Biografia: Hayao Nakayama

Segundo presidente da Sega, Nakayama esteve à frente da empresa entre os anos 80 e 90.

0
9

Hayao Nakayama (中山 隼雄) é um empreendedor e executivo japonês. Nascido em 1932, foi fundador da Esco Trading, cofundador da Sega of America, e presidente e CEO da Sega entre 1983 e 1996. Trabalhou também na Microsoft Japão e Virgin PLAY, e foi CEO da Cavia (depois AQ Interactive) e Pasona.

Atualmente é CEO da Amuse Capital.

Infância e primeiros trabalhos

De origem humilde, Nakayama começou a fazer faculdade de medicina, mas não concluiu o curso. Ambicioso, queria ter melhores condições de vida e buscou uma vaga de trabalho, encontrando como representante comercial de fabricantes de jukebox.

Perfeccionista, tinha talento para perceber falhas e pontos que podiam ser melhorados na empresa. Uma de suas sugestões era que entrassem no ramo de arcades. Mas por ter posição baixa numa sociedade tão estratificada como a japonesa, ninguém lhe dava ouvidos. Não tardou, então, para juntar dinheiro e montar sua própria empresa, a Esco Trading.

Com a Esco, trabalhou principalmente com manutenção de gabinetes para empresas como a Sega. Para crescer mais rapidamente, fez importação de arcades americanos, comprou e vendeu equipamentos usados e até pirateou jogos. Logo a Esco começou a ameaçar empresas já consolidadas, como a Sega. Após reunião com David Rosen, chegaram a um acordo em 1978 --- em janeiro de 1979, a Sega comprou a Esco, e Nakayama se tornou vice-presidente da Sega Enterprises.

Sega

Em 1983, o crash da indústria de games quase levou a Sega à falência. Sua controladora, a Gulf+Western, decidiu vendê-la. Desde setembro, Nakayama passou a ser presidente da Sega, vendida à produtora de arcades Bally.

Em março de 1984, Nakayama, Rosen e a CSK, conglomerado de Isao Okawa, compraram as ações que pertenciam a Bally por US$38 milhões. Nakayama passou a ser também o CEO, enquanto Rosen voltou para os Estados Unidos para organizar a sede local. Okawa serviu como parte do conselho diretivo.

Junto com Rose, contratou Gene Lipkin, veterano de empresas como Atari e Allied Leisure. Ele seria o primeiro presidente da Sega Enterprises USA, fundada em março de 1985, mas aberta oficialmente em agosto com a inauguração da sede em Los Angeles.

Nakayama posa com o brasileiro Stefano Arnhold, da Tectoy, em cerimônia de 10 anos de parceria entre Sega e Tectoy. A parte brasileira presenteou a japonesa com uma ametista de 1 metro e meio.

Em outubro de 1989, Nakayama contratou Michael Katz para fazer o lançamento do Mega Drive na América, substituindo o então presidente Bruce Lowry. O pouco sucesso o levou a procurar Tom Kalinske, ex-presidente da Mattel e que recentemente havia saído da Matchbox. Nakayama ofereceu-lhe a posição de presidente e CEO da Sega da América.

Kalinske e ele teriam boa relação durante o grande sucesso do Genesis e Mega Drive no Ocidente, mas ela se deterioraria até 1996, devido a fatores diversos, levando à saída do americano.

No comando da Sega, era conhecido como um chefe que cobrava muito a equipe. Jamais aceitou, por exemplo, o Mega Drive fazer pouco sucesso no país de origem, enquanto vendia dezenas de milhões de consoles na América. Suas cobranças teriam sido a motivação de ciúme da equipe japonesa em relação aos americanos, que contribuiu no desgaste entre os escritórios.

Outra característica era ser impulsivo, como ao exigir o imediato lançamento de jogos que visse no setor de desenvolvimento. Yu Suzuki chegou ao ponto de ter um botão sob sua mesa, que "destruía" a imagem em sua tela sempre que Nakayama se aproximava. Durante o desenvolvimento do Pico, portátil infantil, teria quebrado violentamente uma unidade de teste em sua mesa, porque a equipe não alcançou o preço final sugerido por Tom Kalinske.

Também foi quem decretou a descontinuação do console (e de todos os demais fora da linha Saturn), em 1996. A essa altura, o Mega Drive estava consolidado como fracasso no Japão, e sua decisão era colocar todo o foco da casa na próxima geração, totalmente ao avesso do que pensava o time americano.

Em 23/01/1997, Okawa (e) e Nakayama (d) se cumprimentam junto à Makoto Yamashina (c), presidente da Bandai, na sala de conferências da Bolsa de Valores de Tóquio, logo após anunciar a fusão para 01/10. Foto: Kimimasa Mayama/Corbis

Nakayama colocou todas as fichas na plataforma seguinte, Saturn, mas o fracasso e perdas cada vez maiores o fez buscar alternativas como a fusão da Sega com a Bandai, em 1997. O negócio foi rechaçado pelos funcionários da segunda, e acabou frustrado. Sem alternativas, Nakayama deixou suas posições na Sega, sendo sucedido por Shoichiro Irimajiri.

Trabalharia na sequência em empresas como Pasona Inc., Cavia Inc. e AQ Interactive, antes de ser CEO da Amuse Capital.

Vida pessoal

Seu filho Haruki Nakayama é presidente da Marvelous.

Bibliografia

Quem editou este artigo: Daniel Lemes
Se não tiver conta no Memória BIT, será criada uma. Nada será publicado em seu perfil.
Se já tem conta no MBIT, faça login nela e vincule-a ao Facebook.

SEM COMENTÁRIOS

X
Todos os comentários passam por moderação antes de publicados. Se o seu for aprovado, vai aparecer em breve!

DEIXE UMA RESPOSTA