Strider (Mega Drive)

    Lançado em 1990, versão de arcade da Capcom foi aclamado por gráficos e jogabilidade.

    0
    27
    ────────── Publicidade ──────────

    Strider, lançado no Japão como Strider Hiryū (ストライダー飛竜), é um jogo de plataforma produzido pela Capcom, e portado para o Mega Drive em 1990. O original foi lançado no ano anterior, para o arcade com o hardware CP System.

    História e desenvolvimento

    Anunciado em meados de maio de 1990, Strider para o Mega Drive foi apresentado pela primeira vez na Winter CES, no mês seguinte. Inicialmente avaliado como um cartucho de 6 megabit, acabou produzidos em cartuchos de 8 mega, sendo o primeiro com tal capacidade no console. Foi totalmente feito dentro da Sega, que manteve um aviso de copyright “reprogramado” na tela-título. Uma das principais diferenças foi a barra superior com uma cor de fundo, transparente no arcade.

    A versão para arcade foi parte de um projeto em três partes, de colaboração entre Capcom e Hiroshi Motomiya com seu estúdio Moto Kikaku. O estúdio fez o mangá Hiryu Strider, publicado pela Kadokawa Shoten em 1988. A Capcom fez o jogo para arcade, no ano seguinte. O projeto ainda incluía uma versão para NES, que ficou mais próxima do roteiro do mangá, com Strider lutando contra ex-aliados Striders.

    Kouichi Yotsui (creditado como Isuke) foi escolhido como diretor no arcade por sua experiência com a placa CPS durante o trabalho com backgrounds no jogo Ghouls ‘n Ghosts. Os três projetos correram independentes uns dos outros. Em entrevsita à revista Retrogamer edição 76, Yotsui revelou que a inspiração para Strider e sua habilidade de escalar veio de uma experiência pessoal: acidentalmente preso na cobertura do edifício da Capcom, temendo congelar, escalou a lateral do prédio até a escada de emergência.

    A trilha sonora original foi totalmente composta por Junko Tamiya, que não foi creditada no arcade, mas mencionada como parte do time da versão original em algumas versões domésticas. No Mega Drive, há apenas um “agradecimento” ao staff da Capcom.

    Ports foram lançados também para Amiga, Amstrad CPC, Atari ST, Commodore 64, DOS e ZX Spectrum.

    Enredo

    Strider é situado num distópico ano 2048, quando um misterioso ditador conhecido como “Grandmaster Meio” governa o mundo. Hiryu, o mais jovem membro do clã ninja hi-tech “Striders” a alcançar a graduação Super A Ranked, recebe a missão de assassinar o ditador. Hiryu começa sua missão infiltrando-se na capital do Grandmaster, no Cazaquistão Soviético, capital do Império Russo em 2048.

    Jogabilidade

    Strider é um hack and slash em sidescroll. Os controles são formado por um joystick de oito direções e dois botões de ação para atacar e pular (botões A e C fazem a função de pulo, já que o arcade usava só dois botões). A principal arma é uma espada de plasma semelhante a uma tonfa, conhecida como “Cypher”.

    Hiryu pode realizar movimentos acrobáticos; apertar o botão de salto enquanto Hiryu estiver parado ativa um um salto vertical regular, enquanto para os lados realizará um salto em espiral. Hiryu também pode deslizar por baixo ou através de certos obstáculos e inimigos, ao agachar-se e apertar o botão de salto. Hiryu é capaz de se pendurar em certas plataformas e escalar paredes e tetos usando um gancho metálico. Enquanto corre por uma superfície inclinada, Hiryu pode ganhar impulso para saltos mais longos.

    Há diversos power-ups em caixas carregadas por certos inimigos. Entre eles, uma extensão do alcance de ataque de Hiryu, dois tipos de melhoria de saúde, uma extensão de saúde máxima, vida extra, e invencibilidade e aumento do ataque através de “sombras” por 15 segundos. Hiryu também pode convocar três opções de companheiros robóticos que o ajudam a combater inimigos.

    O jogo tem cinco fases: a República Socialista Soviética do Cazaquistão (chamada “São Petersburgo” durante o modo de atração do arcade), o Deserto Siberiano, o Cruzador Aéreo Balrog, a Selva Amazônica e o covil do Grandmaster. Cada estágios é dividido em várias seções menores.

    O jogador tem um medidor de saúde de três pontos (extensível até cinco pontos com os power-ups). Hiryu perde uma vida se o medidor for esgotado, caindo em fossos, ou se o cronômetro chegar a zero. O jogo oferece continues.

    ────────── Publicidade ──────────

    Características

    Mudanças

    Há várias diferenças entre as versões arcade e Mega Drive, sendo algumas:

    • Um sistema de continue foi acrescentado no lugar do sistema de fichas. Hiryu tem um número limitado de continues na versão americana e europeia, enquanto na japonesa, é preciso usar um código para acessar o continue.
    • O gameplay ficou mais lento, com perceptíveis slowdowns.
    • Menos inimigos por tela.
    • Mudanças no sistema de dificuldade, fases ligeiramente menos difíceis.
    • Alguns objetos e inimigos têm energia e pontuação diferente.
    • Alterações em checkpoints de algumas áreas.
    • O primeiro chefe, Solo, ao contrário do arcade, não pode ser evitado, já que a tela não avança até que ele seja batido. O mesmo acontece com Strobaya.
    • A extensão da Cypher não continua entre as fases, e tem alcance maior que no arcade.
    • Caixas escondidas estão espalhadas pelas fases, incluindo pontos, saúde e vidas extras.

    Recepção e legado

    Strider marcou a estreia do personagem Hiryu, membro do clã ninja secreto conhecido como “Striders”. Ele foi inspirado num personagem do mangá Strider Hiryu, de 1988. A partir dali, se tornaria protagonista da série, e um dos personagens mais reconhecidos da Capcom.

    De todas, a versão Mega Drive foi a mais bem-sucedida, aclamada mundialmente, com o título de Melhor Jogo do Ano e Melhores Gráficos do Ano de 1990 pela revista EGM. Mais tarde, entrou na lista 1001 Jogos Que Você Precisa Jogar Antes de Morrer. Strider é citado como uma das franquias mais populares da Capcom além de seus jogos de luta, influenciando jogos como Ninja Gaiden, Devil May Cry e God of War.

    Graças às versões arcade e Mega Drive, Strider foi um dos primeiros grandes sucessos da Capcom antes de Street Fighter II, ganhando reconhecimento pela jogabilidade, trilha sonora e os vários samples de voz, então incomuns. Strider foi relançado no Virtual Console do Wii entre 2011 e 2012.

    Houve duas sequências. A US Gold, sob licença, lançou Strider II (produzido pela britânica Tiertex) para várias plataformas ainda em 1990, sem o sucesso e qualidade do original. Mais tarde, a própria Capcom produziu Strider 2, lançado para arcades e PlayStation em dezembro de 1999.

    Personagens

    Strider Hiryu

    Hiryu é um membro da elite dos Striders, um clã ninja de alta tecnologia no futuro especializado em espionagem e assassinatos.

    Créditos

    Expandir
    Keiichi Yamamoto: Chefia de programação, Keiichi Yamamoto: Coordenação de programação, Mizoguchi Matsuhide: Assistência de programação, Tarō Shizuoka: Chefia de design, Tarō Shizuoka: Coordenação gráfica, Atsushi Seimiya: Design, MT.MAYA: Design, XOR: Programação de som, Hiroshi Momota: Agradecimentos especiais, LITTLE SUN: Agradecimentos especiais, LARIE: Agradecimentos especiais, THUNDER: Agradecimentos especiais, PANPAKAPANN: Agradecimentos especiais, FILLY: Agradecimentos especiais, THE HI MASTER: Agradecimentos especiais, CAPCOM ARCADE STAFF: Agradecimentos especiais.© Kadokawa Shoten © Motomiya Kikaku
    • Cheats

    Três continues

    Use o comando A, C, B, C, A, Start na tela-título.

    Créditos infinitos (cart swap)

    Coloque o cartucho Altered Beast. Assim que a tela-título aparecer, tire o cartucho com o console ligado, coloque o cartucho Strider e aperte Reset. Para ter certeza de que o truque funcionou, entre nas opções. Se não conseguir usar o direcional (nenhuma opção em destaque nas opções), você já tem continues infinitos.

    Editaram esse artigo: Daniel Lemes

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Digite seu comentário!
    Digite seu nome aqui