Emulação: como usar o Stella, emulador de Atari 2600

Relembre clássicos como River Raid, Enduro e Pitfall em seu computador com o Stella, o mais popular emulador de Atari 2600.
Por: Daniel Lemes
0
4878

Para veteranos que estiverem aí: pode parecer banal ensinar alguém a usar emulador, mas tenho certeza que muita gente nova está chegando a esse mundo todos os dias; muitos são usuários médios que gostariam de rodar ou relembrar aqueles cartuchos que estão num baú, mas não sabem se podem ou como fazer isso no computador.

Então a partir daqui vou postar na série "Emulação" tutoriais de como baixar e usar emuladores de videogames antigos, com todas as etapas e usando termos mais acessíveis, que qualquer iniciante possa entender e assim revisitar os jogos antigos.

Pra começar, o começo: Stella, talvez o mais popular emulador de Atari 2600.

Antes, uma breve introdução aos emuladores.

Introdução aos emuladores

Já sei o que é emulador! Quero ver o tutorial!

De forma simplificada, o emulador é um programa que simula um ambiente com todas as suas funções: é como rodar um sistema dentro de outro. Existe emulador pra quase tudo, de calculadoras e arcades a sistemas operacionais e computadores.

Dependendo do que ele emula, pode ser bem pesado para seu computador operar, já que terá que lidar com as próprias atividades somadas às do que está sendo emulado — imagine as tarefas de um PlayStation 3 "por cima" das máquinas atuais, um sobrepeso monstro. No momento, nem PlayStation 2 é emulado direito, precisando de um puta hardware pra rodar de modo satisfatório.

No emulador, quase toda a experiência original é recriada. A maior perda é nos controles: alguns games serão torturantes de jogar no teclado; além disso, a alta definição dos monitores atuais também prejudica (?). Sim, pois os jogos eram feitos pra aparecer em monitores CRT (ou "de tubo", como a TV antiga), as linhas na resolução da tela ajudavam; em LCD e LED tudo fica nítido demais, e pequenas imperfeições que eram maquiadas gritam aos olhos, tal como os pixels.

Para corrigir isso há filtros, tipo o popular 2xSaI, e até filtros que produzem linhas similares às dos televisores (quase todo emulador tem um filtro scanlines).

Desvantagens da emulação

Peso no sistema: como o processador terá que lidar com as tarefas padrão + tudo que o emulador pede, é fácil imaginar que quanto mais complexo o sistema emulado, pior o rendimento geral. Embora tecnicamente seja possível emular até videogames atuais, seria uma catástrofe, tipo colocar um tanque em cima de um Fusca. Mesmo sistemas antigos como o Saturn, por ter um hardware complexo, é horrível de emular até hoje; o Xbox 1, que não passa de um Pentium III preparado para jogos, ainda não tem emulador estável. Por isso é mais comum e prático emular sistemas antigos. Muito no futuro os consoles atuais também deverão ser emulados com qualidade, mas por enquanto — até por questões legais — ficaremos com as "antiguidades".

Legalidade: há uma disputa entre detentores de direito autoral e usuários de emulação, e baseado em disputas judiciais anteriores, o simples uso dos emuladores não é considerado ilegal.

Mas videogame sem jogos é como carro sem combustível, certo? Você vai precisar de uma imagem do game (arquivos em formatos como ISO, BIN, ROM, entre outros, com todas os dados do software), que não pode ser distribuída, embora existam sites especializados nisso. Para usar essas imagens, você DEVE TER O GAME ORIGINAL. Baixá-las e rodá-la no emulador sem ter o jogo original é violação de direito autoral.

Alguns videogames tinham um código interno pra funcionar conhecido como BIOS, que também não pode ser distribuído. Por isso, ao fazer o download dos emuladores, mesmo que ele não funcione sem BIOS, este não acompanhará o pacote. Para agir legalmente, você precisa ter o console, e então procurar e baixar você mesmo o BIOS em algum lugar (Google é seu amigo).

Por isso tudo, o Memória BIT não hospeda nem aponta links para jogos, só para emuladores e sem BIOS.

Falta de periféricos: muito da diversão original estava nos controles, pistolas, óculos e bugigangas similares. No emulador você não terá quase nada disso, a não ser atribuindo funções deles ao teclado ou joysticks que estiver usando.

Vantagens da emulação

$$$: a mais óbvia. Se você só quer cinco minutos pra matar saudade de uns jogos da infância e não ser um hardcore, não compensa comprar um videogame antigo nas mãos de colecionadores que tentarão arrancar seu couro em troca da relíquia.

Facilidade: baixou, jogou — sem fios, cabos, TVs pesadas e outras chateações. Nem precisa sair do computador! Há quem tenha todos os consoles e acabe nem os ligando só pela praticidade do emulador.

Configurações, saves e filtros: o emulador pode deixar o jogo até melhor que na máquina original. Se você não tem a mesma disposição e tempo de antes, os save states (opção de salvar seus progressos em qualquer lugar, mesmo no meio das fases) cairão como uma luva.

Espaço e organização: quem coleciona videogames é maluco herói: além de pagar mini-fortunas por coisas que alguns jogariam fora, ainda tem que ocupar espaço em casa para guardar aquele "monte de tranqueira", incluindo controles, fios, fontes, caixas... Com emuladores você pode ter todos os videogames antigos num pendrive, e catálogos inteiros em alguns DVDs ou num HD.

Emulando o Atari 2600: Stella

Nota: esse é o procedimento para usar a versão Windows do Stella. Não testei em outros, mas não deve diferir muito.

O Stella é o melhor e mais completo emulador de Atari 2600. Foi criado por Brad Mott e hoje é mantido por uma equipe encabeçada por Stephen Anthony. Com versões para PC, Linux e Mac, é distribuído sob o esquema de DonationWare, ou seja, você pode usar à vontade e fica a seu critério fazer uma doação ao projeto.

Para começar, baixe a versão mais atual estável do Stella em seu site oficial. Para leigos e o público geral, o melhor é o que tem instalador. Escolha a versão de acordo com seu sistema: se for 32-bit, escolha o que termina com win32.exe, e se for 64-bit, escolha o x64.exe.

Escolhendo uma versão do Stella para baixar
No meu caso, vou baixar a versão 32-bit do programa (em vermelho).

"Mas como eu sei se meu sistema é 32 ou 64-bits?" É só clicar "tecla do Windows" + Pause (aquela que fica num grupinho de três teclas, em cima do teclado numérico), para descobrir.

Sistema operacional de 32-bit, baixe a versão 32-bit
Sistema operacional de 32-bit, baixe a versão 32-bit. Se for 64-bit, baixe a versão 64-bit.

Aguarde o download e você terá um arquivo no formato .exe, é um executável para instalar o emulador. Abra-o e siga normalmente com a instalação.

Começando a instalação do Stella

Quando completar, clique em Finish HIM!

Clique em Finish para terminar a instalação do Stella

O emulador já está instalado e pronto pra funcionar. Se você marcou a caixa para colocar atalho na área de trabalho, abra por lá, ou siga ao menu Iniciar do Windows e procure o programa.

Rodando os jogos

A tela inicial do programa tem um navegador similar ao Explorer. Basta navegar através de duplo-clique entre as pastas até o lugar onde estiverem os ROMs de jogos.

IMPORTANTE: de novo lembrando, ROMs não acompanham o emulador. Usar ROMs sem ter os jogos é ilegal.

O [..] vai uma pasta acima na hierarquia, é fácil. Quando chegar à pasta certa, o Stella vai listar os arquivos que encontrar — dê duplo-clique no arquivo do game e ele será executado. Para o Atari 2600, os games devem estar no formato .a26 ou .bin (talvez outros que eu não conheço).

Navegador de arquivos do emulador Stella

Clicando no botão Options, abre-se um menu onde você pode fazer ajustes de vídeo, áudio, configuração de entrada (funções de cada tecla), etc. Normalmente não precisa mudar nada, mas algumas coisas podem ser alteradas:

Tamanho da janela: se quiser rodar os games em tela inteira, clique em Options > Video, e na caixa Fullscreen, deixe em ON. Isso pode ser feito durante o jogo com o atalho Alt + Enter.

Pastas padrão: se não quer navegar até a pasta de ROMs sempre que ligar o emulador, defina os caminhos padrão em Options > Config Paths. Em Rom path, indique o caminho até a pasta e clique Ok.

Comandos

Disparo: tecla de espaço ou Ctrl esquerdo
Direcionais: setas do teclado
Select: F1
Reset: F2
Color: F3
Black & White: F4
Dificulty joystick 1 em A: F5
Dificulty joystick 1 em B: F6
Dificulty joystick 2 em A: F7
Dificulty joystick 2 em B: F8
Salvar game: F9
Trocar de save: F10
Carregar game save: F11
Tirar um instantâneo (snapshot): F12
Fry (tilt através de ligar e desligar o console rapidamente): Backspace
Pausar: Pause
Sair do emulador: Ctrl + Q:
Sair da emulação em andamento: Esc
Entrar no menu: Tab
Aumentar a janela: Alt + =
Reduzir a janela: Alt + -
Aumentar o volume: Alt + ]
Diminuir o volume: Alt + [

A lista completa de comandos está em Options > Input, é só clicar sobre cada comando para ver a tecla correspondente.

Se não conseguiu emular ou tiver alguma dúvida, comente. Boa jogatina!

Créditos do emulador Stella

Game Enduro do Atari 2600 rodando no emulador Stella

Artigo anteriorReview – Gran Turismo (PlayStation)
Próximo artigoSuper Mario Kart: 20 anos de corridas muito loucas
Se não tiver conta no Memória BIT, será criada uma. Nada será publicado em seu perfil.
Se já tem conta no MBIT, faça login nela e vincule-a ao Facebook.

SEM COMENTÁRIOS

X
Todos os comentários passam por moderação antes de publicados. Se o seu for aprovado, vai aparecer em breve!

DEIXE UM COMENTÁRIO