181

Galeria: 20 melhores games do Mega Drive / Genesis

Confira uma seleção dos 20 melhores games do Mega Drive. Se não viu seu jogo do coração aqui, opine, diga que não manjo nada e xingue muito no Twitter =D
Por: Daniel Lemes
13
928

O Mega Drive foi meu console do coração lá pelos anos 90. Como seguista e então dono de Master System, nem pensava em seguir "carreira" como jogador em qualquer máquina além da sucessora do 8-bit; só assim encontraria a sequência de títulos que já curtia como Phantasy Star, Shinobi, Alex Kidd e tantos outros.

Dito e feito, tive um Mega III quase no fim de sua vida comercial, com o Saturn pronto para estrear, mas isso não importava; mais do que jogar, ao redor dele conheci pessoas, lugares, amigos e ganhei recordações de momentos em família.

Como eu, milhões de brasileiros tiveram uma história com o filho mais famoso da Sega. Mesmo perdendo feio pra Nintendo em sua terra natal, a disputa foi acirrada na América, e a vitória indiscutível aqui no Brasil, além de Europa e Oceania. É muita, muita gente que começou no velho e bom Megão mundo afora, e com tal alcance, vieram centenas de jogos nos mais variados gêneros.

Vários se firmaram como clássicos incontestáveis, desses que conquistam até fãs de outros sistemas. Num universo de quase 1000 games (mais de 900 no Ocidente, sem falar dos exclusivos japoneses), supondo que uns 30% sejam bons, e desses, metade seja excelente, teríamos uns 130 games de alto nível pra comparar.

Leia-se: uma pessoa só montar lista de melhores é sempre missão complicada, pois é difícil jogar tanta coisa ou lembrar de ter jogado. Sem falar que a opinião do autor fatalmente não bate com a de alguns leitores, aí já viu: chiadeira na certa.

De novo, leia-se: essa é a minha lista. Não gostou? Paciência, meu jovem. Toda lista precisa de critérios, senão vira bagunça total, certo? Os meus foram os seguintes, não necessariamente nessa ordem de relevância, mas em equilíbrio (acho):

  • Importância: quanto ele foi importante para o Mega Drive e seu estilo em geral. Influenciou, inovou, definiu padrões? Suba na lista. Por isso, por exemplo, Gunstar Heroes aparece tão à frente de Contra: Hard Corps — embora o segundo seja ótimo, Gunstar é um exclusivo reconhecido pelos feitos técnicos, além de ter sido lançado antes.
  • Qualidade geral: melhores gráficos, sons, controles, etc. Aquilo mais impressionante para ouvidos, olhos e cabeça.
  • Data de lançamento: é natural que os primeiros jogos de qualquer plataforma tenham menos recursos que os finais, afinal os programadores puderam aclimatar-se ao hardware durante anos. Por isso, pra mim tem mais valor um game acima da média em 1990, do que um mediano em 1995 (mesmo que seja superior ao mais antigo em aspectos técnicos).

Gostaria, num futuro próximo, de abrir uma grande enquete para saber a opinião de vocês sobre o tema; quem sabe montar um Top 50 ou Top 100. Por enquanto, fique com a minha humilde seleção dos Top 20 Melhores Games do Mega Drive.

Menções honrosas

Antes, pra não dizer que esqueci alguns caras importantes:

Columns: num mundo dominado por Tetris, eram raros os momentos de criatividade em puzzles, e a Sega teve muito sucesso com as colunas de joias coloridas.

Ecco the Dolphin: impressionantes gráficos para seu tempo, Ecco tem mais o perfil da Nintendo, com temática tão politicamente correta e um herói perfeito para crianças. Game calminho e cerebral, para jogar sem pressa, apreciando os cenários.

NBA Jam TE: um dos casos em que uma conversão de arcade ficou tão boa no Mega Drive quanto no SNES, ou até melhor em alguns aspectos. Diversão total, personagens secretos e as expressões mais-que-clássicas ("boom shakalaka!", "he's on fire!").

John Madden Football: a série foi vital para o Genesis nos Estados Unidos, e apesar do esporte não fazer sucesso no Brasil, apresentou o football pra muito moleque dessas bandas.

The Revenge of Shinobi: talvez o ápice dos jogos de ninja entre as gerações 8 e 16-bit, com ótimos gráficos, músicas e jogabilidade excelentes.
Alien Soldier: outro petardo da Treasure, pra quem curte jogos na linha Contra, com personagens grandes, cheios de imaginação, com animação caprichada, belos gráficos e som sensacional.

Thunder Force IV: a série de shoot'em ups sempre esteve no Mega Drive, e o quarto game é um assombro para olhos e ouvidos — claro que com a costumeira dificuldade dos space shooters.

Castlevania: Bloodlines: apesar de perder graficamente para o abuso do poder do SNES que a Konami fez com Super Castlevania IV, a versão Mega Drive ganha em movimentação e controles mais ágeis.

Strider: quando lançado em 1990, causou furor pela fidelidade ao arcade da Capcom, sendo nomeado jogo do ano pela mídia. Uma das primeiras demonstrações deste potencial do Mega Drive.

Ristar: com gráficos supercoloridos (apesar da paleta pobre do Mega Drive), a estrela com longos braços mostrou jogabilidade bacana num game de excelente visual, comparável aos grandes clássicos; sua falha é não ser lá muito original como aqueles.

Artigo anteriorPac-Man completa 35 anos mais jovem do que nunca
Próximo artigoSaem os primeiros induzidos ao Hall da Fama dos Videogames
257 posts e 33 reviews por...avatar de Daniel Lemes

Divide seu tempo livre entre jogos cheirando a mofo, o comando de uma comunidade sobre velharias, músicas com mais de vinte anos, dentaduras soltas e fios brancos.

Se não tiver conta no Memória BIT, será criada uma. Nada será publicado em seu perfil.
Se já tem conta no MBIT, faça login nela e vincule-a ao Facebook.

13 COMENTÁRIOS

X
Todos os comentários passam por moderação antes de publicados. Se o seu for aprovado, vai aparecer em breve!
  1. Muito legal a lista. E me agradou você ter colocado o primeiro Super Monaco GP ao invés do segundo. Embora o segundo trouxesse a presença de Ayrton Senna e melhorias gráficas e sonoras, pra mim o primeiro é imbatível: retratava uma Fórmula 1 que na época já não existia mais com pistas como Jacarepaguá, Jerez De La Frontera, Paul Ricard e Silverstone antes da reforma, melhor trilha sonora e melhor jogabilidade.

      • Qualidade sonora até prefiro o segundo, o som dos motores está mais bem feito e forte, mas a trilha sonora do primeiro é muito mais empolgante. Como esquecer Concentration, que figura fácil em lista de 10 melhores músicas da história do videogame? E quanto à jogabilidade, nunca gostei do modo Master do segundo, no qual pra gente crescer no jogo precisa fazer corridas impecáveis e depende de câmbios manuais, coisa que na minha opinião era inaplicável aos controles da época. Dessa forma, o modo campeonato era muito mais divertido no primeiro.

  2. Cara, a lista é ótima.
    Se fosse para colocar mais, colocaria o Vectorman, que é um belo jogo, com gráficos de cair o queixo para o padrão Mega.
    General Chaos ((quem nunca jogou, ao menos emule o jogo, é muito bom, divertido e coisa e tal)). Flashback, flick ((o jogo parecia bobinho num começo, mas a treta ficava sinistra com o passar das fases, acho que nem deve ter fim esse jogo rs)) Jungle Book ((a trilha sonora chega a derrubar lágrimas dos olhos)) Rfei leão ((outro que faz os ouvidos agradecerem por jogar)) Moonwalker ((os ouvidos adoravam minha jgatina no meu mega III, além do mais, se não me engano esse o snes não tinha hehe)). Splaterhouse ((velho eu tinha medo desse jogo...rsrs)). Where in the world - Carmen Sandiego ((uma idéia muito divertida de jogo, que era bem educacional até rs)).

    Parabéns pela matéria, e, por todo o conteúdo que coloca na página, fiquei fã da página.

    • Valeu Bruno! De todos que você citou, acho que o Vectorman é o que mais merece um destaque, alto nível, até estranhei seu comentário no começo porque jurava que tinha sido incluído nas "menções honrosas".

  3. Lista muito bacana, igualmente com boa parte das menções honrosas.

    Mas tem muita coisa aí que eu tiraria. A começar por Street Fighter, Tartarugas Ninjas e Earthworm Jim que são versões inferiores a de outros sistemas. Tartarugas então... que além de levar pau do arcade e do SNES, ainda por cima é hilariamente fácil. Tem muito jogo underreated do Mega Drive melhor que esses aí, um ótimo exemplo seria o Ranger-X.

    E Alien Soldier ficar fora do Top 20 pra mim, é crime.

    E outra bicho, tu chegou a jogar o Ecco até o final? pq o jogo tá muito longe de ser um jogo calminho e cerebral, pelo contrário, Ecco é um jogo que a essência do mesmo é mistério.

    E pq vc acha que Ristar não é original? eu não lembro muito aqui de platformers serem tão bem feitos quanto este e terem um personagem que estica as mãos pra dar cabeçada nos inimigos. O que dizer da fase dos pássaros músicos? tambem acho desperdício colocar jogos de corrida numa lista dessas, sendo que os mesmos estão ultrapassados...

    De qualquer maneira os cinco primeiros colocados foram justíssimos, independente de mudar-se uma coisa ou outra ali.

    Não leve a mau meu comentário, é que eu sempre me empolgo falando de Mega, e não é pra levar taaaaaaao a sério é só uma maneira de... discutir! hehehe

    • Como diria o Neto, "baita de um comentário, digasse de passagi", heuhauehaeuhauheuahe
      Sobre Street e afins, tentei não me ater a comparações diretas com concorrentes como SNES. Claro que a SSFII ficou melhor na máquina da Nintendo, mas dentro do ambiente do Mega, ainda acho o jogo top, o mesmo valendo para Earthworm Jim. Turtles ficou mesmo infinitamente mais fácil que no arcade, mas pra mim não desmereceu o jogo não, ficou extremamente fiel de forma geral.

      Joguei Ecco sim, e qualifiquei como cerebral pelos lances de quebra-cabeça, longos caminhos, aquela coisa de falar com inimigos pelo sonar, etc. Ristar me parece menos criativo do que outros do gênero, acho que o forte dele é a beleza e a jogabilidade mesmo. E acima de tudo: como ousa, herege, não colocar games de corrida no topo? HUEAHEUUEA Olha o que conseguiram fazer com Virtua Racing: foi muito superior às tentativas da Nintendo com o SFX, por exemplo.

  4. Daniel seu tratante, nãs faz idéia da quantidade de ciscos que caíram nos meus olhos ao ler esse seu apaixonado post (um tanto curto se comparado aos demais). Também optei pelo lado azul da força na época (que saudades do meu trio Mega/CD/32X). O Mega Drive fui realmente um marco na história, sem dúvida, o filho mais bem sucedido da SEGA. Segue meu Top10, sem ordem de preferência.

    * Phantasy Star 4. (Quase perfeito, sempre volto a jogá-lo, não me cansa).
    * Shinobi 3. (Revenge é ótimo mas esse Return é lindo, jogo de ninja é no Mega Drive).
    * Sonic 1. (Divisor de águas).
    * Sonic 2. (Pegou tudo do primeiro e deu um boost).
    * Lethal Enforces 2. (Jogar isso na época com um parceiro e duas Justicefier não tinha preço).
    * Super Mônaco GP. (Ayrton Senna que me desculpe mas o primeiro tem um peso nostálgico enorme pra mim).
    * Gunstar Heroes. (O que dizer .... sem defeitos).
    * Thunder Force 4. (Uma aula de como fazer um game shoot'em up, de alto nível)
    * Golden Axe 2. (Apesar do impacto do 1, acho o 2 muito mais prufundo em jogabilidade, gráficos e músicas).
    * Altered Beast. (Raise from your grave, primeira vez que ouvi isso em casa, me deu um arrepio na espinha que me lembro como se fosse ontém)

    • HUEHAE Obrigado, então estamos chegando ao objetivo. Foi curto mesmo porque prefiro priorizar a galeria nesses casos.

      Bela lista também, o único que não curtia muito (nunca fui fã de tiro espacial, só jogava no tempo do Atari), apesar de reconhecer a qualidade, é o Thunder Force. E concordo 101% sobre o Senna GP, achei ele esquisito em comparação ao SMGP.

DEIXE UM COMENTÁRIO