Atari reclama e TxK é descontinuado por semelhança com Tempest 2000

Jeff Minter resolveu "homenagear" sua própria criação de 1994 e a Atari não gostou muito... futuras versões de TxK estão canceladas.
Por: Daniel Lemes
2
132

Tempest 2000 foi um dos poucos games que tiveram recepção positiva do público no sofrível Atari Jaguar. Remake do clássico Tempest, sucesso de Dave Theurer nos arcades em 1981, o tube shooter foi escolhido para a "homenagem" no 64-bit pelo programador Jeff Minter por ser um de seus favoritos.

Recentemente, Minter, através de sua empresa, a Llamasoftware, lançou TxK, indie baseado em Tempest 2000 mas usando o poder do PSVita. A crítica recebeu muito bem o jogo, que virou (ainda mais) um baita viagem visual e sonora psicodélica-retrô, com aqueles túneis tridimensionais e muita fidelidade aos arcades oitentistas. A Edge chegou a cotá-lo não só como um dos melhores games do Vita, mas talvez o melhor já feito pelo designer, que tem um longo currículo.

Veja o gameplay de TxK.

Havia planos de versões para PC, Android, PS4 e outros, mas se você aguardava alguma delas, esqueça. Como revelou Minter em seu perfil no Twitter, a Atari não gostou da semelhança e saiu do limbo para reclamar da produção, metendo o famoso cease and desist nele (tipo "pare já com isso ou vai tomar um processo").

Com uma série de tweets na última quarta-feira (18), Minter extravasou sua insatisfação (ou melhor, ficou p*** mesmo) com os atuais donos da marca Atari e propriedades, dizendo que nem houve conversa, advogados já chegaram despejando ameaças e "bullynando" sua Llamasoftware e ele pessoalmente.

Por isso, qualquer futura ideia envolvendo o game está oficialmente abandonada.

SAP: Tudo que estava pronto ou quase pronto nunca mais verá a luz do dia. Nada de TxK para PC, PS4, Oculus, GearVR, Android. Agradeçam a "Atari".

Como o game não é oficial (a Atari tem todos os direitos intelectuais), só restou a opção de abandonar mesmo. O curioso é que a "dona" não parece estar ligando para outros clones de Tempest 2000, mas cismou exatamente com o de seu ex-funcionário.

Além do gameplay e gráficos, sons e efeitos sonoros também teriam sido "ripados" de originais, o que Minter não nega: a trilha sonora é a original.

Tem algumas viagens nas queixas da Atari, como "TxK usa cores contra um fundo preto e um campo estelar e explosões, com a nave em ilusão de movimento entre as estrelas, como em Star Wars". Peraí, tem conceitos de design complicados de aceitar que pertençam a alguém... E ainda citam Star Wars, pra universalizar ainda mais o que alegam ser deles.

TxK e Tempest 2000
TxK (esquerda) no PS Vita e Tempest 2000 no Jaguar: a Atari não curtiu

O que eu acho? Basta uma olhada rápida no remake e original para notar que, apesar dos exageros dos advogados da Atari (veja o documento que Minter recebeu), TxK é um clone total, muito evoluído. Independente de ser ótimo ou não, de serem ideias de Minter lá nos anos 90, não importa. Ele recriou tudo, da jogabilidade aos gráficos e trilha sonora, o que não tem direito de fazer. Uma pena, mas não pode.

Foi bacana a Atari chegar chegando, exigindo e mandando bronca? Não, podiam conversar, negociar uma "oficialização" e faturar em cima, mas que estão no direito deles, é certo. É aquela história: se decidirem nunca mais mexer em Tempest, meter num baú e esquecer, ninguém pode tocar nele sem permissão da Atari.

Minter avisou que o assunto está encerrado com um tweet final sobre o assunto: "Enfim: hora de passar uma linha nisso e seguir em frente. Hora de fazer algo novo, com paixão, amor e alegria".

Mas não sem antes deixar várias mensagens ácidas:

"Você pode comprar Graceland, vestir as roupas de Elvis, comprar os direitos das músicas. Mas não será Elvis".

"Vamos esperar que um dia a Atari se vá e então dançaremos sobre sua tumba com uma música que soa exatamente como a de Tempest 2000".

"E aí eu lanço todos os ports 😀"

Para ler a treta completa, veja este post no fórum da Llamasoft com a versão de Minter para a abordagem. Entre outras coisas, eles o acusaram de ter provavelmente se apropriado de informações confidenciais da Atari e funcionários, como códigos-fonte, sem as quais não poderia ter recriado o game. Pesado.

Artigo anteriorKonix MultiSystem, o console que mudaria a 4ª geração?
Próximo artigoGaleria: os consoles mais raros e edições limitadas
Se não tiver conta no Memória BIT, será criada uma. Nada será publicado em seu perfil.
Se já tem conta no MBIT, faça login nela e vincule-a ao Facebook.

2 COMENTÁRIOS

X
Todos os comentários passam por moderação antes de publicados. Se o seu for aprovado, vai aparecer em breve!
  1. Bom, eu trabalho na área jurídica e fiz Direito e realmente, apesar da Atari ter sido agressiva demais, eu concluo que ambas as partes erraram. A Atari por ter sido ¨mal educada¨ e o cara lá por ter feito tudo sem pedir permissão. Acho que deveria ter rolado um acordo amigável entre eles antes, uma pena, mas infelizmente a Atari está no seu direito. Bola pra frente.

DEIXE UM COMENTÁRIO