Chineses vendem Mega Drive com HDMI e controles sem fio

Tectoy afirmou que HDMI não era necessário, mas nossos amigos chineses parecem não concordar. Resta saber se funciona.
Por: Daniel Lemes
3
2711

Lembra quando a Tectoy anunciou a configuração do "novo" Mega Drive, destruindo o sonho de muita gente ao avisar que não teria HDMI? Que era caro, que ninguém usaria mesmo, etc? Criou certo desconforto, pois o NES Classic era recente e fãs da Sega esperavam uma resposta à altura.

Dito e feito, o Mega veio bonito, mas sem a saída moderna, o que não parece ter sido problema. Mas se você é um dos que ainda choram pela conexão, levante as mãos aos céus e agradeça aos velhos amigos chineses. Ou não, sei lá.

Sites como o AliExpress vendem o que pode ser o "Mega Drive Que a Tectoy Não Fez™". Será que é bom?

Será?

Anunciado com o portentoso título "Console Retrô HDTV Para Games 16 Bit Com Saída HDMI", o videogame não lembra os típicos emuconsoles. Produzido pela GRITZEST, é compatível com cartuchos (ou melhor, "16 bit game cards"), e acompanha dois controles sem fio e mais um com fio. Ao que tudo indica, não tem entrada para games em ROM, como SD cards. Um cartucheiro raíz?

O visual dele é muito bom. Se estivesse mais perto do Brasil, acho que valeria comprar só pela carcaça. Parece demais o original asiático, com as icônicas letras douradas na frente, e a inscrição "High Grade Multipurpose Use". Mas por motivos óbvios, não há o logo da Sega no canto, perto do plug do controle 2.

A traseira tem três saídas RCA (AV estéreo), além da desejada HDMI. Não há relatos disponíveis sobre o funcionamento. Também não é especificada a compatibilidade com Sega CD, 32X e cartuchos especiais, o que leva a crer que não existe.

Pelas imagens é possível notar um recorte, como um slot no lado direito, mas não acho provável que tenha algo ali.

O controle com fio é bem estranho: um redesenho do modelo de três botões, mas com seis. Mas olhe de perto: os três de cima são A, B e C, e... os três de baixo também. Seriam turbo, ou economia de produção? Tosco demais. Os dois sem fio são praticamente iguais aos antigos, mas com botões mais claros, e um botão adicional perto do Start. A fonte é externa, de 7.5V; o Mega original usa fonte de 9V.

O preço hoje fica em torno de R$160, sem contar possível (quase certo) imposto. No total daria uns R$250. Vale o risco? Melhor esperar cobaias os early adopters, né?

Artigo anteriorReview: Superior Soldiers (arcade)
Próximo artigoNovo hardware da Atari a caminho
Se não tiver conta no Memória BIT, será criada uma. Nada será publicado em seu perfil.
Se já tem conta no MBIT, faça login nela e vincule-a ao Facebook.

3 COMENTÁRIOS

X
Todos os comentários passam por moderação antes de publicados. Se o seu for aprovado, vai aparecer em breve!
  1. Talvez pela carcaça valesse a pena mas comprar por esse preço só pela carcaça... acho que não dá.
    A questão chave aqui não é o HDMI. Hoje em dia é possível rodar Mega de diversas formas, até os clones como o Mega Vision existem por aí desde 1994... a questão é totalmente outra. O problema é poder ter um console oficial mesmo. Essa é a grande jogada que fez o Nintendinho novo um sucesso e que fez o produto da tec Toy muito barulho também.

    A essa altura do campeonato onde podemos rodar qualquer console velho de mil maneiras e formas diferentes o grande diferencial é a marca, o original, o oficial, mesmo que essas máquinas não correspondam as expectativas atuais de tecnologia.

    Tec Toy com ou sem HDMI é um fato interessante simplesmente por ser oficial. Clones não podem entregar isso. E se for apenas pelo motivo de jogar videogame antigo, os emuladores exitem ad infinitum por aí. Sem falar que temos também a opção do console usado original.

    Na minha visão tudo é válido neste campo, ou compra-se um bom clone ou um oficial, mas todos tem suas vantagens. Eu pessoalmente, prefiro o velho usado de época ou os emuladores. cada um na sua.
    Abração!

    • Se alguém se dispusesse a fabricar carcaças "originais" pra recuperar consoles antigos... Não sei como os chineses não pensaram nisso ainda, venderia igual pão quente.

      • Putz, tem toda razão! Tipo os labels de cartuchos de Super Nintendo que o pessoal refaz em alta qualidade para a gente baixar! Claro,neste caso comprar a peça avulsa. Bem pensado.

DEIXE UM COMENTÁRIO