esse monte de action-RPG hoje, é por culpa de agradeça a Diablo. Ganhou a honra de ser "pais de clones", tipo clones de Doom, clones de GTA, com seus clones de Diablo.
  • Streets of Rage 2 (Mega Drive, 1993): jogabilidade beirando a perfeição e músicas de Yuzo Koshiro fizeram de SoR 2 o adversário perfeito (e melhor) para Final Fight.

Chega de menções, vamos à lista:

Artigo anterior16 grandes fails da Sega e Nintendo
Próximo artigoFilmes: The Stoned Age (Dois Loucos na Noite)