Arcades em filmes dos anos 80 e 90

Os arcades tinham status já nos anos 70 e 80, percebidos como parte de algo relevante na tecnologia para as massas. Com isso, apareceu várias vezes no cinema.
Por: Daniel Lemes
6
266

Arcades perderam muito da força passada. Por mais que o pessoal das antigas conte, que vídeos e a Wikipédia expliquem, talvez os mais novos não tenham ideia exata do significado. Antes da internet, emuladores e jogos despejados em torrents no PC, eles eram o canal para jogar coisas que demorariam meses para chegar ao console. Isso se chegasse: Daytona USA 2, Mario Kart Arcade GP, Indy 500 e Rave Racer, entre inúmeros, nunca vieram.

Entre os anos 70 e 80, bastavam uma ou duas máquinas, e qualquer canto virava um "fliperama", o point do bairro. Dependendo do jogo, formava filas mesmo nos botecões mais desaconselháveis, com moleques disputando espaço com tiozões etílicos da sinuca e outros tipos estranhos. Quase todo mundo tem alguma história de infância ou adolescência: a zoeira no bar do bairro, a "evolução" para a casa maior do centro, o lançamento conhecido no shopping. Porradas trocadas, fichas engolidas, máquinas desligadas. Bons tempos.

Tanto no sentido de "máquinas" quanto de "casas de jogos", eles são figuras icônicas. E não é só pela nostalgia que isso cabe hoje: desde o começo, eram símbolos de tecnologia. O status garantiu influência sobre o futuro mercado do videogame doméstico, e muitas aparições no cinema. Lá estão eles, de filmes B às grande produções, eternizados no papel de ícones de uma era.

No Mundo de 2020

1973

Provavelmente a primeira aparição de um arcade num filme. Soylent Green tem uma trama de ficção com suspense, sobre um estranho alimento verde que é dado aos mais pobres num futuro distópico — ano 2022. Nem pergunte o que é a gororoba, recomendo que assista porque é da pesada.

Note que com quase 40 anos entre o filme e os eventos, um arcade já foi colocado ali como representação de algo futurista. Pena que assistindo hoje não faz tanto sentido, já que se trata de uma máquina de Computer Space, o primeiro arcade comercial da história, lançado em 1971.

Código do Silêncio

1986

Mais de uma década depois, a história era um pouco diferente. Arcades continuavam em alta, mas já tinham seu lugar com o público. Os pinball, antes dominantes, agora dividiam espaço (até em desvantagem) com as máquinas. Aquela identidade do lugar meio escuro, com vários jogos alternativos, umas biritas e afins, ganhava forma.

No filme estrelado por Chuck Norris, a clássica cena de bar meio sujo e escuro. E não faltam as máquinas, com pelo menos três fáceis de identificar: Ms. Pac-Man (1981), Frenzy (1982) e Draw Poker, um desses jogos de pôquer eletrônico.

Curtindo a Vida Adoidado

1986

O clássico da zoeira estudantil também não deixaria um símbolo da geração de fora. Ferris Bueller e sua gangue não passam por nenhum arcade, mas o diretor "corta barato" Rooney resolve caçá-los pela cidade de Chicago.

É quando rola a cena numa pizzaria. A moça de cabelo curto usando roupa quase igual a de Bueller está curtindo um dos nomes infalíveis da década: Karate Champ, de 1984.

Desejo de Matar 4

1987

Em mais uma aventura sanguinária do ex-policial e justiceiro Paul Kersey, logo no começo temos a cena do parque de diversões — cenário recorrente em filmes voltados ao público jovem (pelo menos mais duas só neste artigo). Lá, um arcade bem tradicional, com várias máquinas.

Entre as reconhecíveis: Commando, Spy Hunter, Ms. Pac-Man, Thayer's Quest, Centipede, Tempest, Tron, Marble Madness, Punch-Out, Time Pilot, Donkey Kong, Karate Champ e Mr. Do.

Quero Ser Grande

1988

Tom Hanks interpreta o menino em corpo de adulto, transformado após pedir numa máquina de um parque de diversões (mais um). Mas além do artefato mágico, haviam muitos arcades, que aparecem em várias cenas. Vários clássicos da época, como Defender, Ms. Pac Man e Zaxxon, além de Future Spy, Joust e mais alguns que não consegui identificar.

Numa das cenas finais, quando Josh reencontra o Zoltar, quase ao lado tem uma máquina / cabine de Out Run. Sem falar do começo com Cavern of the Evil Wizard, no computador do Josh.

De Volta Para o Futuro II

1989

O segundo filme da série começa no futuro, mas a cena do bar retrô — olha a tendência sendo adiantada — tem arcades. Destaque para Wild Gunman, da Nintendo, que além dos arcades, foi um dos primeiros games do NES.

Na vitrine do "80's Cafe" tem ainda uns itens antigos, incluindo uma cópia de BurgerTime e um Apple III. E a máquina de Pac-Man com um aviso de "Artefato inestimável, não toque"? Quase acertaram, mas tem preço hoje sim: uns 1500 dólares no eBay 😱.

Robocop 2

1991

Entrando nos anos 90, Robocop 2 tem uma cena de tiroteio num arcade bem tradicional, daqueles com muito neon e tons de roxo e azul. A maioria das máquinas (todas?) é da Data East, parece ser patrocínio.

Máquinas: Sly Spy (Secret Agent), Vigilante, Heavy Barrel, Ghostbusters, Bad Dudes, Slap Shot, Midnight Resistance, Kung-Fu Master. Tem outras que não identifiquei; se quiser ver, o arcade aparece por volta dos 30 minutos de filme.

Exterminador do Futuro 2

1991

Filmes de ação parece que combinavam com arcades. Em Terminator 2 tem um dos grandes, na cena em que John Connor é perseguido pelo T1000. Pelo espaço, aparecem coisas maiores, como uma grande cabine de After Burner.

Tem alguns sem identificar, mas entre os mais fáceis: Missile Command, Rampage, Hit the Ice, Space Invaders, Arch Rivals e Trog (esse eu não conhecia).

Uma Mulher Para Dois

1993

E nem só de arcade houses se fez a década, mas também de locadoras, lojas de conveniência, etc. No filme de Scorcese, Wayne "Mad Dog" é um policial solitário, que por acaso salva o mafioso Milo. Como recompensa, ganha uma semana com a garçonete Glory (Uma Thurman), que está pagando débitos com o criminoso.

Na cena da lojinha de conveniência em que salva Milo, tem uma máquina de Narc, da Williams, ao fundo. Aliás, um dos jogos mais violentos da época, com muito tiroteio e sangue.

A Rede

1995

Sandra Bullock faz o papel da analista de dados Angela Benett, que sem querer, acaba com um disquete cheio de segredos nefastos. Perseguida num parque de diversões, entra, claro, na área dos arcades antes de fugir pelo carrossel.

Coincidência ou não, a maioria dos games são da Capcom. Jogos top da década estão por ali, como Samurai Shodown II, Darkstalkers, Street Fighter II': Champion Edition, Mortal Kombat II, Cruisin's USA, NBA Jam, Alien vs Predator, Smash TV e outros.

🎞

Quer ver outros? O site do MAMEWorld tem uma coleção de imagens de arcades em filmes.

Artigo anteriorQual era mais poderoso: Dreamcast ou PlayStation 2?
Próximo artigoDivulgadas primeiras imagens do novo console da Atari
Se não tiver conta no Memória BIT, será criada uma. Nada será publicado em seu perfil.
Se já tem conta no MBIT, faça login nela e vincule-a ao Facebook.

6 COMENTÁRIOS

X
Todos os comentários passam por moderação antes de publicados. Se o seu for aprovado, vai aparecer em breve!
  1. Eu acho que a Data East fechou parceria com a dona da marca Robocop porque eu lembro que o jogo de NES do Robocop tinha a logo da Data East.
    Esse post serve como dica de filmes também. ^_^
    Uma cena clássica é do Van Damme aceitando uma partida de arcade versus o outro cara que acabou virando amigo dele no filme, o Dragão Branco.

  2. Um dos clássicos é o "namorada de aluguel" , o amigo ruivo jogando aquele jogo de moto da sega , que tu tem de usar o guidão pra pular

DEIXE UM COMENTÁRIO