International Superstar Soccer (Super Nintendo)

ISS é reconhecido como um dos melhores games — se não o melhor — do gênero nos 16-bit.
Atualização: Daniel Lemes
0
22

International Superstar Soccer (Jikkyō Wārudo Sakkā Pāfekuto Irebun, ou Perfect Eleven no Japão) é um game de futebol desenvolvido pela Konami. Foi lançado para o Super Famicom em 1994, e Super Nintendo em 1995.

Baseado livremente na Copa do Mundo de 1994, oferece 26 seleções (24 em PE). Foi logo reconhecido por trazer detalhes inovadores na época: tons de pele e cabelo, números nas camisas, narração e vários outros. A jogabilidade é rica, com adições como sorteio antes das partidas, impedimentos precisos e vários modos de jogo, incluindo treinos e cenários.

Bem recebido por crítica e público, é considerado um dos melhores do gênero nos 16-bit. Iniciou uma série que duraria até a 6ª geração de consoles.

Desenvolvimento

ISS foi produzido pela Konami Osaka (KCEO), baseado com liberdade na Copa do Mundo de 1994, e alguns dados da Eurocopa 1992.

Teve diversas versões regionais através de hacks, muitos feitos pela "Eagle Soft". Em espanhol, "Futbol Excitante" foi distribuído principalmente na América Latina. Os times foram trocados por seleções mistas entre 94 e 95. A Itália, por exemplo, tem Baggio; a Holanda tem Overmars e Bergkamp; a Espanha, Hierro; a Argentina, Maradona e Batistuta; o Brasil tem Bebeto e Romário, etc.

No Brasil, o hack "Campeonato Brasileiro" foi popular. Nele foram inseridos times da liga nacional, com narração em português (com forte sotaque).

Jogabilidade

Inspirado em Konami Hyper Soccer (NES, 1992), foi um dos primeiros a buscar uma abordagem mais realista, em vez do tom cartunesco usual. Traz 26 seleções (24 em PE), mas por não ser oficial FIFA, não usou nomes reais dos jogadores. A seleção brasileira, por exemplo, é escalada com: da Silva, Ferreira, Vincento, Paco, Cicero, Roca, Santos, Pardilla, Beranco, Gomez e Allejo.

Uma das inovações foi o modo Scenarios, algo antes visto em jogos de corrida (como o 1993 Mode de F1 Beyond the Limit). Situações de partida são apresentadas como desafios, algumas remetendo a eventos reais da Copa, como o Brasil com um jogador a menos contra os Estados Unidos, ou a Itália sendo derrotada pela Nigéria e com nove em campo¹. As configurações são complexas, como posicionamento de cada setor, escolha do tipo de gramado, clima (incluindo neve e chuva), e até o árbitro.

¹ No jogo real, a Itália tinha um jogador a menos desde os 20 minutos do 2º tempo, quando o atacante Zola foi expulso após simular pênalti e logo na sequência cometer falta.

A visão do campo é levemente inclinada e lateral. Como a visibilidade do campo é reduzida, há um radar na parte inferior, com jogadores representados por pontos azuis e vermelhos.

No modo "Scenarios", alguns eventos imitam os reais da Copa de 1994.

PE tinha características próprias, como edição do nome dos jogadores, narração com mais vozes, e bateria pra salvar torneios e alterações. Foram também adicionadas mais seleções asiáticas.

Gráficos e sons

Gráficos seguiram linha diferente de títulos como FIFA Soccer. Os jogadores são grandes e proporcionais.

Perfect Eleven tem uma animação na abertura, que foi cortada em ISS.

Há muitas vozes durante a partida, geralmente quando a bola para (laterais, faltas, etc) e nos replays. Há gritos e batidas ritmadas da torcida.

Recepção e legado

Perfect Eleven vendeu 280 mil cópias no Japão — número expressivo. Para efeito de comparação, o renomado Street Fighter Zero 2 vendeu apenas 170 mil cópias. A aceitação no Japão, Europa e Brasil deu ao jogo status de clássico, considerado um dos melhores — se não o melhor — de futebol de sua geração.

ISS inaugurou a série que se estenderia até 2003, quando foi descontinuada, após International Superstar Soccer 3. A Konami canalizou seus esforços em Pro Evolution Soccer, a versão ocidental de Winning Eleven 5 (que por sua vez, havia começado em 1996 como World Soccer Winning Eleven).

Revistas da época avaliaram positivamente ISS. A japonesa Famicom Tsūshin (Famitsu), edição 309, deu ao jogo nota 29/40. A americana Electronic Gaming Monthly, edição 68 (março/1995), deu nota 7/10, dizendo que os controles apresentavam dificuldade, mas "você vai acabar não se importando por causa dos excelentes gráficos e sons".

A GamePro edição 69 (abril) deu nota 3.75/5, também afirmando que os controles "não são ótimos" e que a troca de comando entre jogadores na hora de se defender é lenta. Segundo a revista, "o jogo da Konami figura entre os melhores, mas ainda é um vice-campeão, atrás de FIFA", concluindo com "se você procura pelo melhor jogo de futebol, confira FIFA".

Japão com cor da camisa alterada em Perfect Eleven: um dos pontos aprovados pelos críticos foi o nível de detalhes.

A brasileira SuperGamePower, edição 14 (maio/1995), só ratificou o review da GamePro, mas destacou ISS como "um dos melhores do gênero".

A Ação Games, edição 83 (maio/1995), concedeu o selo "The Best Of Ação Games", qualificando o modo Scenarios como "uma das melhores invenções dos últimos tempos". Descreveu o game como "originalíssimo e bem feito", com nota 59/60 (um ponto perdido no critério som).

A Gamers Nova Fase, edição 3, chamou ISS de "melhor game de futebol de todos os tempos", opinando que "todos os defeitos de jogos de futebol anteriores foram solucionados pela Konami" como marcação de impedimento passivo e excesso de gols de fora da área, notando a qualidade dos "detalhes gráficos" e som.

Reviews modernos incluem notas 84/100 da MobyGames e 8.6/10 da IGN. A IGN listou ISS na posição 64 entre os melhores games do Super Nintendo.

ISS marcou a estreia de Allejo na seleção brasileira, provavelmente o mais popular jogador virtual já criado, amplamente chamado "melhor jogador virtual de todos os tempos".  Usando a camisa 7, parece ter sido inspirado em Bebeto, embora tenha mudado de aparência em versões seguintes. Sua popularidade cresceu ainda mais nas versões seguintes, levando ao surgimento de memes como "Não vi Pelé, mas vi Allejo".

Removido da franquia quando foram obtidas licenças para jogadores reais, ele reapareceria em PES 2014 e PES 2015.

Características gerais

Modos de jogo

  • Amistoso: pode ser jogado contra a CPU ou o segundo jogador. A novidade é que permite também colocar dois times da CPU para jogarem entre si.
  • International Cup: simulação da Copa do Mundo, com rodadas de qualificação através de grupos, até chegar ao torneio principal.
  • World Series: formato de torneio mundial simples, com 24 seleções em sistema de pontos corridos.
  • Training: vários modos de treinamento dos fundamentos básicos: drible, passe, chute ao gol, defesa e cobrança de escanteio. O jogador deve completar os testes num limite de tempo estabelecido.
  • Scenarios: modo com 9 desafios em partidas que começam no segundo tempo, geralmente com o CPU na frente do placar ou com mais jogadores em campo. Em alguns o objetivo é virar, em outros segurar o empate, etc.
  • Penalty Kick: disputa de pênaltis simples. Cada jogador escolhe cinco cobradores e se alternam. Se não houver vencedor, os jogadores escolhem mais um batedor e segue para o modo alternado, até que alguém erre.

O jogo americano tem sistema de passwords, e o japonês usava bateria interna.

Seleções

ISS tem 26 seleções inspiradas pelas reais da Copa do Mundo de 1994 e da Copa da Europa de 1992. Mas inclui algumas que não participaram de nenhuma das disputas, como Áustria, País de Gales e Portugal — este representado pela seleção das eliminatórias. Das 26, 20 estiveram na Copa do Mundo.

Bolívia, Arábia Saudita, Grécia e Marrocos ficaram fora do game, mesmo estando na Copa. A bandeira da Romênia tem um escudo central, similar à bandeira comunista, abandonada oficialmente em 1989, ou do Reino da Romênia, abandonada em 1948.

Perfect Eleven tem 24 seleções, incluindo 5 asiáticas ausentes em ISS: Irã, Iraque, Coreia do Norte, Arábia Saudita e Japão (mais a Coreia do Sul, presente em ambas). A Inglaterra participa sob bandeira da Grã-Bretanha.

Seleção Perfect Eleven International Superstar Soccer
Itália ✔️
Alemanha ✔️
Iraque ✔️ ✖️
Irã ✔️ ✖️
Coreia do Norte ✔️ ✖️
Coreia do Sul ✔️
Arábia Saudita ✔️ ✖️
Japão ✔️ ✖️
Camarões ✔️
Nigéria ✔️
Estados Unidos ✔️
México ✔️
Colômbia ✔️
Brasil ✔️
Argentina ✔️
Bulgária ✔️
Romênia ✔️
Bélgica ✔️
Irlanda ✔️
Suécia ✔️
França ✔️
Reino Unido* ✔️ ✖️
Espanha ✔️
Holanda ✔️
Suíça ✖️ ✔️
Gales ✖️ ✔️
Escócia ✖️ ✔️
Áustria ✖️ ✔️
Inglaterra ✖️
Dinamarca ✖️
Noruega ✖️
Rússia ✖️
*A seleção é creditada como Inglaterra em ambas as versões, mas usa a bandeira do Reino Unido em Perfect Eleven.

Créditos

  • Produtor: Katsuya Nagae
  • Diretor: Yasuo Okuda
  • Principal Designer de Personagens: Fumimasa Katakami (F. Katakami)
  • Designers de Personagem: Masatsugu Hashimoto, Tetsuya Kondo (T. Kondo), Toru Yamazaki (T. Yamazaki)
  • Principal Programador: Yasuo Okuda
  • Programadores: Eiji Nakagawa, Koji Igarashi (K. Iga)
  • Designers de Som: Harumi Uekō, Hideyuki Etō (H. Eto)
  • Designer de Embalagem: Yumiko Fukazawa (Fukazawa)
  • Agradecimentos Especiais: Yasufumi Fukui, Haruhiko Inaba (Inaba), K. Saito
Se não tiver conta no Memória BIT, será criada uma. Nada será publicado em seu perfil.
Se já tem conta no MBIT, faça login nela e vincule-a ao Facebook.

SEM COMENTÁRIOS

X
Todos os comentários passam por moderação antes de publicados. Se o seu for aprovado, vai aparecer em breve!

DEIXE UM COMENTÁRIO