Full Throttle (PC)

Um dos últimos jogos usando o motor SCUMM da LucasArts, Full Throttle marcou por seu enredo incomum e a ironia apesar da trama pesada.

265

Full Throttle é um game de 1995, do gênero adventure, desenvolvido pela LucasArts e desenhado por Tim Schafer. Foi o primeiro projeto de Schafer como principal designer e roteirista, após ter trabalhado em outros da LucasArts como The Secret of Monkey Island (1990) e Day of the Tentacle (1993).

Ambientado num futuro próximo, o jogo conta a história de Ben, líder do grupo de motoqueiros Polecats, que é acusado de um crime. Ele parte sozinho tentando limpar seu nome e da gangue.

Full Throttle foi o décimo-primeiro jogo de aventura do estúdio, e o décimo usando o motor que eles mesmos desenvolveram, o SCUMM, com sequências de ação em FMV criadas num motor também próprio, o INSANE (INteractive Streaming ANimation Engine). Foi também o primeiro jogo da LucasArts lançado para o DOS-Windows e a ser distribuído somente em CD-ROM.

Ao contrário de outros jogos similares de seu tempo, que geralmente usavam dubladores internos, a LucasArts contratou atores profissionais, incluindo Roy Conrad como Ben, Mark Hamill como Ripburger, Hamilton Camp como Malcolm, e Kath Soucie como Maureen. Foi também um dos poucos jogos da casa e usar música licenciada, da banda The Gone Jackals.

full throttle titulo

Enredo

Num futuro próximo, veículos motorizados são substituídos por modelos baseados em tecnologia anti-gravitacional. A última fabricante de motocicletas tradicionais do país é a Corley Motors, cujo fundador e CEO, o ancião Malcolm Corley, está a caminho de uma reunião com acionistas na fábrica da marca, acompanhado pelo vice-presidente, Adrian Ripburger. Ele suspeita que Ripburger planeja tomar o controle da companhia e mudar o foco para a fabricação de minivans, e suspeita também de uma gangue de motoqueiros que Ripburger quer recrutar para escoltá-los até a reunião.

A limusine de Malcolm é cercada na estrada por uma dessas gangues, os Polecats, que passa em alta velocidade; o líder, Ben Throttle, passa literalmente por cima do veículo. Malcolm, como ex-motoqueiro, fica impressionado com o grupo e resolve segui-los. Mais adiante, no bar Kick Stand, pergunta quem passou por cima de sua limusine; Ben identifica-se e eles ficam rapidamente amigos, com Malcolm relembrando sua juventude com as motos. Ripburger chama Ben para uma conversa em particular, e alegando problemas de saúde de Malcolm, oferece aos Polecats a missão de escoltá-los até a reunião. Apesar das dificuldades financeiras do clube, Ben não aceita, sendo então nocauteado pelos capangas de Ripburger, Bolus e Nestor.

Ben acorda numa lixeira, e descobre que os Polecats foram convencidos a escoltar Malcolm — uma emboscada está planejada para eles mais adiante na estrada. Após arrancar de Quohog, o dono do bar, a confissão de que havia sido ordenado a esconder sua chave e atrasá-lo o máximo possível, Ben tenta alcança os demais, mas sua moto foi sabotada, resultando num acidente. Ele é resgatado pela fotógrafa pós-adolescente Miranda Rose Wood e levado para a cidade de Melonweed, onde fica aos cuidados de uma mecânica chamada Maureen.

Spoiler completo
Ela conta sobre como seu pai ensinou-lhe a consertar motos, e repara a moto de Ben após ele conseguir as partes necessárias, adicionando um booster, normalmente usado por outra gangue, os Vultures. Ben encontra os Polecats num descanso na estrada, onde Ripburger assassina Malcolm e acusa os Polecats do crime. Miranda consegue fotografar o crime, mas a câmera é tomada por Bolus. Antes de morrer, Malcolm conta a Ben sobre o plano de Ripburger de transformar a Corley Motors numa fábrica de minivans, ele revela também que Maureen é sua filha ilegítima e implora que Ben a convença a tomar o controle da empresa. Bolus tenta matar Maureen, mas ela o derruba e apodera-se do filme fotográfico, sem saber do que se trata.

Com os Polecats presos pelo assassinato, Ben é considerado fugitivo e Maureen sua cúmplice. Miranda conta a ele sobre o filme, e Ben convence o motorista de um caminhão semi-trailer, Emmet, a passar com ele e sua moto de um bloqueio da polícia na estrada, levando-os para uma fazenda abandonada onde Maureen pode estar escondida. Ele fica isolado lá depois que Emmet rouba a mangueira de combustível de sua moto, e Maureen, pensando que Ben é o assassino, rouba seu booster. O caminhão de Emmet é explodido por uma gangue de saqueadores motociclistas chamada Cavefish, destruindo a ponte sobre o Desfiladeiro Poyahoga, que Ben precisava cruzar.

Depois de reparar sua moto e ser aconselhado pelo ex-líder dos Polecats, Father Torque, Ben engana Nestor e Bolus que se acidentam na estrada, e luta com membros de gangues rivais para obter equipamentos: um novo booster, um hoverlift e uma rampa, com a qual consegue pular o desfiladeiro com sua moto, como feito anos antes por Rick Myran. Ele localiza Maureen, que é membro dos Vultures, no esconderijo deles, um avião de carga abandonado. Maureen acreditava que Ben havia matado seu pai e quando está prestes a executá-lo, ele revela a confissão final de Malcolm e a convence a revelar o filme da câmera de Miranda. Com tudo esclarecido, ele sugere expôr o crime na reunião dos acionistas, mas Ripburger adia o evento até ter certeza que Ben e Maureen estão mortos.

Os Vultures planejam forjar as mortes de Ben e Maureen entrando com eles em um demolition derby com identidades falsas. seus carros explodem, mas Ben e Maureen saem ilesos num ousado plano que envolve cadeira ejetora e roupas à prova de fogo. O plano dá certo e acaba também matando Bolus e Nestor, enquanto os Vultures recuperam o prêmio do vencedor: um moto especial montada por Malcolm e Maureen, que contém um código secreto para o cofre de Malcolm, onde Ben encontra seu testamento.

Ben denuncia Ripburger durante a reunião de acionistas projetando fotos do assassinato no telão e tocando a gravação do testamento de Malcolm, no qual ele deixa a empresa para Maureen e acusa o vice-presidente de fraude. Ripburger foge num semi-trailer, mas reaparece quando o dia amanhece para atacar Ben e Maureen que saíam de moto. Os Vultures chegam dirigindo o avião-abrigo, que colhe o caminhão, mas segue em alta velocidade rumo ao Despenhadeiro Poyahoga. Ripburger voa pela janela e fica pendurado à beira do abismo, mas acaba caindo para a morte. Ben escapa no último instante pulando com sua moto da abertura de carga do avião.

Membros das gangues comparecem ao funeral de Malcolm, no qual Father Torque discursa. Maureen, já presidente da Corley Motors, convida Ben para um almoço; embora aceite, ele a lembra que deve ter uma nova vida como rica empresária e não andar com tipos como ele. Ben vai embora dirigindo pela estrada sob o pôr-do-sol.

Jogabilidade

full throttle combate
Combate sobre motos em Full Throttle, controlado com o mouse.

Em Full Throttle, o jogador controla as ações do personagem através de uma interface tipo apontar-e-clicar, vendo a ação em terceira pessoa. Posicionando o cursor do mouse e clicando com o botão direito, o jogador faz Ben mover-se pelo ambiente. Em certos momentos, o cursor torna-se uma seta, se Ben estiver em pé, ou um sinal de estada, se Ben estiver na moto; clicando nestes sinais, Ben vai para outra cena.

Opções de diálogo ficam na parte inferior da tela, e o jogador pode escolher entre eles. Em Sam & Max Hit the Road (1993), a LucasArts introduziu novos sistemas de inventário e interação, e Full Throtle refinou as mudanças, como a posição de diálogos e cursores. Objetos e personagens com quem Ben pode interagir são indicados por um quadrado vermelho ao redor do cursor; neste momento, caso o botão esquerdo do mouse seja seguro, surge um menu contextual em formato de gráfico — o emblema da gangue de Ben: um círculo flamejante com um crânio, botas e uma mão enluvada. O jogador usa os ícones para realizar diversas ações, por exemplo chutar uma porta com a bota, ou falar com um personagem com a boca do crânio. Tentando situações impossíveis, como falar com uma porta, geralmente resulta numa observação sarcástica de Ben, como "Não vou pôr meus lábios ali". Clique-direito em qualquer lugar da tela abre o inventário de itens.

Como outros adventures da LucasArts, diálogos têm importante papel em grande parte do jogo, apresentando elementos da trama e informações necessárias para avançar. Durante os diálogos, múltiplas escolhas são apresentadas, permitindo ao jogador decidir o rumo da conversa, que pode resultar ou não no progresso. Em certos momentos a jogabilidade muda, como nas cenas de luta sobre moto (o mouse controla o movimento, e os botões alteram armas ou atacam) e durante o destruction derby (direção do carro, acelerador e ré).

Desenvolvimento

Tim Schafer havia trabalhado em alguns graphic adventures na LucasArts, mas nenhum deu o retorno financeiro que a companhia gostaria. Mesmo com o sucesso de Day of the Tentacle, eles queriam algo maior, e o produtor lembra do diálogo com um de seus chefes.

Eles estavam carrancudos porque Day of the Tentacle não vendeu tão bem quanto esperavam. A frase que me lembro sempre foi "Sabe como é, o problema com esses games é que eles são divertidos como o David Letterman. Queremos algo divertido como os Simpsons. Ambos são engraçados, gostamos de ambos, mas todo mundo gosta dos Simpsons, e David Letterman é satírico e ácido, e nem todo mundo gosta dele".

Ele e Dave Grossman (diretor em Tentacle) apresentaram alguns conceitos ao estúdio, incluindo uma sequência de Tentacle, um novo Monkey Island, ou três ideias originais: um enredo baseado no Día de Muertos, algo sobre espiões, ou sobre grupos de motoqueiros. A última era a mais desenvolvida em sua cabeça, e acabou sendo a aprovada.

full throttle dialogo
Sistema de diálogo em Full Throttle.

Segundo Schafer, a ideia veio quando ele escutava histórias de um amigo que esteve num bar no Alasca. Enquanto ouvia, pensou que "Bikers são tipo piratas: um tipo de cultura à parte, da qual as pessoas têm uma visão limitada, mas que tem suas próprias regras", e que seria uma boa alternativa para um universo de fantasia. Ele começou sua pesquisa sobre a cultura dos bikers lendo Hell's Angels: Medo e Delírio Sobre Duas Rodas, de Hunter S. Thompson, que conta detalhes do temido Hell's Angels, moto clube da Califórnia conhecido por práticas ilegais que iam de tráfico de drogas à extorsões até disputas violentas com outros clubes.

Sendo o primeiro jogo exclusivo para CD-ROM da LucasArts, com orçamento de US$1.5 milhão, Full Throttle trouxe um rico sistema de diálogo, animações em full motion video, e áudio digital. Schafer serviu como redator e designer.

A maior influência para o personagem central, Ben, é Yojimbo, filme de 1961 dirigido por Akira Kurosawa e onde Toshirō Mifune interpreta um samurai calado. "Toshiro Mifune é tão grandioso nele", disse Schafer, "ele é quieto como personagem, é muito austero e caminha pela cidade sem falar o tempo todo, e ocasionalmente passa a lâmina no interior de seu robe, até que numa explosão ele ataca, corta 20 samurais com a espada e volta a ser quieto", completa, acrescentando também Mad Max 2 à lista de influências da época. Há referência pessoais no game, como o carro queimado no ferro-velho: Schafer contou que foi inspirado num carro que teve e que realmente queimou após um incêndio no motor.

O game originalmente poderia ter uma sequência interativa onde Ben viajaria sob efeitos de peiote, um cacto alucinógeno, mas foi cortado do jogo porque os desenvolvedores não entraram em acordo com a publicadora. O conceito foi reaproveitado mais tarde em Psychonauts (2005). Também pelo conceito original, Maureen teria uma irmã gêmea chamada Tina, provavelmente rica sob os cuidados de Malcolm, num velho clichê dos irmãos separados, um rico e um pobre. Apesar de ser descrito como um mundo pós-apocalíptico nos moldes de Mad Max, com carros futuristas e estradas sem fim, Schafer descreve o ambiente como uma realidade alternativa, talvez "uma versão alternativa do Arizona, não exatamente um mundo pós-apocalíptico".

Foi um dos poucos títulos da empresa a usar música externa, com o rock da banda de San Francisco, The Gone Jackals. Algumas faixas do álbum Bone to Pick estão no jogo, enquanto outras foram feitas sob medida. No auge do grunge, a banda Soundgarden chegou a ser cogitada, mas não houve acordo financeiro. Foram utilizados atores e atrizes profissionais para a dublagem, incluindo Roy Conrad, Kath Soucie, Maurice LaMarche, Tress MacNeille, Hamilton Camp, Steven Jay Blum e Mark Hamill.

Referências a Star Wars

Sendo da LucasArts, algumas referências a Star Wars estão presentes: em uma cena, é visível uma tatuagem do emblema do Império no braço de Emmet, e um rival durante o demolition derby foi ilustrado para assemelhar-se a George Lucas.

Um dos motoqueiros da gangue Rottwheeler também tem um emblema, mas dos Rebeldes, tatuado na cabeça. Os Cavefish lembram bastante o Povo da Areia, e numa cena, Ben está falando com Miranda e ela diz "Help me Ben, you're my only hope!", tal como Leia diz a Obi-Wan "Ben" Kenobi em Star Wars Episódio IV. Mark Hamill, o terno Luke da sequência clássica de SW, deu voz ao vilão Ripburger e outros personagens menores.

Recepção e legado

Rapidamente Full Throttle ganhou fãs, por seu tema incomum e o humor peculiar. Em vez de críticas ao jogo em si, a maior parte foi direcionada à sua curta duração — termina-se facilmente em menos de uma hora, conhecendo o caminho. A evolução de jogabilidade, que vinha de games como Sam & Max, foi base para The Curse of Monkey Island (1997). Chama a atenção também por fugir do típico final do "herói que termina com a mocinha", já que apesar de um possível interesse entre Ben e Maureen, como sugerem certos diálogos e cenas, cada um segue seu caminho.

Segundo Schafer, a própria LucasArts, a princípio, não entendeu bem a proposta do jogo, achando que o tema de motoqueiros podia não ser exatamente engraçado. "Quando falei sobre um motoqueiro correndo de um crime que não cometeu, eles ficaram tipo "Não entendi, isso é engraçado?". Naquele tempo, a única referência que eu tinha era RoboCop; eu pensava "é engraçadinho tipo RoboCop?". RoboCop é muito sério em várias cenas, porque o cara perdeu a mulher e é super dramático. Mas é obviamente é uma paródia de várias formas, com todas aquelas cenas ridículas feitas para rir. Mas você não diz "Vou assistir RoboCop porque é uma comédia". Era a única coisa que eu podia usar para explicar Full Throttle. As pessoas realmente não entendem esse tipo de nuance até vê-la.”

Várias vezes foram planejadas sequências, mas nunca saíram. O estúdio inicialmente queria que Schafer trabalhasse na sequência, mas ele preferiu seguir com o conceito sobre o Día de Muertos, que se converteria em Grin Fandango. A LucasArts colocou outra equipe para a sequência de FT, e isso desagradou profundamente o produtor, que apesar de reconhecer que não só eles tinham direito de fazê-lo, como parecia comercialmente lógico, estava incomodado por ter sido praticamente o último a ser informado. Ele saiu da LucasArts logo após o lançamento de Fandango.

A sequência não veio, e com o fim da LucasArts em 2012, especulou-se que o jogo jamais teria uma nova versão, mas um remaster foi anunciado em 2015, com lançamentos para PlayStation 4 e PS Vita, produzido pelo estúdio Double Fine (fundado por Schafer após a dissolução da LucasArts pela Disney, que adquiriu a companhia). O lançamento previsto na ocasião do anúncio será em 2017.

Créditos

A sequência final de créditos, além de menções comuns, tem algumas bastante "estranhas", como agradecimentos por "tomar conta do meu dinheiro" e nomes de gatos.

Elenco de voz

Roy Conrad como Ben e Brother 12.
Kath Soucie como Maureen "Mo" Corley.
Hamilton Camp como Malcolm Corley, Father Torque e Guarda do Mavis.
Mark Hamill como Adrian Ripburger, Emmet e Todd Newlan.
Tress MacNeille como Suzi.
Jack Angel como Bolus e Guarda na Porta da Fábrica.
Maurice LaMarche como Nestor, Sizeable Bill e Atirador do Posto.
Nick Jameson como Darrel e Michael.
Pat Musick como Miranda Rose Wood.
Bill Farmer como Horace.
Mal Friedman como Quohog e Brother 32.
Alex Benett como locutor do derby.
Nick Jameson como Mavis.
Bill Farmer como Piloto do Posto.
Denny Delk como Maximum Fish e Blotch.
Zachary Barton como Razor & Wendy.
Steve Blum como Sid.
Scott Bullock como Grand Marnier.

Executivo e comercial

Gerente de Produção, Internacional: Cindy Leung.
Gerente de Relações Públicas: Sue Seserman.
Associado de Relações Públicas: Tom Sarris, Camela Boswell.
Licenças Internacionais, Gerente: Lisa Star.
Assistente Internacional: Sandy Tong.
Supervisor de Suporte: Jason Deadrich.
Gerente de Suporte: Mara Kaehn.
Supervisor de Garantia de Qualidade: Mark Cartwright.
Sistemas de Informação: James Wood, Tom Caudle, Randy Saverson, Joan Amberg, Laurel Woods, Randy Spencer, Alex Gerson.
Legal Machismo: Bod Roden.
Negociação com Mega-Corporações: Jack Sorensen.
Chief Technical Officer: Douglas Scott Kay.
Diretor de Marketing: Mary Bihr.
Diretor de Talento: Kathryn Ringewald.
Associado de Recursos Humanos: Holly Green.
Direção de Vendas e Operações: Leslie Latham.
Key Accounts Manager: Meredith Cahill.
Fabricação e Distribuição: Jason Horstman.
Serviço de Vendas ao Consumidor: Jude Allen, Christin Buhlig.
Suporte Administrativo: Dawn Yamada, Amanda Haverlock, Susan Upshaw, Lori Beck, Gina Barton, Sherri Bridge, Jannett Shirley-Paul, Peggy Stok.
Suporte Presidencial: Randy Komisar.
Cuidou Das Minhas Pilhas de Dinheiro: Tom McCarthy, Neena Bonetti, Noel Natividad, Greg Robles, Debbie Epidendio, Robin Borrison, Krista Hand, Richard Quinones.
Me Fez Uma Grande Estrela: Sue Seserman.
Coordenação de Lifestyle: Camela Boswell.
Coordenador de Suporte: Wayne Cline.
Quase no Projeto: Dan Connors.
Se Não Fosse Por: Steve Dauterman.
Pesquisa Off-Road: Tony "Steel Wheels" Hsieh.
Disse Que Isso Era Uma Boa Idea: Hal Barwood.
Também Perdeu o Natal: Daron Stinnet.
Quase o Deixou Louco: Vince Lee.
Deixou Outras Pessoas: Michael Stemmle, Sean Clar.
Suporte à Tranquilidade Geral: Brett Tosti, Susan Upshaw, Ray Gresko, Winston Wolff, Patrick McCarthy, Brian Kemp, Chris Hockabout, Tom Payne, Patrick Sirk, Rachel Bryant, Ingar Shu, Matthew Tateishi, Ron Lussier, David DeVan.
Choramingaram por Não Estar Nos Créditos: Geri Bertolo, Kevin Boyle.
Bem-Comportado no Rancho: Alex Bennett.
Bate-Boca Não-Especificado: Rain Jokinen.

Agradecimentos

O time gostaria de agradecer as seguintes pessoas: Jonathan Acklay, Laura Ackley, Kyle Balda, Alex Bennett, Kirsten Brengle, Mary Kane Brown, Juan Carlos, Angelica & Tila, Rich Caterina, Zachary Lincoln Chan, Jesse Clar, Begona Colomar, James Crabtree, Anita Crowley, Dale Davis, Tom, Carolyn e Ryan Donahue, Marina Eckler, Evaluna, Fabio, James Foley, 40 llamas especialmente treinados, Doug Hammer, Hand Therapy Center de Marin, Kurt Harriman, Amanda Haverlock, Lois Johnson, Alan & Theresa Jokinen, Lolly Jones, Tom Kuhn Custom Yo-Yo's, Roxanne Lee, Dr. Robert Levine, Brian McDonald, Gary May, Linda May, Christine Benson Miller, Mamãe e Papai (Oi Mamãe! Oi Papai!), Andrea Montano, Wendy Nash, Josh Partyka, Dr. & Sra. James W. Shaw, Andrea Siegel, Christy Stout, Teddy the Wonder Lizard, Leigh Vallone, Angelo Vassos, Lori, Kevin, Ryan e Scott Wilmunder, Scott Yokoi, Collette Young.
O time gostaria de agradecer aos seguintes gatos: Chuck (1976-1995), Dandelion, Eartha & Pumpkin, Freida, Indy, Hobbes, Monkey, Troube, Smidgeon, Whisper (1986-1995).
Tim não gostaria de agradecer a nenhum gato, e não apoia a propriedade de gatos.

Equipe técnica

Designers: Larry Ahern e Jonathan Ackley, Jesse Clark, Peter Chan, Stephen R. Shaw.
Redator: Dave Grossman.
Design de Veículos: Peter Chan.
Modelos 3D de Veículos: Richard Green.
Design de Personagens: Larry Ahern.
LucasArts Installer / Launcher: Matthrew D. Russel Boot Disk Maker: Paul LeFevre.
Demo Laucher: Daron Stinnett.
Programação Adicional: Gwen Musengwa.
Programador de Traduções: Judith Lucero.
Animadores Adicionais: Sean Turner, Gordon Baker, Graham Annable, Michael Slisko.
Art do Inicializador: Aaron Muszalski.
Edição / Composição Adicional: Michael Levine.
Técnicos de Arte Adicionais: Gwen Musengwa, C. Andrew Nelson.
Suporte Artístico: Justin Chin, Jon Knoles, Harrison Fong, Bill Tiller, Collete Michaud.
Test Driver Oficial da Corley e Redator Técnico: Chris Purvis.
Teste Adicional: Sean Matheis, Rachael Bristol, Dan Connors.
Arquivista QA: Wendy Kaplan.
Operadores de Motocicleta: Jim Hallman, Tommy Nielsen, Greg Senzer.
Analista de Política Haitiana: Paul Thermidor.
Guia do Jogador: Jo Ashburn.
Lead Hint Rep: Kim Gresko.
Hint Line Supervisor: Tabitha Tosti.
Leads: Tabitha Tosti, Ian Campbell, Ed Chin, Troy Molander, Tony Burquez, Brian Bonet.
Direção de Arte: Collete Michaud.
Supervisão de Departamento de Arte: Laurie Blavin.

Música e Áudio

The Gone Jackals: Keith Karkloff, Judd Austin, R.D. Maynard, Trey Sabatelli.
The Gone Jackals aparecem como cortesia de Blue/Black Records.

Músicas:
Get Outta Town
Trapped
Let'Er Rip
Drop the Hammer
Legacy
Born Bad
Love Comes Crawling
Not Buried Deep Enough
Todas © 1995 por Keith Karloff, Leather Volcano Music (BMI), exceto "Drop the Hammer" © 1995 popr Karloff, Austin, Maynard
Gone Jackals Remix para o Full Throttle em: Dave Wellhausen Studios, Poolside Studios, Sound & Vision
Jackal Wrangler: Peter MCConnell
Increased Chances executado por Chitlins, Whiskey & Skirt © 1995 por Jon Spiegel, Jon Rice e Matt Spiegel
Chitlins, Whiskey & Skirt aparecem como cortesia de Flosstoonz Records
1000 CC Chanty por Hamilton Camp, letra de Dave Grossman

Assistente de Produção Vocal: Coya Elliott.
O Produtor de Voz Agradece: The Dubeys no Dubey Tunes Studios, The Goetzes no Room 222, Paul Doherty no C.E.D., Arlene no Thornton & Associates, Ellen Mait no B. Ball, S. Schnarr Craig J. no Actor's Exchange.
Adulações muito especiais a: Roy Conrad.
Cara da Música do Mr. Big: Michael Z. Land.

Seção Especial de Haiku Biker!

A equipe incluiu algumas poesias no formato Haiku no final do jogo.

bar fighters leap out
moths tangle with orange hot flame
my nose thrice broken

brigões de bar pulam fora
traças circulam com chama laranja quente
meu nariz quebrado três vezes
- Mark Christiansen

splitting lanes at rush
beemer tries for a cut-off
taste my righteous chain

cortando pistas apressado
beemer tenta um atalho
saboreie minha corrente justa
- Peter McConnell

booming thunder rolls
clutch release throttle open
red smear on pavement 

trovões crescentes rolando
embreagem solta aceleração aberta
mancha vermelha no pavimento
- Tom Payne

we grease on the road
makes me laugh as my buddy
slides under a truck 

nós escorregamos na pista
me faz rir enquanto meu camarada
desliza debaixo de um caminhão
- Troy Molander

on the road for days
two wheels, an engine, and me
I don't brush my teeth

na estrada há dias
duas rodas, um motor e eu
Eu não escovo meus dentes
- Brian Bonet

sky covers the land
dark goggles cover my eyes
speed covers my tracks

céu cobre a terra
óculos escuros cobrem meus olhos
velocidade cobre meus caminhos
- Hal Barwood

road rises upwards
forehead smiles for the pavement
cranium tastes bad

estrada vira pra cima
testa sorri para o pavimento
crânio tem gosto ruim
- Jonathan Ackley

Emmet drops a load
green crap coats the road like snow
just take a little

Emmet solta um barrão
excremento verde cobre a estrada como neve
pegue um pouco
- Ryan Kaufman

Todd doesn't like you
bang on door but say nothing
can not you talk, henh?

Todd não gosta de você
bate na porta mas ninguém responde
não pode falar, henh?
- Khris Brown

whiffin' the asphalt
hot leather, shiny metal
see, I am manly
...
my male fantasy
now a profit-making game
maybe I'll get chicks

aspirando o asfalto
couro quente, metal brilhante
veja, eu sou viril
...
minha fantasia masculina
agora um game lucrativo
talvez eu pegue gatas
- Michele Harrell

Conteúdo
  1. Personagens

Personagens

Quem editou este artigo: Daniel Lemes