Lendas dos Games #7: Lara Croft ficava nua em Tomb Raider?

Em 1996, o estúdio britânico Core Design criou Tomb Raider. Em poucos meses, a aventura da hoje icônica Lara Croft virou fenômeno. Nascidos das cinzas da Gremlin, a Core não era uma superpotência como Sega ou Nintendo. Lara nasceu, cresceu e se desenvolveu a partir do trabalho de uns poucos caras – e uma mulher.

Pequenos estúdios tinham muita liberdade de suas companhias-mãe. Sem tantas camadas entre ideia e criação – e uma indústria ainda florescendo – havia mais liberdade e menos preocupação se algo soava inverossímil como uma aventureira sexy de seios fartos pulando e ralando coxa por aí num shortinho minúsculo.

"Pra mim, sempre senti mais como um lugar onde pessoas talentosas se reuniam para mostrar ideias e habilidades em desenvolvimento de videogames do que um 'escritório de trabalho' de verdade", lembrou Roberto Cirillo, artista que estava na Core entre 1992 e 2003 – e um dos poucos que não trabalhou em Tomb Raider.

tomb raider 1 lara
A icônica Lara Croft no Tomb Raider original. Segundo lenda, código liberaria modelo da personagem nua. Será? Imagem: Core Design

Entre jovens desenvolvedores do sexo masculino, predominantes no segmento, a liberdade muitas vezes virava libertinagem. A hoje engajada Naughty Dog, por exemplo, colocou um easter egg em Rings of Power, RPG meio obscuro do Mega Drive, em que a personagem na tela de logo da empresa surgia com seios à mostra.

Leia também → Top 10 games com conteúdo considerado ofensivo

Com um sexteto pontuado por apenas uma mulher (a designer de cenários Heather Gibson), o time original de Tomb Raider não perderia a chance de incluir alguma sacanagenzinha num produto que apelava às curvas da protagonista, certo?

É o que o senso comum diria. Mas...

Errado

Gibson havia sugerido um jogo 3D no PlayStation e o artista Toby Gard apareceu com a temática de ruínas egípcias, artefatos e a protagonista feminina, uma aventureira britânica cheia de recursos. A intenção de fazer Lara esperta, aventureira mas também sexy teria sido de Gard.

Time que produziu o primeiro Tomb Raider. Da esquerda para a direita: Gavin Rummery (programador), Jason Gosling (programador), Toby Gard (designer), Heather Gibson (level designer), Neal Boyd (level designer) e Paul Douglas (programador).

"Toby estava obviamente tentando fazê-la sexy", disse em 2019 o level designer do jogo de estreia, Neal Boyd, "porque aquilo deveria ser parte da personalidade dela. Ele sempre diz que o mouse escorregou e fez os seios maiores do que ele pretendia, mas quanto disso é verdade eu não sei", brincou.

A febre de Lara Croft foi intensa. Não demorou para aparecer em comerciais até de outros produtos. E demorou menos ainda para se espalhar que a personagem ficaria nua em certo ponto do jogo.

Concept art de Lara Croft
Arte conceitual de Lara Croft: curvas, seios, maiô cavado sob o shortinho. O apelo existia desde a prancheta, mas nudez?

Teria mesmo a Core ido tão longe? Considerando todo o apelo envolvido, fazia sentido acreditar. Muita gente acreditou e procurou incansavelmente como tirar a roupa de Lara.

Nude Raider?

O boato seria de um easter egg em que Lara, após a inserção de um código, apareceria nua pelo resto do jogo. Ao sair de uma piscina em sua mansão, Lara diz "Certo, agora é melhor eu tirar essas roupas molhadas".

Foi o gatilho do boato. Muita gente garantia existir um código para tirar as roupas de Lara e várias versões dele foram aparecendo (e nenhum funcionava). Entre os publicados, um dizia que bastava posicionar Lara perto da piscina e digitar a sequência select, select, bola, bola, quadrado, triângulo, select e R1.

Pior: algumas publicações adoraram a história e começaram a fazer graça. A britânica Computer and Video Games, por exemplo, mandou uma piada de 1º de abril em 1997 em que "ensinava" como tirar a roupa de Lara. Leitores passaram 3 meses tentando até a revista admitir que era lorota.

nude lara hoax cvg primeiro abril
Seção da edição Freeplay nº 15 da CVG: leitores desesperados para ver Lara pelada. Mas era piada.

Os desenvolvedores começaram a não gostar muito – porque já adiantando a resolução da lenda, não existia Lara nua coisa nenhuma. Douglas e Rummery, por exemplo, viam o hoax se tornar mais incômodo conforme crescia. E àquela altura, ele tinha crescido uma barbaridade.

"Nos incomodava porque a) aquilo não existia e b) significava que encontrávamos pessoas em festas que pensavam que éramos pervertidos fazendo jogos pornográficos para crianças", lembrou Rummery, programador do jogo.

Gard jamais teria concordado com o suposto easter egg de nudez. Inclusive, ele deixaria a Core Design pouco antes do lançamento de Tomb Raider 2 exatamente por achar que sua criação estava sendo explorada do jeito errado.

"Tive problemas quando eles começaram a colocar roupas curtas nela e às vezes tirar suas roupas completamente", disse em entrevista de 2004 sobre as ações de marketing ousadas promovidas pela publicadora Eidos. "É realmente estranho quando você vê um personagem seu fazendo essas coisas. Você não acredita. Você pensa 'Ela não pode fazer isso!'. Passei minha vida fazendo desenhos de coisas e eles são meus, sabe? Eles me pertencem".

A saída de Gard da Core foi algo quase insano para o resto da equipe, já que eram um time pequeno e Tomb Raider estava trazendo um dinheiro nunca visto por eles. Ele abriu mão de tudo aquilo ao perder o controle do marketing da personagem.

Empolgou

O mais maluco é que quando a história se espalhou, gente da gerência da própria Core sugeriu que o easter egg fosse adicionado em revisões posteriores. Para eles e principalmente para o pessoal do marketing, aquilo promovia o nome de Lara e da série.

Se o público queria Lara nua, que recebessem. Tanto faz se meia dúzia acharia absurdo: a massa de jogadores da época eram rapazes e meninos.

loaded janeiro 2000 lara croft
O uso saidinho de Lara em marketing teria sido um dos motivos da saída de Toby Gard da Core Design.

"Acho que foi só uma típica reação juvenil", contou Douglas. "Mesmo durante o desenvolvimento, alguém no gerenciamento, talvez meio que brincando, nos pedia algo similar e dizíamos pra caírem fora. Certamente não havia nada no jogo que fizesse aquilo, mas houve um patch feito por fãs no PC algum tempo após o lançamento."

A ideia empolgou mesmo gente da Core – importante frisar, ninguém do design e sim gerentes e marketing. Se dependesse deles, teria acontecido.

"O que surpreendeu um pouco foi o quanto tempo a publisher inclinou-se sobre isso", lembrou Douglas. "Infelizmente, aqueles eram os dias em que toda a publicidade era vista como boa, independentemente de como retratava o personagem."

A série seguiu com sucesso exponencial, tal como a exploração de Lara como símbolo sexual. Assim foi até o reboot de 2013, embora ela não tenha exatamente perdido o status.

Conclusão: falso

Nunca existiu Nude Raider, o infame código que deixaria Lara Croft nua em Tomb Raider. O máximo que aconteceu foi um hoax reproduzido por revistas, que a publicadora gostou e até incentivou o time a levar adiante. Mas ninguém, inclusive o criador da personagem, concordaria com tal coisa.

Ironicamente, a lenda de Lara pelada foi a razão para a criação de outra cena curiosa da série. Em Tomb Raider 2 há uma cutscene dela no chuveiro, com desfecho surpreendente.

"Nossa resposta [à lenda] foi adicionar a cena do chuveiro no fim de Tomb Raider 2, onde Lara atira no jogador que ousa tentar espiá-la se despindo", disse Douglas. Um recado cômico aos assanhados de que enquanto estivessem ali, Lara não vestiria trajes de Eva.

Ao menos não oficialmente...

Daniel Lemes
Daniel Lemes
Fundador do MB, mais de mil artigos publicados, mais de dez anos pesquisando e escrevendo sobre games. Ex-seguista, fã de Smashing Pumpkins e Yu Suzuki.

Deixe seu comentário

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui

Mais recentes

Mais lidas