Galeria: 20 melhores games do Mega Drive

Confira uma seleção dos 20 melhores games do Mega Drive. Se não viu seu jogo do coração aqui, opine, diga que não manjo nada e xingue muito no Twitter =D

1642

O Mega Drive foi meu console do coração lá pelos anos 90. Como seguista e então dono de Master System, nem pensava em seguir "carreira" como jogador em qualquer máquina além da sucessora do 8-bit; só assim encontraria a sequência de títulos que já curtia como Phantasy Star, Shinobi, Alex Kidd e tantos outros.

Dito e feito, tive um Mega III quase no fim de sua vida comercial, com o Saturn pronto para estrear, mas isso não importava; mais do que jogar, ao redor dele conheci pessoas, lugares, amigos e ganhei recordações de momentos em família.

Como eu, milhões de brasileiros tiveram uma história com o filho mais famoso da Sega. Mesmo perdendo feio pra Nintendo em sua terra natal, a disputa foi acirrada na América, e a vitória indiscutível aqui no Brasil, além de Europa e Oceania. É muita, muita gente que começou no velho e bom Megão mundo afora, e com tal alcance, vieram centenas de jogos nos mais variados gêneros.

Vários se firmaram como clássicos incontestáveis, desses que conquistam até fãs de outros sistemas. Num universo de quase 1000 games (mais de 900 no Ocidente, sem falar dos exclusivos japoneses), supondo que uns 30% sejam bons, e desses, metade seja excelente, teríamos uns 130 games de alto nível pra comparar.

Leia-se: uma pessoa só montar lista de melhores é sempre missão complicada, pois é difícil jogar tanta coisa ou lembrar de ter jogado. Sem falar que a opinião do autor fatalmente não bate com a de alguns leitores, aí já viu: chiadeira na certa.

De novo, leia-se: essa é a minha lista. Não gostou? Paciência, meu jovem. Toda lista precisa de critérios, senão vira bagunça total, certo? Os meus foram os seguintes, não necessariamente nessa ordem de relevância, mas em equilíbrio (acho):

  • Importância: quanto ele foi importante para o Mega Drive e seu estilo em geral. Influenciou, inovou, definiu padrões? Suba na lista. Por isso, por exemplo, Gunstar Heroes aparece tão à frente de Contra: Hard Corps — embora o segundo seja ótimo, Gunstar é um exclusivo reconhecido pelos feitos técnicos, além de ter sido lançado antes.
  • Qualidade geral: melhores gráficos, sons, controles, etc. Aquilo mais impressionante para ouvidos, olhos e cabeça.
  • Data de lançamento: é natural que os primeiros jogos de qualquer plataforma tenham menos recursos que os finais, afinal os programadores puderam aclimatar-se ao hardware durante anos. Por isso, pra mim tem mais valor um game acima da média em 1990, do que um mediano em 1995 (mesmo que seja superior ao mais antigo em aspectos técnicos).

Gostaria, num futuro próximo, de abrir uma grande enquete para saber a opinião de vocês sobre o tema; quem sabe montar um Top 50 ou Top 100. Por enquanto, fique com a minha humilde seleção dos Top 20 Melhores Games do Mega Drive.

Menções honrosas

Antes, pra não dizer que esqueci alguns caras importantes:

Columns: num mundo dominado por Tetris, eram raros os momentos de criatividade em puzzles, e a Sega teve muito sucesso com as colunas de joias coloridas.

Ecco the Dolphin: impressionantes gráficos para seu tempo, Ecco tem mais o perfil da Nintendo, com temática tão politicamente correta e um herói perfeito para crianças. Game calminho e cerebral, para jogar sem pressa, apreciando os cenários.

NBA Jam TE: um dos casos em que uma conversão de arcade ficou tão boa no Mega Drive quanto no SNES, ou até melhor em alguns aspectos. Diversão total, personagens secretos e as expressões mais-que-clássicas ("boom shakalaka!", "he's on fire!").

John Madden Football: a série foi vital para o Genesis nos Estados Unidos, e apesar do esporte não fazer sucesso no Brasil, apresentou o football pra muito moleque dessas bandas.

The Revenge of Shinobi: talvez o ápice dos jogos de ninja entre as gerações 8 e 16-bit, com ótimos gráficos, músicas e jogabilidade excelentes.
Alien Soldier: outro petardo da Treasure, pra quem curte jogos na linha Contra, com personagens grandes, cheios de imaginação, com animação caprichada, belos gráficos e som sensacional.

Thunder Force IV: a série de shoot'em ups sempre esteve no Mega Drive, e o quarto game é um assombro para olhos e ouvidos — claro que com a costumeira dificuldade dos space shooters.

Castlevania: Bloodlines: apesar de perder graficamente para o abuso do poder do SNES que a Konami fez com Super Castlevania IV, a versão Mega Drive ganha em movimentação e controles mais ágeis.

Strider: quando lançado em 1990, causou furor pela fidelidade ao arcade da Capcom, sendo nomeado jogo do ano pela mídia. Uma das primeiras demonstrações deste potencial do Mega Drive.

Ristar: com gráficos supercoloridos (apesar da paleta pobre do Mega Drive), a estrela com longos braços mostrou jogabilidade bacana num game de excelente visual, comparável aos grandes clássicos; sua falha é não ser lá muito original como aqueles.

Artigo anteriorPac-Man completa 35 anos mais jovem do que nunca
Próximo artigoSaem os primeiros induzidos ao Hall da Fama dos Videogames