Como configurar o BridgeM1, o media player de ROMs

Com o BridgeM1 você curte o som dos arcades direto das ROMs usando um media player, que também grava em formato WAV.

556

É curioso como a necessidade serve de berço para criações e estilos únicos. No passado, incluir música "de verdade" nos games, sinfonias em alta resolução e amostras de instrumentos reais, era um sonho distante, tangível só com o advento do CD-ROM e seu enorme espaço para dados. Mesmo nos arcades, a gente se contentava com chips eletrônicos, armazenamento reduzido, geradores e moduladores de onda produzindo aqueles timbres peculiares. Muitos detestavam, sem saber que décadas depois ganharia até um gênero próprio para tal arquitetura e estética, o chiptune.

É legal ver artistas de chiptune da nova geração explorando o passado e renovando ideias clássicas, mas nostalgia mesmo está nas músicas originais, mais ainda se sair direto do jogo. E não precisa ser necessariamente jogando, serve o sound test: quem não deu uma paradinha nas opções do emulador para ouvir Street Fighter, Daytona USA ou grandes trilhas sonoras de shmups?

Seria bom se o Winamp, WMP ou seja qual for sua opção rodasse as ROMs. Já pensou só jogar o arquivo lá e aparecer a lista de faixas do game? Isso não dá ainda, pelo menos não com plugins que eu conheça (tem o Chipamp para Winamp, que não faz a mesma coisa), mas existe um programa leve e que de certa forma, é até melhor: o M1.

Ele exibe as faixas de áudio de ROMs compatíveis (a lista é bem grande para arcades e pinballs, e tem até alguma coisa de Mega Drive), e aí é só curtir na maior integridade possível. Permite também gravar as faixas no formato WAV para ouvir no media player que você quiser, converter em outros formatos como MP3, etc.

Vejamos como configurar o M1 com um frontend, o BridgeM1, porque ninguém merece ter que ficar digitando comando pra achar arquivos e outras chateações.

Download e "instalação" do M1

O programa é grátis. Baixe o M1 aqui, escolhendo sua versão (Windows, Linux e Mac).

Donwnload M1

O download mais atual está nesses indicados em azul. Mais abaixo, em Vault, são versões antigas.

Descompacte o arquivo zipado.

Só isso, não tem instalação. Esses arquivos extraídos são a base do M1 — faltam agora duas coisas pra ficar legal: o frontend e colocar o player no lugar certo. Vamos por partes.

Arquivos do M1

BridgeM1

Baixe o BridgeM1 aqui. Tá em japonês, mas calma: só clicar no botão Download que você faz o download de tudo que precisa.

Download do BridgeM1

Descompacte a pasta 7zip dentro da pasta do M1! Virá a janela de confirmação se deseja reescrever um arquivo, que é uma lista de jogos; confirme.

A pasta do M1 agora ficou assim:

Pasta do M1 com bridgem1

Deu pra sacar a estrutura, né? Ali na pasta roms ficarão, vejam só!, ROMs. Coloque games para o programa localizar mais tarde. Se preferir, pode excluir a pasta compactada, só deixei ali pra mostrar que o conteúdo deve ser extraído dentro da M1.

Nota: o programa não acompanha ROMs, e uso de ROMs de games sem ter o original é considerado violação de direito autoral. Use o BridgeM1 por sua conta e risco.

A partir daí seu "arcade media player" já deve estar funcionando. Pra testar, coloque algumas ROMs na pasta, abra o arquivo "bridgem1".

BridgeM1 aberto

Clique no botão com o triângulo (Load) para carregar as faixas do jogo. Se não aparecer nenhum disponível na lista (todos com um X vermelho), clique no botão Rescan para o M1 refazer a busca.

Note que a compatibilidade é só com ROMs em perfeito estado e completas; o game pode até funcionar no emulador, mas se faltar alguma parte, o M1 não vai reconhecê-lo. Caso da minha ROM de Street Fighter II: ela foi encontrada na pasta, mas o ícone de advertência alerta para erros.

ROM com problema no M1

Aí foi só procurar outra ROM íntegra, colocar na pasta ROM e clicar em Rescan...

ROM reconhecida pelo M1

O ícone mudou, sinal de que o programa reconheceu a ROM como íntegra. Para abri-la na lista de execução, dê um duplo-clique nela ou clique em OK.

ROM rodando no BridgeM1

A primeira faixa reconhecida já começa a tocar, que no caso de Street Fighter II, foi a música da abertura. Veja na tracklist que vozes e faixas estão misturadas, mas dependendo da ROM, isso muda, com SFX e faixas em grupos distintos. Pode acontecer também de não aparecer nada na lista de faixas, mas tocar normalmente.

Os botões são aqueles manjados de media players: tocar, pausar, avançar uma faixa, etc. O ícone do alto-falante (Norm) normaliza o volume das faixas. O Mixer é bacana também: dá pra regular o ganho em cada canal / chip do kit. O botão de gravação (a bolinha) faz o que se espera dele: clique para começar a gravar a faixa em execução no formato WAV. O arquivo será salvo na pasta do M1.

Compatibilidade

A maior parte dos games compatíveis é de arcade (o programa é considerado um complemento para o M.A.M.E), mas tem alguma coisa de Mega Drive. Uma coisa chata é que ele não reconhece a ROM se ela tiver qualquer nome de arquivo diferente do esperado. Phantasy Star III, por exemplo, tem que chamar "g_pst3". Se a ROM que você tem está com outro nome, é só renomear o arquivo e depois clicar em Rescan.

Como o programa é direcionado aos arcades, uma sugestão é colocar os arquivos do M1 e BridgeM1 na mesma pasta do seu emulador favorito, e assim ele e o media player compartilharão o acesso à pasta de ROMs. Não haverá incompatibilidade, pode ficar tranquilo.

Leu tudo, não entendeu nada? Então siga o passo a passo em vídeo (player em ação aos 4:35).

Se você é fã do som de arcades do passado e quer gravar as faixas em outros formatos para ouvir por aí, vai gostar do BridgeM1. Pode ir sem medo que é a ferramenta ideal.

Artigo anteriorTriforça: três gerações de Double Dragon
Próximo artigoReview: Black Belt (Master System)