Beavis and Butt-Head reaparecerão com novos filme e série em 2022

Pra quem cresceu assistindo MTV entre os anos 90 e 2000, é impossível não conhecer Beavis and Butt-Head ao menos de nome. O seriado original, transmitido pela emissora entre 1993 e 1997 (com uma expansão em 2011), retratava a vida de dois adolescentes americanos.

Pra quem viu o "clássico cult" Idiocracia, fica fácil entender a pegada de "retrato da imbecilidade". O diretor do filme, Mike Judge, também criou Beavis and Butt-Head, inclusive fazendo suas vozes. No auge, o seriado ganhou até jogos (não muito bons) para Mega Drive e Super Nintendo. E após alguns anos no limbo, a dupla está voltando.

Judge mostrou no Twitter esboços dos personagens envelhecidos, confirmando que reaparecerão ainda em 2022, com um novo filme pela Paramount+.

O site de entretenimento The Wrap lembrou que o filme abre caminho para uma nova temporada da animação, que será exibida pelo Comedy Central. O canal teria encomendado duas temporadas.

Na ocasião, Judge brincou que "Parecia a hora certa para ser idiota de novo".

Pré-idiocracia

Beavis and Butt-Head foi, quase dez anos antes de Idiocracy, um retrato caótico, pela visão de Judge, dos comportamentos bizarros da sociedade americana e por extensão, da humanidade. Os dois moleques são "criados" pela televisão e quando não estão assistindo e fazendo os comentários mais sarcásticos e ofensivos possíveis, tocam o terror pela cidade.

Ao menos na série original, limite era uma palavra que a dupla desconhecia. O Rei do Pedaço (King of the Hill), seriado satírico de humor posterior de Judge, parece um desenho infantil perto das aventuras clássicas dos fãs de GWAR que comentavam videoclipes e frequentavam uma escola onde as poucas figuras sadias eram o professor hippie e a blasé inteligente Daria — que chamada por deles de "Diarreia", ganhou spin-off.

Vários episódios foram acusados de provocar comportamento violento. Em Comedians, eles incendeiam uma casa noturna. Em 1993, uma criança de cinco anos, que assistiu o episódio, incendiou a própria casa causando a morte da irmã, de dois.

Beavis e Butt-Head no sofá
Beavis e Butt-Head no sofá: onde passavam grande parte do tempo assistindo TV e tendo ideias de jerico. Como serão no auge das redes sociais?

Já em Ball Breakers, Beavis joga uma bola de boliche com explosivos do alto de um telhado. Um cara de 18 anos fez parecido (sem os explosivos) do alto de uma passarela; a bola quicou na rodovia e invadiu um carro, matando um bebê. A mídia acusou a produção; mais tarde, autoridades confirmaram não ter indícios de que o autor do crime conhecesse aquilo. Mas a fama estava feita.

Ao revisar o filme Beavis and Butt-Head Do America, de 1996, o lendário crítico de cinema Roger Ebert escreveu uma excelente definição da criação de Judge:

Seria fácil atacar B&B como preguiçosos ignorantes, vulgares, depravados e repulsivos. Claro que eles são. Mas seria errar o ponto, que é o fato dos personagens de Mike Judge refletirem partes da sociedade que os produziu. Estudar B&B é aprender sobre uma cultura de narcisismo, alienação, analfabetismo funcional, gratificação instantânea e zumbificação da televisão. Aqueles que deploram Beavis e Butt-Head estão confundindo os mensageiros com a mensagem.

Voltar agora, com movimentos antivacina, terraplanista e outros que vivem na própria bolha de obscurantismo a todo vapor, parece o momento perfeito para a dupla que não precisava de mais do que uma TV. Surrupiando outra frase de Ebert, "Beavis e Butt-Head representam uma versão extrema de pessoas que vemos ao nosso redor todos os dias".

Daniel Lemes
Fundador do MB, quase mil artigos publicados em dez anos pesquisando e escrevendo sobre games. Ex-seguista, fã de Smashing Pumpkins e Yu Suzuki.

1 COMENTÁRIO

  1. época boa era quando passava o desenho em meados de 97 na MTV, época do comercial do garoto enxaqueca, bons tempos de antigamente!!!! Saudade dos anos 90...tudo era bom: jogos de 8 e 16 bits, filmes, amizades e nada de pandemia!!!! valeu!!!!

Deixe seu comentário

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui

Mais recentes

Mais lidas