Crazy Taxi (Dreamcast)

Versão do arcade de 1999, Crazy Taxi tem a premissa simples - dirigir um táxi - mesclada com manobras e ingredientes de mundo aberto.

0
4

Crazy Taxi é um jogo de corrida e ação, desenvolvido por Kenji Kanno pelo estúdio Hitmakerm, e publicado pela Sega em 2000 para o Dreamcast. Foi o primeiro da série Crazy Taxi, iniciada no arcade um ano antes.

A jogabilidade é baseada em dirigir um táxi, pegando passageiros e os entregando em seus destinos o mais rápido possível. Durante a ação, podem ser realizadas manobras que geram pontos. Uma das marcas de Crazy Taxi foi a trilha sonora das bandas de punk rock Bad Religion e com destaque, The Offspring com a faixa All I Want.

História e desenvolvimento

A versão Dreamcast foi lançada em 2000, meses depois do jogo original para arcade. Kenji Kanno, produtor do Crazy Taxi, observou que a extensão do tempo na jogabilidade criou o padrão de pagar “100 ienes por 3 minutos”, então dominante nos jogos de arcade, e recompensou os jogadores com partidas mais longas se apresentassem bom desempenho na partida. Embora consoles não dependessem disso, a jogabilidade original foi bem recebida e por isso mantida no modo arcade da versão.

Kanno queria que o jogo explorasse a “vida cotidiana e a rotina” de um taxista. No desenvolvimento da versão Dreamcast, eles decidiram incluir um mapa maior para criar a sensação de “estar perdido” e permitir que os jogadores se divertam “conhecendo a cidade”. Os minijogos foram desenvolvidos como ferramenta para melhorar a habilidade, oferecendo desafios divertidos. A equipe teve centenas de ideias para minijogos, mas depois foram reduzidas para os desafios que ficaram no Crazy Box.

Jogabilidade

O objetivo principal em Crazy Taxi é pegar e levar passageiros ao destino escolhido o mais rápido possível. Ganha-se dinheiro extra realizando acrobacias, incluindo situações perigosas com outros veículos. O jogador é direcionado por uma grande seta verde no topo da tela, que ignora obstáculos mas aponta a direção do destino. Quando o jogador se aproxima do destino, ele deve parar dentro de uma região demarcada, recebendo o valor da tarifa da corrida. Classificações são concedidas dependendo de quanto tempo o jogador levou para completar a corrida. Se o cronômetro do cliente acabar antes que o jogador chegue ao destino, o cliente pulará do táxi sem pagar o motorista.

Os jogadores podem selecionar configurações de três, cinco ou dez minutos, ou as regras de arcade. Nas configurações limitadas no tempo, o jogo segue por um tempo designado, após o qual o táxi para automaticamente e não se marca mais pontos. Sob regras de arcade, o jogador começa com um limite de tempo inicial de um minuto, estendido por bônus de tempo ganhos por entregas rápidas. A versão console do jogo também apresenta um modo conhecido como Crazy Box, um conjunto de minijogos com desafios como pegar e entregar certo número de clientes num limite de tempo, jogar boliche como se o táxi fosse uma bola e estourar balões gigantes em um campo.

O estágio “Original” veio do arcade, apresentando localidades inspiradas nas regiões costeiras da Califórnia, com semelhanças fortes com São Francisco. O jogador tem quatro pilotos e seus táxis para escolher, cada um com atributos ligeiramente diferentes.

Recepção e legado

As vendas da versão Dreamcast fora altas, fazendo dele o segundo maior do Dreamcast nos Estados Unidos, com quase 750 mil unidades. A versão foi aclamada pela crítica, com média de 90% no site GameRankings, baseado em 37 resenhas.

A crítica especializada elogiou a jogabilidade em geral. A IGN deu destaque ao fator aditivo de Crazy Taxi, e falando especificamente da versão Dreamcast, a Game Revolution afirmou que “um ótimo jogo arcade se tornou um bom jogo doméstico”, notando a alta dificuldade mas acrescentando que apesar disso, não era frustrante. Embora a trilha sonora tenha agradado de forma geral, a Game Revolution sentiu que as faixas eram repetitivas. A GameSpot achou que a trilha sonora era subjetiva à preferência pessoal, afirmando que “ou você quer aumentar o volume, ou baixá-lo totalmente.” Em review da versão PC, a GameSpot recomendou a versão do Dreamcast, por melhor taxa de quadros.

A Maxim deu nota 6/10 à versão, afirmando que não gostavam “de como pedestres sempre conseguem se esquivar do seu táxi, mas os gráficos da cidade de São Francisco são incrivelmente detalhados”. No Japão, a Famitsu deu à versão Dreamcast pontuação de 34/40. A GameFan deu à versão Dreamcast pontuação de 96%, e a Edge deu às versões Dreamcast e PS2 uma pontuação de 7/10.

O sucesso da Crazy Taxi levou a Sega a produzir várias sequências. Crazy Taxi 2 foi lançado em 2001, seguido por Crazy Taxi 3: High Roller em 2002. A THQ publicaria Crazy Taxi: Catch a Ride, desenvolvido em 2003 pela Graphic State, o único da série para o Game Boy Advance. Crazy Taxi: Fare Wars, compilação de Crazy Taxi e Crazy Taxi 2, foi lançada em 2007 para o PlayStation Portable. Um jogo exclusivo para dispositivos móveis da série, chamado Crazy Taxi: City Rush, foi lançado nas lojas de aplicativos iOS e Google Play em 2014.

Vários jogos clonaram a jogabilidade principal de Crazy Taxi. The Simpsons: Road Rage, de 2001, levou a Sega a mover ação legal contra a Fox Interactive, Electronic Arts e Radical Entertainment. A Sega alegou que o jogo foi uma violação de patente de Crazy Taxi (mecânicas e características como a seta indicadora na tela eram patenteadas). O caso “Sega of America, Inc. vs. Fox Interactive e outros” foi resolvido em particular por uma quantia não revelada. Emergency Mayhem, do Wii, tem a mesma jogabilidade central da série Crazy Taxi, mas acrescentou elementos adicionais. A série Grand Theft Auto teve minijogos obviamente inspirados em Crazy Taxi, como as missões de taxista a partir de GTA III, de 2001.

Trilha sonora

A trilha sonora de Crazy Taxi veio das bandas de punk rock Bad Religion e The Offspring. A faixa que ficou mais conhecida foi All I Want, frequentemente citada quando se fala do jogo. As mesmas faixas foram mantidas nas primeiras versões de Crazy Taxi (arcade, Dreamcast, PlayStation 2 e Gamecube).

Faixa Autor
Inner LogicBad Religion
Ten in 2010Bad Religion
Them and UsBad Religion
Hear ItBad Religion
All I WantThe Offspring
Change the WorldThe Offspring
Way Down the LineThe Offspring
Se não tiver conta no Memória BIT, será criada uma. Nada será publicado em seu perfil.
Se já tem conta no MBIT, faça login nela e vincule-a ao Facebook.

X
Todos os comentários passam por moderação antes de publicados. Se o seu for aprovado, vai aparecer em breve!

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui