Cuidado com golpes no Mercado Livre ao comprar jogos e afins

Muito do que acontece é por vacilo – ou ganância – do próprio consumidor. Abra os olhos pois a coisa está feia por lá.

0
64

Resolvi escrever esse post porque a situação está feia, de verdade. Com a passagem da Black Friday, vi cada coisa no Mercado Livre que chega a dar medo. A quantidade de golpistas que infestam o site é nível praga e muita gente cai no papo dos 171 por pura ganância.

Ganância? Sim senhor, ganância. A base de quase toda pilantragem por lá é seduzir o cliente com a proposta de vantagem financeira ao fechar o negócio por fora do sistema do ML.

A abordagem muda, mas o fim da história é sempre o mesmo: alterar os trâmites da venda conforme o site prevê.

mercado livre videogames banner
Bancar o "brasileiro espertão" no ML é porta aberta pra golpistas.

O que vou aconselhar aqui serve especialmente para o Mercado Livre porque é o comércio eletrônico que mais uso. Se você também faz negócio por sites como Enjoei e OLX, terá que avaliar se as dicas se aplicam. Cada mercado tem suas regras e normas de segurança.

Táticas conhecidas

Como disse, a base de todas as táticas até hoje é a mesma. Seja qual for o papinho do anúncio, no final você será convidado a fechar o negócio por fora do site.

Como assim? Bem, entendo que você não goste de comissões do Mercado Livre. Eu também não gosto. Acho muito, como vendedor, dar quase 10% da venda pra eles, sem falar de fretes que às vezes beiram o absurdo completo.

Só que o "jeitinho brasileiro" de escapar das tarifas é a porta aberta que os golpistas precisam. Com a desculpa de fechar o negócio à parte – sem pagar a comissão e com frete menor –, eles escapam também de todas as ferramentas de proteção do cliente.

O site tem medidas de proteção simples mas muito efetivas se usadas:

  • Devolução: literalmente qualquer coisa que você compra pela internet pode ser devolvida em certo tempo, mesmo se aberto o pacote. No Mercado Livre, você pode levar o pacote de volta aos Correios e avisar que é uma devolução. Eles sabem o que fazer e não terá custo. O nome é logística reversa: comprou, não gostou, viu algo errado, mudou de ideia? Coloque no pacote com tudo que estava lá e entregue no ponto de coleta com a etiqueta. Se fechar o negócio por fora, vai ficar com o que receber.
  • Liberação do dinheiro: ao comprar algo, seu dinheiro fica bloqueado por dias ainda depois do produto ser entregue. A história de receber um bloco no lugar do PlayStation não tem mais cabimento. Se acontecer, é só ir ao site e abrir uma reclamação, explicar o que aconteceu e aguardar a moderação.
  • Mercado Envios: o ML acompanha o processo de preparação do pacote, a entrega nos Correios e a chegada ao cliente, tudo de uma ponta à outra. É impossível comprar e pagar por algo e não ter mais contato do vendedor picareta. Ou ele faz o envio ou a venda é cancelada e o valor devolvido à conta do cliente. E não adianta ele enrolar porque como explicado antes, o dinheiro só é liberado vários dias após a entrega.

Então por que ainda existe golpe?

Porque as pessoas não seguem as recomendações. Basta ver um preço muito baixo e já se jogam de cabeça, acreditando em qualquer lorota. Ou tentam ativamente se livrar das taxas.

Exemplo: pesquisei uma RTX 2060, a placa de vídeo da Nvidia. O preço médio por aí é a partir de R$2200. Aí aparece isso em vários anúncios (repetidos, do mesmo vendedor):

rtx 2060 golpe mercado livre

O preço anunciado não foi longe (se bem que essa seria a versão Super, ligeiramente mais cara, cerca de R$2400). Detalhe: ele diz que faz por mil reais à vista. Que bondade, né?

Examine o anúncio e não tem nada de errado. Mas se perguntar, o que eles respondem?

rtx 2060 golpe mercado livre boleto

Não querem o pagamento pelo Mercado Pago, que daria toda a segurança no negócio – inclusive ao vendedor. Querem que você ligue para um celular para saber como receber um boleto. Boleto que você não terá a menor ideia do real beneficiário. E do qual o Mercado Livre não terá nenhuma notificação de que você pagou. Legal, hein?

E o pior é que, por mais óbvio que seja o golpe, tem gente que cai. E depois culpa o site.

Como não cair em golpes

Regra de ouro: faça toda a negociação DENTRO DOS LIMITES DO MERCADO LIVRE.

Isso inclui:

Pagamento com Mercado Pago: seja boleto, cartão ou saldo do Mercado Pago, não importa. Só faça pagamento através de métodos compatíveis com o sistema. Jamais entre em conversa de vendedor "aceito pagamento em dinheiro vivo" ou "vou te passar um boleto mais barato". Ao aceitar, acabou sua proteção, está navegando sozinho.

Não aceite envios por métodos alternativos: com a justificativa de que o frete é alto, golpistas tentarão convencer o cliente a aceitar outras formas de envio. Nem carta registrada é um método oficial do Mercado Livre, portanto se aceitar e receber lixo, pode chorar à vontade. Fora o risco de topar entrega em mãos. Imagine procurar alguém que nunca viu com dois, três mil reais em dinheiro vivo no bolso. Super seguro...

mercado envios
Com o Mercado Envios, vendedor e cliente acompanham a entrega e têm garantias. Recusar o serviço é possível sinal de algo errado.

Só via Mercado Envios: o vendedor recebe do Mercado Livre uma etiqueta para envio do produto. Ele só tem que fazer o pacote, imprimir e colar a etiqueta nele e levá-lo a uma agência. Mais nada, é fácil, limpo e simples. Não existe desculpa aceitável para recusar essa facilidade. Não acredite em "não tenho endereço fixo" ou "não posso usar o Mercado Envios, me passe seu endereço que envio por PAC". 99% das vezes é lorota.

Não faça negócio com quem divulga dados pessoais: abriu o anúncio e já dá de cara com o Whatsapp do vendedor na imagem? Passe direto ou denuncie antes, de preferência. As táticas aqui variam; alguns colocam o telefone disfarçado na imagem, outros nos comentários fingindo que é um dado do produto. Não caia na tentação, estará se abrindo para tomar golpe.

Pesquise o vendedor: assim que confirmar a compra, o Mercado Livre vai exibir o nome completo e o CPF do vendedor. Não ajuda tanto porque golpistas usam nomes e documentos de laranjas, mas sentindo insegurança no que viu, você pode cancelar a compra. Se for lojista com CNPJ, trate de pesquisar a reputação da loja. Sites como o Reclame Aqui servem pra isso.

Não conclua detalhes por fora: o Mercado Livre tem um sistema de chat entre o vendedor e o comprador. Use-o, não fique tratando detalhes por e-mail ou mensagem em redes sociais. Tudo que escrevem na plataforma fica acessível a um moderador e pode ser útil em caso de problema no futuro.

Não finalize compra por anúncios diferentes: essa vi esses dias. O cara anuncia o produto e avisa no corpo do anúncio "Compre mas marque a opção 'Retirar com o vendedor', se não fizer assim terei que cancelar a venda". A pessoa pensa que tudo bem, é só uma entrega em mãos. Mas aí vem o golpe: ele pede que você pague o frete num anúncio à parte, como se fosse um produto. Você paga nos dois anúncios e no que importa, que é do produto principal, terá marcado "retirar em mãos" – sem poder provar que recebeu ou não.

Golpes ao comprar games

Imagem: mohamed Hassan via Pixabay

Há medidas de prevenção específicas para videogames, placas de vídeo e afins. Algumas que você deve lembrar antes de fechar a compra:

Produto de manutenção: no caso de placas de vídeo, vendedores inescrupulosos tentarão esconder caso tenha passado por reparo. Os métodos mais simples, como reballing e reflow, não trazem resultado duradouro e é comum que pifem de novo não muito depois de vencido o prazo da garantia legal (90 dias para lojas e 30 dias para pessoas físicas vendedoras habituais). Indague o vendedor sobre reparos e garantia. Se ele recusar até a garantia legal, não compre ou assuma o risco. A placa pode estar nas últimas.

Importante: garantia legal se aplica quando o vendedor não é alguém que fez daquilo uma profissão ou fonte de renda. Por exemplo: o cara vendeu a placa ou um videogame que usava? Então não se qualifica como um "fornecedor". Já o que tem uma lojinha, mesmo que pequena ou informal, pode ser enquadrado como fornecedor. No primeiro caso, a relação é regida pelo Código Civil e não é possível exigir garantia. Você pode processar a pessoa caso prove que ela agiu de má-fé. O que cá entre nós, é difícil ou até impossível.

Produto "sem teste": o vendedor afirma que o produto "funciona mas vai sem teste". Oras, não testou, mas sabe que funciona? Só porque ligou anos antes? Pense: você venderia por R$200 um produto que pode valer mil só porque está sem teste? Claro que não. Indague o vendedor e se ele ficar bravo ou esquivo com as perguntas, pule fora. Ou prepare-se para receber sucata.

"Original da China": tem muito produto decente vindo da China, mas alguns são falsificações não muito boas. Para placas de vídeo, videogames, controles, carregadores, cartuchos e acessórios, isso é quase sempre verdade. Alguns anunciantes insistem em publicar chamadas como "Placa original chinesa" ou "controle original XBox marca Feir" para confundir o comprador. Clone chinês é clone. Como assim "original"? Não é original, é um clone.

De novo, examine as fotos do produto, procure o item verdadeiro na internet e compare. Se notar diferenças estéticas, falta de etiquetas, rótulos, é quase certo se tratar de falsificação. Talvez você queira um item falsificado, mas não vá pagar preço de original.

Lembre-se que o barato sai caro. Qualquer dúvida, deixe um comentário.

Deixe um comentário

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui