Yuzo Koshiro: a influência de Eurodance na trilha de Streets of Rage

Koshiro usou (e abusou?) do que tocava nas danceterias noventistas para criar uma das melhores trilhas da história dos games.

1055

Streets of Rage, clássico de porrada da Sega, não é chamado de "clássico" só pelo gameplay ou qualidade técnica. Olhando bem, ele não chega a ser nada de inovador como beat'em up, apesar dos ótimos gráficos (principalmente os 2 e 3). A jogabilidade do primeiro também não é tão especial. Foram sim ótimos jogos, mas o destaque, o que empurrou a fama pro céu mesmo, foi o som.

As influências de Yuzo Koshiro são inegáveis. Ele abusou do que era o hit de rádios no mundo naquele começo de anos 90: as batidas do Eurodance, como ficou conhecido o movimento de artistas de dance music, principalmente europeus. Koshiro não era nenhum novato no negócio, já havia criado belezas como as trilhas de Ys (PC-88), ActRaiser (SNES) e The Revenge of Shinobi (Mega Drive), mas a conexão com o pop surpreendeu pela novidade e resultado.

Yuzo Koshiro no estúdio
Yuzo Koshiro no estúdio: para aprender a tirar o máximo dos chips de áudio de consoles, muitas gambiarras.

Apesar de jovem, tinha centenas de músicas compostas e talento de sobra pra tirar sons incríveis dos então limitados chips de áudio. Ainda faltava um tempinho até os games em CD virarem o padrão e nessa era, ele se firmava como o Rei do Chiptune.

Em The Revenge of Shinobi, de 1989, Koshiro já dava mostras que queria misturar batidas dançantes e games. Continuou trabalhando para a própria Sega, como em Sonic (Game Gear), mas foi quando a divisão AM7 produziu Streets of Rage que ele surpreendeu o mundo com uma coleção de faixas absurdas de boas. A simulação de instrumentos, a quantidade de sons sobrepostos parecem não sair de um videogame com suas limitações de canais, mas direto do computador do compositor.

Segundo o próprio, as influências de dance, house e o chamado Eurodance foram responsáveis por seu trabalho em SoR:

Fui a muitos clubs / discos e escutei muito dance music na época. Deve ser a razão pela qual minha música durante aquele período foi influenciada por dance. SoulIISoul, Black Box, Maxi Priest e Carron Wheeler eram alguns de meus artistas favoritos.

Koshiro merece um artigo à parte, com tudo sobre sua vasta e criativa carreira. Por enquanto, basta saber de onde veio a inspiração para Streets of Rage, a trilha que o elevou de grande compositor para gênio na indústria dos videogames.

Isso porque ninguém sabia ainda o quanto de mitagem ele faria em Streets of Rage 2.

Streets of Rage - tela título
Só o cara sendo muito fodão pra ter o nome da tela-título.

Separei vídeos que são 100% a "cara" de Streets of Rage, e a maioria é do período em que Koshiro frequentava os clubes. Quem não viveu o tempo talvez não tenha noção exata de quanto forte foi, mas resumindo: mesmo quem nunca pisou numa danceteria na vida conhecia as músicas, porque tocou demais.

Meus primeiros contatos foram no começo dos anos 90, com coisas como Technotronic, La Bouche e Corona, e mesmo que não fosse baladeiro, tive um período muito fiel a esse gênero, entre 1993 e 1994, quando estudava à noite e comecei a ouvir por influência de amigos. O lance durou com alguma importância até quase o fim dos anos 90, mas em 96 eu havia perdido o interesse, assim como o resto do mundo foi largando aquilo até o fim da década.

Sendo um lance bem localizado e peculiar daqueles tempos, restam ótimas lembranças do dance noventista, de quando você era jovenzinho e ia "pra night" usando calça bag, com o chevetão emprestado do pai. Ou para nós nerds, de quando jogávamos Streets of Rage pensando nas músicas que tocavam no rádio.

SoulIISoul - Jazzie's Groove

Ouça a base e veja como é similar a várias faixas de Streets of Rage. Influência inegável (não que ele negue, até citou ali na entrevista).

SoulIISoul - Get a Life

50% DNA da intro de Streets of Rage. O Eurodance — e a dance music em geral dos anos 90 — tinha muita mistura, incluindo coisas de hip-hop como trechos de rap e scratches.

Black Box - Ride on Time

Me faz lembrar das trilhas mais rápidas, como da primeira fase. Tem outra faixa deles chamada Fantasy, em que o baixo é parecidíssimo com uma faixa de Streets of Rage 2.

Black Box - Open Your Eyes

Pule para os 0:53. É quase igual uma das faixas de SoR, você vai reconhecer na hora. Aliás, sugiro que procure outras do Black Box, parece que foi A influência para Koshiro naquela fase.

Maxi Priest - Close to You

Mais uma com a mesma pegada geral e que se encaixaria bem no game.

Caron Wheeler - Living in the Night

Só tirar o vocal e colocar em Streets of Rage. Se colocar instrumental numa versão HD do game, ninguém diz que não é do Koshiro.

Indo além das citadas por ele, tem várias faixas (inclusive bem posteriores, de quando o gênero já tinha perdido bastante da popularidade) na mesma pegada:

Dr. Alban - It's my life

Já ouvi isso antes... A batida forte remete à trilha dos chefes.

Ice Mc - Think About The Way

Mais uma que seria fácil de imaginar com a ação de Streets of Rage rolando (aliás, como ouvi essa música...).

Culture Beat: Mr. Vain

Também não foi citada por Koshiro, mas a batida comum caberia tranquilo em Streets of Rage, como uma luva.

Technotronic - Pump up the Jam

Batida comum de dance, bem típica da trilha da primeira fase. Se eu fizesse um HD não-autorizado, meteria essa base nos chefes.

SNAP! - The Power

Tem um clima mais "tenso", no estilo da trilha dos chefes.

Snap - Oops up

Outra que tocou à exaustão, rendeu uma cacetada de piadas infames como "seu c* só sai de ré", "seu c* só sai nenê", etc, berrados nos clubes do Brasil. Lembro também que passou bastante no começo da MTV Brasil.

Enigma - Sadeness Part I

Influência mais que berrante para a introdução de Streets of Rage 2.

The Shamen - Move Any Mountain

Um absurdo de parecida com a música da segunda fase de Streets of Rage 2, parece que o Koshiro fez um remix.

2 Brothers on the 4th floor - Dreams

Essa é de 1994. Streets of Rage 3 é do mesmo ano, mas não teve influência de nada, já que Koshiro preferiu usar um método automático bizarro para compor a trilha (que não ficou legal, pelo menos pro meu ouvido). Lembra os primeiros games.

Mais alguns exemplos de dance e afins, que te remetem na hora para Streets of Rage (clique nas miniaturas para assistir).

Masterboy - Is This The Love

Close to You

Impossible

Voulez Vous Coucher Avec Moi

It's a Rainy Day

Automatic Lover

Rhythm of the Night

Keep on Dancing

Everybody

U Got 2 Let the Music

Life

Sweet Dreams

Não convenceu?

Você deve estar surdo, mas então pra fechar:

Algumas são tão parecidas (caso do The Shamen e Black Box) que não sei como não rolou processo por plágio, outras são reflexo do que ele ouvia. Claro que essa inspiração não tira méritos de alguém considerado um dos maiores compositores e programadores de música para games da história. Ele fez muita coisa além de Streets of Rage, apesar de não ter se dado tão bem, num primeiro momento, na transição para CD. Ter bolas pra tentar algo diferente já seria uma iniciativa e tanto, mesmo que fosse tudo plágio. E a técnica pra conseguir reproduzir esses timbres nos chips eletrônicos, isso ninguém tira dele.

Pena que a Sega não mexe o traseiro gordo e já são quase 20 anos de abandono da série. Em entrevista no começo de 2013, Koshiro disse estar aberto a participar da série se ela sair da gaveta, e incentivou fãs a pedirem isso à própria Sega. Quem sabe na próxima geração não vemos os filhos de Axel e Blaze (alguém duvida que eles terminam juntos?) lutando contra algum parente do Mr. X, com Eurodance direto do túnel do tempo?

Nota: na mesma entrevista, Koshiro fez uma revelação curiosa: sua voz foi usada no grito "GRAND UPPER!" de Axel. Você pode ouvi-lo "imitando" a voz nessa página (lá no final, no link "here", aos 2:30).

Artigo anteriorSegredo de Shadowrun descoberto 20 anos depois
Próximo artigoNeo Geo X pode continuar sendo distribuído pela Tommo, diz empresa