Top 10 melhores games dos anos 90

Os 10 melhores games dos anos 90: títulos que marcaram gerações e ajudaram a definir o futuro de séries de sucesso.
Por: Daniel Lemes
8
2082

Montar uma lista com só 10 melhores seja-lá-o-que-for é sempre difícil. A gente precisa dosar no gosto pessoal pra não virar "lista de fanboy". Potencialmente complicado, pois o simples lembrar de itens do passado ativa nosso lado nostálgico e aí como separar o nosso melhor do melhor de fato?

Entre 1990 e 1999 surgiu uma porrada de aparelhos e lançamentos exclusivos, abrangendo uma das eras mais ricas e importantes do mercado de games, com a disputa entre Nintendo e Sega, arcades sensacionais da SNK e Capcom, RPGs épicos da Square e o nascimento ou fortalecimento de ícones. Sem falar do PC que corria por fora, quando jogos de computador eram um nicho razoavelmente pequeno, dos "micreiros" que manjavam das linhas de comando e trocavam ideias por BBS.

A tecnologia mudava rápido: ao contrário de agora, quando o avanço entre gerações só é agudo depois de alguns meses, os saltos eram enormes e percebidos logo de cara. Os quadradinhos do Atari foram soterrados pelos sprites dos 8-bit, seguido pelo boom dos "arcades em casa" nos 16-bit, por sua vez seguido pelo impacto do mundo 3D nos 32-bit... Títulos de começo de geração impactavam tanto que eram candidatos a clássicos instantâneos, e foi assim mesmo com vários.

Que critérios, então, adotar para uma lista difícil dessas? Levei em conta a qualidade geral (gráfico, som, jogabilidade, etc), inovação (quanto ele foi criativo, mudou para melhor o cenário), o fator diversão e a relevância dele na própria geração e para o futuro.

Menções honrosas

Claro que muita coisa importante ficou fora, e há quem vá me xingar pelas escolhas, mas gosto é gosto, né? Para não dizer que os esnobei, começo citando alguns (não ordenados):

  • Super Metroid (SNES, 1994): um dos mitos que a Nintendo construiu, um jogaço enorme de todas as formas.
  • Road Rash (Mega Drive, 1991): mais um da EA que começou no Mega, que se não era top em gráficos e som, compensava com diversão nota 11.
    Um pouco da história de Road Rash.
  • Samurai Shodown (Neo-Geo, 1993): bater de frente com os grandes da luta inovando na jogabilidade era pra poucos, e Samurai conseguiu em grande estilo.
    Review de Samurai Shodown.
  • Toe Jam & Earl (Mega Drive, 1991): quem dera se mais games fossem ousados, malucos e divertidos como esse.
    Review de Toe Jam & Earl.
  • Final Fantasy III (SNES, 1994): nem preciso falar. Só ficou fora do top 10 porque prefiro Chrono Trigger.
    Ficha técnica de Final Fantasy III.
  • Golden Eye 007 (Nintendo 64, 1996): um dos mais influentes FPS, ajudou a popularizar o gênero fora dos PC, um jogo animal.
  • Donkey Kong Country (SNES, 1995): a Nintendo abusou da criatividade no SNES em fim de carreira, e ainda ganhou mais um mascote vendedor.
  • Fifa International Soccer (Mega Drive, 1994): trazendo detalhes inéditos em animação de jogadores e som marcante, o primeiro FIFA pavimentou o caminho da EA no futebol virtual.
    Review de Fifa International Soccer.
  • Diablo (PC, 1996): se tem esse monte de action-RPG hoje, é por culpa de agradeça a Diablo. Ganhou a honra de ser "pais de clones", tipo clones de Doom, clones de GTA, com seus clones de Diablo.
  • Streets of Rage 2 (Mega Drive, 1993): jogabilidade beirando a perfeição e músicas de Yuzo Koshiro fizeram de SoR 2 o adversário perfeito (e melhor) para Final Fight.

Chega de menções, vamos à lista:

Artigo anterior16 grandes fails da Sega e Nintendo
Próximo artigoFilmes: The Stoned Age (Dois Loucos na Noite)
Se não tiver conta no Memória BIT, será criada uma. Nada será publicado em seu perfil.
Se já tem conta no MBIT, faça login nela e vincule-a ao Facebook.

8 COMENTÁRIOS

X
Todos os comentários passam por moderação antes de publicados. Se o seu for aprovado, vai aparecer em breve!
  1. Baita desafio fazer uma lista dessas hein? A choradeira é garantida. 🙂 Não concordei com metade porque não curto RPGs, mas é fato que ficou muuuita coisa boa de fora justamente pq foi feito muuuuuita coisa boa nessa época! Sou agradecido de ter feito parte da geração de ouro dos 16 Bits.

  2. Tive um Mega Drive e acho que tem que botar aí Kid Chameleon, ô joguinho divertido que me fez perder horas da minha vida. Também adorava Earl & Toejam, Road Rash, Rock n'Roll Racing, Earthworm Jim (joguinho mais engraçado ever), Samurai, Street Fighter...Confesso que tenho um emulador no PC, comprei as manetes (rá!) e jogo com meus sobrinhos. Pura diversão.

  3. Esse é o problema do brasileiro, faz listas como se o universo residisse no Brasil.
    Como pode deixar de lado Twinsen Odyssey 2 levando esses critérios? Foi um sucesso mundial e inspirou milhares de jogos até hoje.
    Existem outros 4 jogos que sequer vou citar aqui para não ficar mais constrangedora essa lista.

DEIXE UM COMENTÁRIO