Sega anuncia Idola: Phantasy Star Saga para Android e iOS

História gira em torna de monstros trazidos pelo despertar de um certo Dark Falz que se aproxima...

66

A Sega anunciou ontem o lançamento de Idola: Phantasy Star Saga, um RPG free-to-play para Android e iOS. O anúncio veio depois de concluída uma contagem regressiva no site oficial.

A história será baseada numa terra chamada Vandoli, devastada por uma guerra. Nesse lugar onde a magia e a espada são o poder, as pessoas vivem sob a ameça dos "Idola", monstros grandes e de origem misteriosa. Ao mesmo tempo, um deus da destruição chamado... Dark Falz, está no início de sua ressurreição. Adivinhe se o velho conhecido está por trás dos eventos?

Idola: PSS deve ter uma mecânica de Law e Caos durante os combates, mas detalhes de como vai funcionar ainda não foram revelados. Pra quem esperava os velhos personagens, pode ser decepcionante, mas os novos estão aí:

Stella: com voz de Akane Fujita, é a principal heroína da trama. Líder dos White Sheep Knights que luta contra as hordas de monstros. Tímida (sério?), costuma usar uma máscara de ferro em batalha, o que a deixa mais forte e confiante.

Yuri: com voz de Toshiki Masuda, é a contraparte masculina. Tem um passado trágico, com a perda dos pais quando criança. Foi criado como marinheiro por um amigo do pai. Ao conhecer Stella, decide juntar-se ao White Sheep Knights como um dos líderes.

O time de produção inclui Shuntaro Tanaka (Valkyria Chronicles, Sakura Wars, Phantasy Star Online 2) como produtor e redator de script, Tomomasa Chin (Phantasy Star Online 2, Valkyria Chronicles 2) como diretor, e Sho Mutsuura (Phantasy Star Online 2) na direção de arte. A Sega promete mais informações sobre Idola: Phantasy Star Saga durante seu próximo livestream no Phantasy Star Online 2 Station.

Esse é o trailer de anúncio:

E aí?

Odiei. Esperava algo melhor, que nos levasse de volta (ou aos iniciantes, pela primeira vez) ao mundo de Palma, Motavia, Lassic e aquilo tudo. Quem sabe explorar o início, um Phantasy Star Zero, encontrar uma jovem Alis, Nero, etc. A silhueta do Myau no logotipo me deu esperança, que ingenuidade...

O que a Sega apresenta é mais um RPG com cara de anime genérico, provavelmente cheio de microtransações. Só lamento e continuo esperando que acordem para a realidade dos milhões de fãs ocidentais da série, tratada como uma qualquer pela própria criadora.

Não pretendo chegar perto. Mas se jogar, passe por aí e conte o que achou. E só pra lembrar: provavelmente será exclusivo do mercado japonês.

Artigo anteriorAniversário de Phantasy Star rende game para Android e iOS
Próximo artigoA “versão perdida” de Street Fighter Alpha no CPS Changer