EA confirma medidas após “EAGATE”, escândalo de venda de cards no FUT

Investigação interna segue mas já confirma comprometimento de "número pequeno" de contas e cards.

0
53

A Electronic Arts investiga o que foi chamado de EAGATE, tag que usuários do Twitter levantaram semana passada. Prints de diálogos sugerem que alguns jogadores compraram cards raros do FIFA Ultimate Team por altos valores.

Segundo a denúncia, cartas de Icons (Ídolos), melhores da temporada e talvez outros itens raros foram vendidos "por fora" por um ou mais funcionários da EA. Naturalmente é ilegal, já que a fonte natural são pacotes tipo loot box no FUT.

As mensagens mostram um suposto funcionário da EA oferecendo itens raros para venda direta. Um pacote com 3 ídolos e 2 TOTY (jogadores da seleção do ano) sairia por mil euros. Um card Icon Moments de Ruud Gullit, por mil dólares.

Já uma carta de Moments de Ronaldo Fenômeno sairia por US$2500. O vendedor prometia enviar os cards à conta do jogador corrupto na segunda-feira seguinte.

Como o envio direto seria de um card novo, logo teriam que vir de alguém capaz de manipular cartas sem passar por packs ou outras contas – ou seja, um funcionário ou quem tenha acesso similar.

Sob investigação

Icons estão entre as cartas mais raras do FIFA Ultimate Team. A maioria dos jogadores simplesmente jamais terá uma delas. Mesmo gastando muito com packs, a chance é minúscula. São algo como figurinhas raríssimas.

Uma forma ainda mais rara são os Prime Icon Moments. São versões únicas dos ídolos que comemoram momentos históricos, como títulos. Se tiver sorte estilo Gastão da Disney, você pode conseguir um Maradona da Copa de 86, com média 98, por exemplo.

fifa 21 icons fut

Num primeiro momento, a EA anunciou também via Twitter que estava "consciente das alegações". Adiantaram que "uma investigação está em curso" e caso identificassem conduta imprópria, tomariam ações imediatas.

A empresa confirmou ontem no blog oficial que "um número muito pequeno" de contas e itens foram envolvidos.

Quando nossa investigação estiver completa, tomaremos ações contra qualquer funcionário descoberto por envolvimento nesta atividade. Quaisquer itens fornecidos por esta atividade ilícita serão removidos do ecossistema do FUT e a EA vai banir de forma permanente qualquer jogador conhecido por ter adquirido conteúdo por tais meios.

Apesar de admitir a existência do golpe, ainda não está claro como aconteceu. A EA não parece saber quem vendia as cartas, limitando-se a dizer que a investigação será rigorosa na busca dos detalhes.

Pelo jeito vai dar muito ruim para funcionário(s) e jogadores trapaceiros.

Deixe um comentário

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui