Jogos do Nintendo 64 no Switch Expansion Pack têm problemas, segundo usuários

Emular o Nintendo 64, console com quase 25 anos, não parece missão difícil em 2021. Há vários emuladores estáveis por aí, que fazem o trabalho com perfeição ou perto disso.

Mas parece que a própria Nintendo não se deu bem ao incluir uma seleção de seu velho 64-bit no Switch. O acesso aos títulos, através do novo pacote de assinatura revelado há alguns dias, está com desempenho abaixo do esperado, segundo usuários.

Mais de um problema é relatado. O primeiro é com o mapeamento dos botões. O controle original do Nintendo 64 tinha só um analógico, com quatro botões pequenos, amarelos, pensados para o controle de câmera – por isso chamados de botões C.

A emulação coloca os botões C nos botões YBXA do Joy Con, enquanto o usuário segura o botão ZL. Claro que nem todos estão gostando disso. Os botões B e A também ficam nos B e A do Switch.

controles do expansion pack no switch
Alguns usuários não estão se dando bem com os controles do Nintendo 64 no Switch.

Até aí tudo certo? Mais ou menos, porque os botões B e A do Switch são alinhados num ângulo muito diferente do Nintendo 64. O melhor jeito seria mapeá-los para os botões Y e B do Joy Con, conseguindo assim uma sensação mais parecida com o controle clássico.

Mas... Não dá pra remapear os botões. Por que a Nintendo não deixa que usuários ajustem o controlem como acharem melhor?

Segundo desconfiança de alguns, é uma forma de "forçar" quem busca a experiência mais original a comprar a recriação do controle. A réplica, vendida à parte para assinantes do pacote por US$ 49, esgotou rapidamente.

Problemas

Mas não é só. Alguns jogos têm óbvio atraso e picotes no som. Em Mario Kart 64 o problema é bastante perceptível; acredita-se que seja causado por algum netcode tentando manter jogadores online sincronizados e no processo, sacrificando a sincronia do áudio.

Outro é com alguns efeitos gráficos. Jogos como The Legend of Zelda: Ocarina of Time sofrem para exibir corretamente efeitos de neblina – algo que nem emuladores ordinários passam.

Veja a diferença entre as versões Nintendo 64, Virtual Console do Wii e Switch (via stopskeletons no Twitter):

Também não parece haver forma de emular o Controller Pak, cartuchinho de memória ligado à porta na parte inferior do controle do Nintendo 64. Com isso, alguns jogos e recursos ficam fora de ação. Em Mario Kart 64, por exemplo, dados eram salvos no Controller Pak para ter o ghost, quando o jogador corre vendo o "fantasma" de sua melhor corrida anterior. Não dá pra fazer – por enquanto – no Switch.

Alguns jogadores também reclamam de input lag, que tornariam certos games quase injogáveis, especialmente online. Embora seja difícil provar cada percepção pessoal, a questão dos botões é inegável e resta aguardar a Nintendo se manifestar.

Solução futura?

A assinatura do Switch Online com o Expansion Pack, requerido de jogadores que queiram acesso aos games do Nintendo 64 e Mega Drive, custa R$ 262,99 no plano anual individual. O plano família, para até oito usuários na mesma conta, sai por R$ 421,99 por ano.

É mais que o dobro dos planos sem os sistemas: R$ 100 e R$ 175, respectivamente. Pesado, Nintendo.

Daniel Lemes
Daniel Lemes
Fundador do MB, quase mil artigos publicados em dez anos pesquisando e escrevendo sobre games. Ex-seguista, fã de Smashing Pumpkins e Yu Suzuki.

1 COMENTÁRIO

Deixe seu comentário

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui

Mais recentes

Mais lidas