Modificações visuais e técnicas em videogames clássicos

Neo Geo de madeira, Mega e Snes num aparelho só, Nintendinho transformado em DVD: confira modificações malucas com videogames antigos.

2
1122

Quase todo mundo, mesmo quem não admite, gosta de ter coisas personalizadas. Podem ser grandes como carros tunados ou só um objeto do dia-a-dia como o celular, mas muita gente aderiu à mania de fazer modificações e buscar por itens fora do padrão, seja pelo prazer de ter uma peça exclusiva, ou por necessidade e ganho de rendimento mesmo.

No caso de consoles é assim: algumas são mais para dar um "charme" às máquinas; outras acrescentam ao aproveitamento, e outras ainda são uma mistura de beleza + performance. Pra quem gosta de arriscar na eletrônica amadora, há tutoriais na internet ensinando desde truques simples como LEDs decorativos até alterações complexas, como overclocks e chaveamento multi-região. Mas é preciso saber o que está fazendo — ou entregar seu precioso na mão de gente especializada — sob risco de inutilizá-lo de forma permanente. Quem quer jogar fora aquele videogame importado e raro só por que inventou de colocar uma saída de vídeo diferente?

Outra alteração, essa mais comum, é para passar pelo bloqueio ao acesso de serviços on-line, o que nem sempre dá certo: vide o rebuliço da Microsoft com o Xbox 360, que baniu da sua rede aparelhos detectados como modificados.

Veja algumas modificações em videogames que transformam velhos conhecidos em aparelhos exclusivos (alguns não tão exclusivos, mas ainda assim diferentes).

Nogueira-Geo, ou melhor, Neo-Geo

Neo Geo de madeira

O Neo-Geo Consolized MVS fabricado pela Analogue Interactive tem algumas diferenças em relação ao clássico. Começa pelo fato óbvio de ser um hardware do Neo-Geo MVS, a versão arcade, montada numa carcaça similar ao da versão AES — como diz o nome, foi "consolizado". Mas não é uma carcaça qualquer: feita em madeira de alta qualidade (como nogueira), com um visual muito sólido e sóbrio, sem parafusos ou pregos aparecendo. Pra alguns parece estranho, eu sei, mas não dá pra negar que emana robustez e força.

Neo Geo de madeira, com cartucho acopladoTem saídas de vídeo de qualidade, para jogar em seu televisor LED com melhor resolução: RCA, S-Video, vídeo componente e RGB. Conta ainda com bateria para salvar os jogos, é compatível com qualquer controle do Neo-Geo, usa o unibios 3.0 que torna o console compatível com jogos de qualquer região, etc.

O único problema é o preço. No site oficial, podia ser encomendado por US$649,00, além de outras partes como um belo controle também em nogueira (US$199,00); para colecionadores — público alvo do produto — talvez não seja muito. Será que o marceneiro da esquina faria um desses mais barato? Espero que os cupins não gostem de nogueira.

Wall-Ecube, ou GameCube Wall-E

walle gamecube

Feita por alemães, essa modificação no Nintendo GameCube transformou o (feioso, processem-me) console da Nintendo no simpático Wall-E, da Disney. Convenhamos que aquele lance de caixa é feio e trambolhudo demais, e o formato pelo menos foi propício a essa personalização. Caiu como uma luva para o personagem.

Eles foram cuidadosos na reprodução de detalhes do robô, incluindo braços de metal e pintura do case com aerógrafo sobre uma cobertura em acrílico. Imagino que esse não seja vendido em lugar nenhum, tanto pelo trabalho quando pelos direitos autorais da Disney.

Tudo foi feito na raça, com muito trabalho de serralheria.

Super Nintoaster

O que um Super Nintendo tem a ver com torradeiras? Descubra com essa modificação maluca, o Super Nintoaster: uma mistura de aparência de torradeira com coração de videogame.

Segundo a descrição do cara que o construiu:

"Feito com nada mais que um Super NES, uma torradeira, quatro tipos diferentes de adesivos, imãs tirados de um HD quebrado, seis LEDs laranjas, um monte de resistors, plexiglass e muito muito fio. Não muito diferente da minha torradeira antiga, mas agora o botão de controle da temperatura SERVE pra alguma coisa!"

Dispensa comentários 😆

Controle de mesa, literalmente

Que tal se sentir um pouco como Gulliver no reino dos gigantes e jogar um NES usando sua mesa de centro como o controle? Essa foi a insanidade feita por um tal Kyle Downes: transformou uma mesa de centro num controle de NES. Além de servir para controlar os games, a mesa também é uma mesa (!) e um baú.

Deve ser meio difícil jogar num controle monstro desses, mas não deixa de ser divertida a ideia; lance de jogar a dois como demonstrado no vídeo é bacana. Sem falar do alto valor decorativo; serviria perfeitamente numa sala de jogos, uma locadora antiga ou qualquer ambiente temático.

DVD-NES

Não, não é um formato diferente de DVD, e também não é bem uma modificação de videogame, mas de um DVD. O autor recheou a carcaça do NES com um aparelho de DVD, e até o controle original foi aproveitado. O lindo design do console ficou excelente com a bandeja do disco, não?

Ainda que esse projeto tenha "desconstruído" um videogame, é uma ideia interessante como base para outras transformações reaproveitando sucata. Quem sabe um Wii dentro do NES, ou um Xbox dentro de um Mega Drive?

Atualização 09/12/2013: já fizeram a abominação de estragar um NES para acomodar o Wii, e até ensinam o procedimento aqui. Note que vai desalojar o Nintendinho, um pecado. Trate de fazer com um aparelho pifado e sem conserto quebrado, herege!

Atari Jukebox

De todas as transformações mostradas aqui, essa é minha favorita. Esse Atari 2600, modificado por Victor Trucco, do Rio de Janeiro, não é como os velhos irmãos: ele lê ROMs gravadas num cartão de míseros 128 MB (suficiente para mais de 1000 games gravados), contando com display LCD de 2 x 16 cm que mostra o título do jogo escolhido. O único ponto negativo é o tamanho do display, que não ficou bem encaixado no slot, mas com um apropriado corrige-se facilmente.

O console permanece quase todo original, sendo enganado pelo sistema, "pensando" ter um cartucho conectado. Assim, jogar ROMs na TV com toda a comodidade e fidelidade do aparelho original é fácil. Ainda que seja um projeto pessoal do desenvolvedor, ele está aceitando encomendas (na data que este artigo foi escrito) ao preço de R$600,00.

Em seu site ele dá um resumo sobre como fez o Jukebox, então se você tem bons conhecimentos de eletrônica pode se aventurar. Aproveite e mande-me um de presente que eu faço um jabá seu aqui no site :grana:

Atualização: ele não produz mais o Jukebox, nem adianta ir lá chorar até porque os comentários estão desativados. De qualquer forma, o projeto está lá explicado para a posteridade.

Super Genintari

super genintari 1

Um "super" console 4 em 1: Atari 2600, Super NES, NES e Mega Drive. Todo o sistema usa um único cabo de energia e de áudio/vídeo. Botões bem destacados no console são usados para variar entre os sistemas em uso.

Uma mistura insólita, principalmente pelo visual, todo transparente em acrílico! Saiba mais sobre o Genintari. E veja em ação aqui.

HarmoNESica, a Gaita

Ok, não é videogame, mas um dia foi, pelo menos em parte. Se você foi da geração que assoprava os cartuchos para fazê-los funcionar (ainda que isso não tenha o mínimo embasamento), agora terá um motivo para voltar a soprar: um cartucho de NES com uma gaita dentro.

Ah, o ócio...

nes harmonica

R2D2 Multi-Console

Perfeito para os nerds adoradores de Star Wars ou só fãs comuns mesmo, essa réplica de R2D2 tem 10 "corações":

  • Atari 2600
  • NES
  • SNES
  • Nintendo 64
  • GameCube
  • Playstation 2
  • Mega Drive
  • Dreamcast
  • Xbox
  • computador

Também tem um projetor para você jogar os games num telão, além de um PSP escondido num compartimento.  Será que não dá problemas com aquecimento com todos esses circuitos dentro do "robô"? O autor garante que tem um belo cooler pra dar conta de tudo.

Artigo anteriorA história do Atari 2600
Próximo artigoO que é PolyStation, ou “como enganar uma criança”