Listas: confira sete exemplos de simuladores diferentes, estranhos e doidos

Simuladores estão no meio dos games praticamente desde o início. Da corrida à aviação, esportes e guerras, sempre tivemos opções para viver, numa escala menor, aquilo que nunca poderemos na realidade.

Aos poucos, o gênero foi evoluindo com experiências de sucesso. Nasceram os "simuladores de deus" como Populous e administradores de negócios como Theme Park. Quando ideias pareciam estar se esvaindo, veio uma onda de simuladores de coisas, com simuladores de vida (Second Life, The Sims), administração esportiva e tantos outros que seria difícil descrevê-los.

Mas de uns tempos pra cá – uns 10 anos ou mais – houve a popularização de ferramentas de game design. Com isso, projetos menores e sem tanto compromisso comercial (logo, cabíveis no risco de um resultado estranho e impopular) tiveram meios para sair da imaginação dos criadores.

Em geral, os simuladores estranhos vêm de estúdios pequenos ou caras sozinhos. Mas pelo sucesso de alguns, não devem sair de cena tão cedo. Alguns na lista são obviamente mais sérios que outros, mas tem gosto pra tudo.

Quem nunca sonhou em ser um pombo defecando nas pessoas? Ou uma bela rocha?

Pigeon Simulator

Conhece a frase "estou c4g4nd0 e andando pra sua opinião"? Nenhuma criatura leva isso tão a sério quanto pombos, que podem defecar na nossa cabeça num voo ordinário de um belo dia comum. Se seu sonho é viver essa maravilhosa experiência, tente Pigeon Simulator.

De tempos em tempos, surge um pombo especial, que terá a nobre missão de encerrar o eterno ciclo de submissão aos humanos. É o "pombo escolhido". Cabe ao jogador decidir o que fazer. Exterminar a humanidade e devolver o mundo à natureza? Criar uma coexistência pacífica? Talvez ser o guia de todos da sua espécie para um novo lar, longe das pessoas?

O jogo promete muito caos, tiros de fezes e humor.

Gas Station Simulator

Gas Station Simulator vem com grande popularidade recente na Steam. O que causa estranheza inicial, pois não soa muito sedutora a ideia de trabalhar num posto de gasolina no meio do nada. Mas não se engane, o simulador tem mais do que uma entediante rotina profissional sugere.

Após comprar um velho posto abandonado, o jogador faz um pouco de tudo. Desde administrar até servir clientes e decidir como expandir o negócio – o objetivo é recuperar o empreendimento. Terá também que pintar paredes, renovar a mobília, instalar equipamentos, pagar e contratar funcionários...

Se quiser, teste o prólogo gratuito antes de se aventurar.

Bear Simulator

Seu sonho é algo mais natureba, como ser um animal na natureza selvagem? Comer, caçar, hibernar, repetir? Que tal um urso? Se for o caso, já existe remédio e faz tempo. Bear Simulator, da Farjay Studios (o desenvolvedor John Farjay), foi lançado em 2016 e o enredo é simples.

Você vai jogar pelo ponto de vista de um urso numa região cheia de florestas e montanhas. Sua meta é manter o "estilo urso de vida" e dá pra imaginar o que significa. No caminho, estarão "criaturas vilanescas" como "o horrível coelhinho e o temível sapo". Ande por aí, coma frutas, cace umas presas e colete chapéus para seu urso.

Tudo perfeitamente normal em mais um dia de um urso qualquer.

Viscera Cleanup Detail

Após uma guerra contra invasores do espaço, a raça humana vence. Mas não foi uma batalha limpa. Sua instalação fica cheia de corpos. É onde entra o jogador como um tipo diferente de "herói": o cara da faxina.

Viscera Cleanup Detail, de 2015, é um simulador de limpeza, em que você deve "pegar seu esfregão e arregaçar as mangas porque será um serviço sujo". Não é para um faxineiro comum, mas um "técnico sanitário da estação espacial", que terá que lidar com sangue, vísceras, membros, cartuchos de munição, corpos e outros tipos de lixo que espalhados por toda parte.

Já pensou em quem limpa a sujeira depois de Doom ou Duke Nukem? É sua chance.

I Am Bread

Quando parecemos ter chegado o fundo do poço da esquisitice, você descobre que pode jogar com um... pão. Em I am Bread, o jogador assume o papel de uma fatia de pão. A missão do obstinado pão é se tornar uma torrada. Para isso, ele (ou ela, sei lá) enfrenta todo tipo de obstáculo através do motor de física, aventurando-se pela casa e além dela.

O controle é descrito como "único", mas algumas avaliações na Steam usam adjetivos menos elogiosos. Então, prepare-se para alguma dificuldade até pegar prática e finalmente, como descreve o desenvolvedor, "você vai evoluir de uma fatia de pão desajeitada para um pão ninja".

Discordo sobre torrada ser evolução do pão, mas...

Granny Simulator

Talvez você não tenha a oportunidade de ser uma doce vovó cuidando do netinho um dia, mas alguém pensou nisso também. Ou quase. Em Granny Simulator, de 2019, você joga não apenas como a idosa, mas também controla a criança enquanto eles se perseguem pela casa. Logo vai notar que não é uma relação familiar típica.

Enquanto o papel da velhinha é completar tarefas domésticas triviais como coletar flores no jardim, o bebê quer matá-la, em atos de selvageria incluindo arremessar objetos como garrafas, chaves inglesas e o que mais estiver ao alcance do pirralho. A avó também é obrigada a usar suas ferramentas, como chutes e remédios para demência.

O jogo nunca saiu do estágio Early Access, mas ainda está disponível.

Rock Simulator

Pra fechar a lista, o mais ancestral dos objetos também vira protagonista nos games. Depois de comandar um posto de gasolina, simular a vida de um pão (?) e de um pombo, você será uma pedra. Em Rock Simulator, sua missão é ser um pedregulho que um dia se transformará numa rocha dourada.

E como se cumpre uma missão sendo eternamente inerte? Assim mesmo. Como explica o desenvolvedor, seu herói, como uma pedra, é tudo que você sempre sonhou em ser. "Sem responsabilidades, contas e preocupações". Basta ligar o jogo e assistir ou não enquanto sua pedra digamos, evolui. Não tem jogabilidade. Não tem diálogo. Pedras não falam.

Artigo anteriorGod of War Ragnarök
Próximo artigoKena: Bridge of Spirits
Daniel Lemes
Fundador do MB, quase mil artigos publicados em dez anos pesquisando e escrevendo sobre games. Ex-seguista, fã de Smashing Pumpkins e Yu Suzuki.

Deixe seu comentário

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui

Mais recentes

Mais lidas