Review Alien vs Predator, beat’em up de primeira no arcade

Como de costume, a Capcom desovou um ótimo beat 'em up baseado nos dois monstregos alienígenas do cinema.

902

Quando se fala de beat'em ups nos anos 90, vêm à memória clássicos da Capcom como Cadillacs and Dinosaurs, Captain Commando e claro, Final Fight. Jogos de porrada em geral sempre foram domínio deles, e um título nem tão reconhecido — muito por não ter sido portado para consoles — mas que merece tranquilo lugar entre os melhores do gênero é Alien vs Predator.

Lançado em 1994 para o CPS2 e com prometidas (e nunca cumpridas) versões para sistemas domésticos, o game é uma beleza em termos gráficos e técnicos, tem ótima jogabilidade e ação de monte. Com modo cooperativo em  até três pessoas simultâneas em algumas máquinas, usa times compostos por humanos modificados, os famosos ciborgues, e predadores, tentando exterminar a praga invasora que tanto trabalho deu a Ripley.

É isso mesmo, não escrevi bobagem nem você leu errado: os alienígenas não são amiguinhos querendo acabar conosco, eles estão de lados opostos. Um grupo quer transformar a terra num caos cheio de ovos e larvas, enquanto o outro não diz exatamente porque, mas está ajudando...

A liga da justiça

A história tem vaga semelhança com a trama do filme (o jogo veio quase dez anos antes): humanos e predadores, sempre rivais, são obrigados a unir esforços para eliminar os pestilentos aliens com sua mania de despejar larvas pra todo lado. Por quê? Quem sabe, talvez os predadores tenham medo de perder um playground tão interessante quanto a Terra, ou achem divertido caçar aliens.

O Major Dutch Schaefer e a Tenente Linn Kurosawa, dois humanos "melhorados" (com partes cibernéticas) lutam ao lado de dois predadores — um guerreiro e um caçador — para controlar a infestação numa Califórnia futurista. No caminho passam por vários ninhos de alienígenas, alguns hospedados em soldados humanos e até cadáveres, e descobrem que a praga se espalhou depois de uma ação desajeitada do próprio exército.

Personagens de Alien vs. Predator

O enredo foi baseado em script do que seria um filme da 20th Century Fox (note o crédito na tela-título), mas o estúdio desistiu dele, ou pelo menos atrasou a produção "só" em dez anos. Quando enfim apareceu em 2004, estava bem diferente do script original. Assim, o game da Capcom tem um universo novo em relação ao que vimos no cinema.

Gráficos

Excelentes. Usando todo o poder da então fresquinha placa CPS2 — lançada um ano antes  a mesma de pérolas como Street Fighter Zero, Darkstalkers Revenge e Marvel vs Capcom (ou seja, parruda para jogos 2D), os personagens são grandes e bem desenhados, assim como os inimigos.

Cutscene Alien vs. Predator
As cenas intermediárias acrescentam muito à narrativa

Os cenários são detalhados, com animação por toda parte, muitos objetos recuperáveis, e principalmente muitos inimigos na tela ao mesmo tempo, sem nenhum indício de perda de quadros.  Certas etapas deixam dois chefes e mais uma horda de aliens e larvas surgir ao mesmo tempo, soltando disparos e correndo, tornando a tela frenética, tudo com bastante movimento. Explosões tem cores vivas de fogo, e as cutscenes são bonitas e parecem que ficam melhores quanto mais próximas do final.

Essas cenas na passagem de fase são complementadas por pequenas animações com diálogos dentro das fases, como antes de chefes ou pontos críticos; nesse momento aparecerá "demonstration" no canto da tela, deixe o personagem seguir sozinho. Isso desenvolve uma narração que complementa a ação. Típico de outros games da Capcom como Cadillac and Dinosaurs.

Jogabilidade / controle

Uso de armas em Alien vs. Predator
Armas são encontradas pelo caminho, como metralhadoras e lança-chamas

Com movimentos em todas as direções, uso de armas de fogo e brancas somadas ao combate corporal, jogar Alien vs Predator sai do padrão "soco-pulo-voadora-agarrão", mas é divertido e fácil. O controle responde bem, com três botões que acionam ataques manuais, tiro e pulo/ataque deslizante, mais as combinações com o direcional que dão um clima fighting total, com voadoras especiais, rasteiras, agarrões com arremesso ou um golpe que acerta em todas as direções (ao custo de um pouco de energia) e pode livrá-lo daqueles momentos em que hordas de aliens estão ao redor. O predador Hunter tem até um tipo de shoryuken (⬇️⬆️ + ataque), muito bom para usar em combos finalizados por disparo.

overhead em alien vs predator
Se estiver sobreaquecido, a arma deixa de funcionar até esfriar de novo

Todos os personagens têm armas de fogo com munição infinita, mas precisam de uma pausa ou para recarregar, ou para evitar superaquecimento (com o aviso de "overheat!"), portanto não dá pra atirar como desvairado: calcule quando gastar pra não ficar na mão no momento de necessidade. Armas pessoais devem ser economizadas enquanto você usa outros trabucos pegos pelo caminho, esses sim com munição contada. Algumas são muito poderosas e se estiverem na mão do inimigo, serão problema.

As características de cada um vão ajudar ou atrapalhar dependendo do seu estilo: Dutch é pesadão e forte, com golpes lentos mas poderosos, enquanto Linn é mais ágil e menos resistente. Os predadores são parecidos, com um tiro excelente (lembra daquele tiro tipo míssil do filme?) mas que enche a barra de sobreaquecimento rapidinho, então use com sabedoria. Se achar um power up pelo caminho, você ganha dez segundos para atirar sem parar, e é quando a alienzada sofre. Os predadores têm também bons golpes e combinações, mas se perderem a arma, é preciso recuperá-la, uma coisa meio Samurai Shodown quando perde-se a espada.

As fases variam de prosseguir lateralmente por trechos sobre elevadores e veículos cercados de inimigos. Apesar de classificar o game como beat'em up, já que o combate manual é mais intenso, ele tem elementos de hack and slash, com muito uso de armas, principalmente os predadores.

Power up em Alien vs. Predator
Power up: quando pegar, atire como louco e faça um massacre contra os aliens. O número indica o tempo restante

Dificuldade

Você não vai conseguir usar as míseras duas vidas para terminar o jogo até pegar boa prática, então acostume-se com a tela de continue. Há itens pelo caminho que recuperam um pouco ou bastante energia, como kits médicos (enchem toda a energia) e os tradicionais rangos de games, tipo pizzas, carne assada, sanduíches e refrigerantes.

O Mad Predator na sexta fase é mala, movimente-se bastante
O Mad Predator na sexta fase é mala, movimente-se bastante.

Muitas armas estão disponíveis, como metralhadoras, granadas, lança-chamas e outras coisas que vão melhorar seu poder de fogo natural. Espadas, facas e porretes também são vistos e o combate corpo-a-corpo é vital em horas  de aperto — aperto literalmente, já que inimigos podem aparecer aos montes, precisando ser devidamente repelidos. O golpe que acerta em todos os lados ao custo de um pouco de energia é um alívio quando diversas larvas estiverem pulando em cima de você.

Alguns personagens simplesmente atiram o objeto no inimigo se tiverem menos habilidade com ele, enquanto outros vão usá-lo. Linn, por exemplo, manja das armas brancas e pode fazer arte com espadas, mas tem a desvantagem de ficar parada recarregando sua arma de fogo quando acaba a munição, o que não acontece com Dutch e os predadores.

As fases são razoavelmente curtas e tirando a infestação de inimigos, a maior dificuldade aparece nos chefes. Eles começam a se repetir a partir da quarta fase e no final aparecem em dose dupla e em grupos mistos, tipo chefes de fases diferentes juntos, em duplas e até trios. O único que não reaparece é o Mad Predator (um predador infectado por um alien), felizmente para sua pele.

fase da invasão alien vs predator
Na fase sobre o veículo não tem overheat, atire pra todos os lados pois aliens pulam sobre você

Som

As músicas não são exatamente memoráveis, limitando-se a temas acelerados e dramáticos para dar um clima de tensão às lutas. Já os efeitos e vozes são muito bacanas, com gritos, grunhidos, gemidos e ruídos altos e claros, como explosões e tiros. Alguns são bem característicos, como a "voz" dos predadores, que vão fazê-lo sentir-se no ambiente do filme.

Conclusão

Especialmente divertido para jogar em dupla (ou em trio, se você tiver como), Alien vs Predator pode ser chamado de uma joia perdida, já que a falta de um port doméstico restringiu seu público aos frequentadores de arcades, e bem mais tarde aos fuçadores de emuladores.

Com mínimos pontos negativos, ou menos positivos, como a trilha sonora, mas muitos acertos como excelente controle e jogabilidade, gráficos caprichados e até uma história no meio do caos que poderia ser mesclar duas tramas de ficção tão reconhecidas, o jogo foi uma evolução dos beat'em ups clássicos da Capcom que você já conhecia e adorava.

Então, vá a luta, é "time to hunt!"

tela título Alien vs Predator

Time to hunt - alien vs predator
Hora de caçar - e dessa vez os humanos são aliados
chefe de fase - alien vs predator
Chefe da terceira fase: acompanhado de uma corja de aliens
comida em alien vs predator
Refrigerante, sanduba: fast-food faz bem ao predador
ultimo chefe - alien vs predator
No último chefe, a rainha dos aliens, com uma barra de life pequena...
final do jogo alien vs predator
Quer ver o final completo? Então...

Tela de continue alien vs predator

Gráficos: 8.00
Efeitos Sonoros: 9.00
Música: 6.00
Jogabilidade: 9.00
Controles: 10.00
Criatividade: 8.00
Enredo: 8.00
Carisma: 7.00
Artigo anteriorEspecial Phantasy Star III: Generations of Doom (Mega Drive, parte 1)
Próximo artigoEspecial Phantasy Star III: Generations of Doom (Mega Drive, parte 2)